Ambientalistas tentam convencer governo a trocar porto por turismo | Plural
22 ago 2019 - 22h36

Ambientalistas tentam convencer governo a trocar porto por turismo

O projeto foi pago pela sociedade e pretende tornar o litoral referência em cicloturismo

Ambientalistas apresentam ao governo do Paraná, nesta sexta-feira (23), projeto de desenvolvimento turístico para o litoral do estado. O objetivo é oferecer uma alternativa à instalação de um complexo industrial em Pontal do Paraná e de um porto, o terceiro no Estado, que seria instalado a menos de três quilômetros da Ilha do Mel. A iniciativa pretende tornar o litoral uma referência mundial em cicloturismo.

Leia mais: Ratinho quer levar a cabo estrada da discórdia no litoral

Estarão presentes ao encontro, que acontece das 09 às 12h no Palácio do Iguaçu, as secretarias de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Planejamento e Infraestrutura e Logística, e de representantes do Ministério Público do Paraná.

A ideia nasceu de um composto por vinte entidades favoráveis à defesa do patrimônio natural, cultural e social do litoral do Paraná, o #SalveAIlhaDoMel. Por meio de financiamento coletivo, arquitetos e engenheiros foram contratados para propor uma solução que levasse em conta os interesses da população local e a proteção da natureza.

Segundo Giem Guimarães, diretor-executivo do Observatório de Justiça e Conservação (OJC), uma das entidades que integram a campanha, esta é “a primeira proposta de desenvolvimento alternativo para o litoral do Estado apoiada pela sociedade civil, e não imposta por empresários interessados em lucrar às custas da população e do que restou do patrimônio natural em nosso Estado.”

O croqui prevê a construção de mais de 50 quilômetros de ciclovias que interligariam dezenas de municípios, praias e ilhas situados em uma das maiores áreas contínuas de Mata Atlântica preservada. Cicloparagens, mirantes turísticos e outras estruturas estimulariam o turismo ecológico e a geração de renda limpa com comércio de produtos locais.

A proposta promete também melhorias nas estradas, com duplicações de alguns trechos, mas, “diferente da proposta da Faixa de Infraestrutura, as soluções trazidas pelo anteprojeto consideram diversas alternativas que atendam a necessidade de deslocamento das pessoas”, diz Giem.

O litoral do Paraná é o segundo menor do país e já conta com dois portos, em Antonina e Paranaguá. Estudos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e de empresas ligadas ao setor indicam que, se melhor geridos, os portos paranaenses poderiam atender com tranquilidade e eficiência o potencial de crescimento logístico e portuário do estado, sem desalojar comunidades tradicionais e colocar em risco um dos Patrimônios da Humanidade reconhecidos pela UNESCO, a Ilha do Mel.

Últimas Notícias