5 fev 2022 - 15h42

Um passeio pelas orquestras alemãs de rádio (e de YouTube)

Como aproveitar o verdadeiro motor da música clássica do país da música clássica

Dezoito euros e trinta e seis centavos. Esse é o valor que toda residência alemã paga para manter duas redes públicas de rádio e televisão (a ARD e a ZDF) e outra só de rádio (a Deutschlandradio). Esses nomes são novos para você mas todo contribuinte alemão os conhece. O que talvez nem todos saibam é que seus suados eurinhos estão bancando mais que o telejornal das manhãs: eles também custeiam treze orquestras sinfônicas e dezenas de coros e grupos de câmara, todos de nível internacional.

Não é pouca coisa. Essas orquestras mantidas pela taxa da TV (repita comigo: Beitragsservice) são quem faz o dia-a-dia da música clássica no país da música clássica. Orquestras estelares como a Filarmônica de Berlim são raras exceções. Apesar de formalmente vinculadas à radiodifusão, essas orquestras mantêm ativas salas de concerto, programando temporadas regulares, convidando solistas do mundo inteiro, encomendando obras novas de compositores – ou seja, verdadeiramente construindo a vida musical alemã.

Você, que não mora na Alemanha, pensou: “bom pra eles”. Ótimo pra eles, verdade, mas bom pra literalmente todo o mundo. O fato de serem orquestras de rádio faz com que registrem tudo o que tocam. O fato dessas rádios serem públicas faz com que disponibilizem seu valioso material com comovente liberalidade. Note: para o planeta inteiro, graças à internet.

Abaixo, apresento as principais orquestras de rádio da Alemanha, recomendo um disco de cada uma delas e, quando disponível, aponto para um concerto no YouTube. Desde já sugiro que você assine os canais delas todas. É gratuito, mas eu pagaria bem mais que dezoito euros por tudo isso. Fácil.

Frankfurt

Ah, a hr! A Orquestra da Rádio de Frankfurt, oficialmente hr-Sinfonieorchester, é a queridinha dos usuários do YouTube – ou seja, toda a população mundial. Se você gosta de música clássica e não reconhece o acorde que inicia todos os vídeos da hr, está muito errado. A orquestra, ligada à Hessischer Rundfunk (Radiodifusão do Hesse), é a que melhor trabalha sua presença online no mundo. No mundo! A maior parte dos seus concertos está disponível na íntegra em seu canal no YouTube, captados em gloriosos 4K, com direção de imagem e áudio impecáveis. E tudo de graça mesmo para quem não é alemão e não contribui para o Beitragsservice. A vida pode ser boa, olha só!

Ajuda que a orquestra é fabulosa. Ela foi fundada nos anos 1930 pelo célebre regente Hans Rosbaud e começou uma carreira discográfica internacional nos anos 1970 e 80 quando associou-se ao israelense Eliahu Inbal. Hoje é regida pelo francês Alain Altinoglu. Se você for ao YouTube deles (por favor, vá), vai reparar na presença constante do colombiano Andrés Orozco-Estrada – era ele o titular até pouco tempo.

Schmidt
Sinfonias nos. 1, 2, 3 e 4

Orquestra da Rádio de Frankfurt
Paavo Järvi, regente
Deutsche Grammophon

Lutoslawski
Concerto para orquestra

Orquestra da Rádio de Frankfurt
Krzysztof Urbański, regente
https://youtu.be/7lwCIK7uENM

Munique

Se a Orquestra da Rádio de Frankfurt é o amor dos internautas, o coração dos colecionadores de discos mora ao sul: Munique, a sede da Orquestra da Rádio Bávara (Symphonieorchester des Bayerischen Rundfunks), uma das duas orquestras mantidas na cidade pela BR, a Bayerischen Rundfunk (Radiodifusão Bávara). A outra é a Orquestra da Rádio de Munique (Münchner Rundfunkorchester), especializada em clássicos light, concertos para a juventude etc.

A BRSO, na sigla em inglês, era lendária já no nascimento – seu primeiro regente foi Eugen Jochum, que tomou para si o desafio de torná-la de primeira linha em pouco tempo. Conseguiu. A orquestra ficou mesmo fantástica, assinou contratos com grandes gravadoras e conquistou definitivamente seu lugar no panteão da discografia, ao se associar com nomões como Rafael Kubelík, Colin Davis e Mariss Jansons. O regente atual é Simon Rattle. É, os bávaros não brincam em serviço.

No YouTube da BRSO você não vai encontrar muito mais que teasers dos próximos concertos da orquestra. O lance deles continua sendo discos. Eles hoje têm a própria gravadora, a BR-Klassik, e seus álbuns estão disponíveis em todas as plataformas de streaming.

Janácek
Missa glagolítica

Orquestra da Rádio Bávara
Rafael Kubelík, regente
Deutsche Grammophon

Hamburgo

A NDR (Norddeutscher Rundfunk, Radiodifusão do Norte da Alemanha) mantém duas orquestras. Uma está em Hanôver (a NDR Radiophilharmonie) e a outra, mais conhecida, está em Hamburgo (a NDR Elbphilharmonie Orchester, que você pode chamar de Orquestra da Rádio de Hamburgo, mas que colecionadores de discos conhecem por NDR mesmo).

Impossível desassociar a NDR (a orquestra) de duas coisas: a magnífica e futurística sala de concertos inaugurada nas margens do Rio Elba em 2017, a Elbphilharmonie; e os não menos magníficos oito anos em que foi regida por Günter Wand, quando a orquestra ficou famosa.

