25 jan 2022 - 14h28

Seis vídeos para conhecer a música de Bach

Cantatas, suítes, concertos… Como entrar na maravilhosa obra de Johann Sebastian Bach

É comum que o alemão Johann Sebastian Bach (1685-1750) seja considerado o maior compositor de todos os tempos. Maior nome do barroco, mestre do contraponto e da fuga, Bach criou verdadeiros monumentos, obras que há 300 anos vêm sendo ouvidas e estudadas.

Ao mesmo tempo, a imponência e a distância temporal podem ser obstáculos para que o ouvinte de hoje pense em conhecer o que ele compôs – uma pena, em vários sentidos. Por isso. oPlural preparou uma lista de vídeos para você conhecer aos poucos alguns caminhos que podem levar você a ser mais um fã desse grande músico.

A voz humana

Bach compôs centenas de cantatas. São peças para coro e orquestra, que ele escrevia para serem apresentadas normalmente na igreja. Os temas quase sempre são extraídos da Bíblia e o coral se alterna com trechos dedicados a cantores solistas.

Algumas cantatas fazem parte de conjuntos, como é o caso da que serve de exemplo aqui: o Oratório de Natal, feito para ser executado em seis dias específicos perto do Natal. A música, como você vai perceber, é imponente, mas é principalmente cheia. de alegria, de exultação. Mesmo quem não é religioso pode sentir a felicidade que Bach estava tentando transmitir.

Introspecção

O oposto das grandes obras para coral e orquestra talvez sejam as peças que Bach escrevia para instrumento solo. Um dos grandes momentos de delicadeza da música ocidental vem de uma série de peças que ele compôs com base nesta Ária. Originalmente a composição é para cravo, mas aqui você escuta. ao piano, com o grande Lang Lang.

Virtuosismo instrumental

Uma das peças mais conhecidas para instrumento solo de Bach foi escrita para o violino. A Chacona é um tipo de música em que um pequeno trecho segue sendo repetido várias vezes, mas com modificações que vão levando a ideia original cada vez mais longe. E esta chacona para violino é um dos grandes momentos do repertório. de qualquer violinista.

Todos os timbres

Existem pelo menos dois conjuntos. de peças de Bach para grandes grupos de instrumento sem voz. Um são as Suítes orquestrais. E certamente você conhece esta Ária.

O outro são os Concertos de Brandemburgo, uma série de seis concertos que são uma aula de harmonia e de mistura de timbres.

O mestre das fugas

Não é à toa que a primeira coisa que muita gente associa ao nome de Bach são as fugas. Ao contrário do que aconteceria mais tarde (classicismo, romantismo), Bach compunha sua música não com acordes, mas com a sobreposição de diversas linhas melódicas. A técnica de harmonização dessas linhas se chama contraponto. E a fuga acontece quando uma das linhas apresenta o tema e as outras seguem atrás. Existem centenas de exemplos. Aqui fica a Invenção 4, um exemplo simples mas sensacional.

Esse texto é parte da parceria entre o jornal Plural e o Goethe Institut para celebrar os 50 anos da chegada do instituto a Curitiba.

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds