20 out 2021 - 10h41

“Nasci vegetariana – num mundo carnívoro”: livro reúne crônicas sobre evolução do vegetarianismo

Jornalista curitibana Simone Mattos conta situações embaraçosas, engraçadas e surpreendentes

A jornalista e escritora curitibana Simone Mattos acaba de lançar “Nasci Vegetariana – num mundo carnívoro”, livro que reúne crônicas de situações embaraçosas, engraçadas e surpreendentes em sua jornada pela alimentação livre de carne animal.

Com bom humor e sem pregação, Simone explica a evolução do vegetarianismo no Brasil a partir das próprias experiências. “Nas crônicas eu relato os apuros que passei em uma época que nem os termos ‘vegetarianismo’ e ‘veganismo’ eram falados. Não existiam opções, nem restaurantes e as pessoas não entendiam aquele meu ‘hábito estranho de não comer carne’”, explica a autora.

Quando criança, Simone não tinha escolha: ela comia carne em casa com “grande sacrifício” porque nenhum membro da sua família era vegetariano. “Eu não gostava mesmo e, aos sete anos, comecei a ter a sensação de que os bichinhos não eram para comer, mas para brincar”, relembra.

Aos 12 anos, ela deu seu “grito de liberdade”: avisou os familiares que nunca mais comeria carne. “A primeira pessoa vegetariana que conheci foi aos 18 anos, na faculdade. Ou seja, passei infância e adolescência lutando sozinha. O meu gosto era diferente do das outras pessoas, o que me colocou diante de um dilema existencial”, relembra, divertida, a autora.

No livro, Simone explica o que era ser vegetariano nas décadas passadas, relembra os primeiros restaurantes do gênero em Curitiba e conta a influência que teve para a criação da primeira versão vegetariana de uma famosa batata suíça da cidade.

“Eu comecei a pensar que tenho tantas histórias para contar e os jovens, principalmente colegiais e universitários, nem tem a ideia do que era ser veg anos atrás. Então resolvi contar essas histórias para divertir e mostrar que hoje em dia é muito fácil mudar o cardápio”, garante.

No início da pandemia, Simone deu mais um passo e se tornou vegana. “Foi um momento de profunda reflexão. É um passo tão curto, mas eu tinha resistência porque achava que não ia conseguir viver sem laticínios. Nunca gostei de leite e ovos, mas achava que alguns laticínios iam fazer falta. Hoje posso dizer que não é assim”, afirma.

A obra conta também com depoimentos de familiares e amigos, como o advogado Diogo Busse e a chef Gabriela Carvalho, do Quintana Restaurante, além da participação de membros da Sociedade Vegetariana Brasileira.

O livro custa R$ 45 e está à venda na loja online da editora InVerso. Neste sábado (23), das 10h às 12h, a autora realiza uma sessão de autógrafos na loja do Museu Oscar Niemeyer, no Centro Cívico.

Serviço:

“Nasci vegetariana – num mundo carnívoro”, de Simone Mattos. À venda na loja virtual da editora: www.editorainverso.com.br

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Radiocaos Convescote

Neste episódio os textos e ideias prazerosas de Otto Leopoldo Winck, William Cruzoé Teca, Guilherme Zarvos, Sergio Viralobos, Edilson Del Grossi, Gabriele Gomes, Bernardo Pellegrini, Amarildo Anzolin, Francisco Cardoso de Araujo, Marielle Loyola, Flavio Jacobsen, Maurício Popija, Adriano Samniotto, Leonard Cohen, Wally Salomão, Natalia Barros, Trin London, Daniel Quaranta, Marcelo Brum-Lemos, Michel Melamed, Julio Cortazar, Mauricio Pereira, entre outros não menos alvissareiros.

Redação Plural.jor.br