Tanto a NDR (a emissora) quanto a Elbphilharmonie têm canais muito ativos no YouTube. Fique atento às transmissões ao vivo – elas são frequentes (e maravilhosas). Material mais antigo, principalmente da época de Wand, é resgatado com frequência. São registros muito valiosos. Hoje o regente principal é o americano Alan Gilbert, que você vai se cansar de ver se assinar o canal, clicar no sininho, essas coisas todas (e você deveria!).

Brahms
Sinfonias nos. 1, 2, 3 e 4

Orquestra da Rádio de Hamburgo
Günter Wand, regente
RCA

Dvorák
Concerto para violoncelo e orquestra
Gautier Capuçon, violoncelo
Orquestra da Rádio de Hamburgo
Alan Gilbert, regente

https://youtu.be/2SKMuOjQ7VI

Berlim

A capital alemã tem, por óbvias razões históricas, duas orquestras de rádio mantidas por duas emissoras diferentes. A RBB (Rundfunk Berlin-Brandenburg, Radiodifusão de Berlim e Brandemburgo) mantém no lado oeste da cidade a Deutsches Symphonie-Orchester Berlin, a Orquestra Sinfônica Alemã de Berlim. Ao leste, a Deutschlandradio (Rádio da Alemanha) toca a Rundfunk-Sinfonieorchester Berlin, literalmente a Orquestra da Rádio de Berlim. Infelizmente nenhuma das duas é ativa no YouTube.

A DSO, como é conhecida hoje, surgiu logo após a Segunda Guerra como a orquestra da RIAS (Rundfunk im amerikanischen Sektor, Radiodifusão do Setor Americano). A RIAS foi a mais gravada orquestra alemã dos primeiros anos após a Segunda Guerra: o dinheiro americano se aliou ao talento do regente húngaro Ferenc Fricsay para tornar o acrônimo RIAS famoso no mundo todo (o nome da orquestra foi trocado pouco depois do fim da ocupação americana; curiosamente o da rádio manteve-se até a reunificação).

Rachmaninoff
Concerto para piano e orquestra no. 3

Martha Argerich, piano
Orquestra Sinfônica Alemã de Berlim
Riccardo Chailly, regente
Decca

Colônia

A WDR (Westdeutscher Rundfunk, Radiodifusão do Oeste da Alemanha) tem duas orquestras na mesma cidade, Colônia. Uma, a WDR Funkhausorchester Köln, é especializada em música mais popular, trilhas de filmes e opereta. Outra, a WDR Sinfonieorchester Köln, a.k.a. Orquestra da Rádio de Colônia, é a orquestra de repertório sinfônico tradicional. Ambas estão no YouTube, juntas no canal bastante ativo da WDR, a emissora.

A orquestra de Colônia ficou associada à música mais experimental do século 20, o que revela que menor dependência do público (venda de ingressos, discos etc) pode gerar certa liberdade de atuação – o que não é mau.

Mahler
Canções das crianças mortas

Thomas Quasthoff, baixo-barítono
Orquestra da Rádio de Colônia
Gary Bertini, regenteCapriccio

Berlioz
Sinfonia fantástica

Orquestra da Rádio de Colônia
Andris Poga, regente

https://youtu.be/6Vig21a2lyI

Stuttgart

Os cidadãos de Stuttgart (estugardenses? estugárdios?) gostam de carros bem rápidos (a Mercedes-Benz e a Porsche têm sede lá) e de regentes excêntricos. A Orquestra da Rádio de Stuttgart (SWR Symphonieorchester) está associada a figuras como o romeno Sergiu Celibidache, o inglês Roger Norrington e agora o grego Teodor Currentzis – todos músicos um bocado amalucados e bem distantes da “normalidade” que o mundinho da música clássica imagina. Em Stuttgart, aparentemente, os diferentes são os mais apreciados!

O canal da SWR (Südwestrundfunk, Radiodifusão do Sudoeste) no YouTube é bem fornido de registros integrais de concertos e vale muito a pena acompanhar.

Schubert
Fantasia “Wanderer” (arr. Charles Koechlin para piano e orquestra)

Florian Hölscher, piano
Orquestra da Rádio de Stuttgart
Heinz Holliger, regente
Hänssler Classic

Bruckner
Sinfonia no. 5

Orquestra da Rádio de Stuttgart
John Storgards, regente

Plural – Orquestras de rádio

https://youtu.be/7IPqiq7nTgs

Leipzig; Saarbrücken

Para encerrar, as orquestras menos famosas da lista. Na histórica cidade de Leipzig, no leste, a MDR (Mitteldeutscher Rundfunk, Radiodifusão do Centro Alemão) mantém a Orquestra da Rádio de Leipzig (MDR-Sinfonieorchester), que compartilha a Gewandhaus com a bem mais célebre orquestra que leva o nome da sala.

Em Saarbrücken, no extremo ocidental do país, a SR (Saarländischer Rundfunk, Radiodifusão do Sarre) mantém a Orquestra da Rádio de Saarbrücken (oficialmente Deutsche Radio Philharmonie Saarbrücken Kaiserslautern; note que a cidade vizinha está no nome).

Vale ficar atento ao YouTube da orquestra – concertos na íntegra pipocam ali com alguma frequência.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é bruckner-2.jpg

Bruckner
Sinfonias nos. 00, 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9

Orquestra da Rádio de Saarbrücken
Stanislaw Skrowaczewski, regente

Oehms Classics

Mendelssohn
Concerto para violino e orquestra

Karen Gomyo, violino
Orquestra da Rádio de Saarbrücken
Pietari Inkinen, regente

https://youtu.be/-LbyQL3J8tY

Este texto faz parte do projeto Wunderbar, uma parceria do Plural com o Goethe Institut para celebrar os 50 anos do instituto em Curitiba.

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds