Top
CondorDepoimentosForças ArmadasOperação CondorRepressãoVPR

REVELAÇÕES DE DOIS MILITANTES DA VPR QUE PASSARAM PRO LADO DA REPRESSÃO (PARTE 1)

Compartilhe:

http://pt.scribd.com/doc/133062649/Madalena-Gilberto2

Revelações de Gilberto Giovanetti e Madalena Lacerda, dois ex-militantes da Vanguarda Popular Revolucionária que passaram a trabalhar para a repressão após terem sido presos por agente do Centro de Informações do Exército.

Madalena trabalhou no início da década de 60 como secretária da Frente Parlamentar Trabalhista. Em 1970 treinou guerrilhas em Cuba e foi companheira de Eudaldo Gomes da Silva, militante da VPR trocado pelo embaixador alemão e assassinado em janeiro de 1973 na emboscada montada pelo cabo Anselmo. Madalena, que usava o nome de guerra de Ana Barreto Costa, retornou ao Brasil em 1970, após acertar durante sua passagem pela Argélia uma forma de fazer contato com Onofre Pinto, que havia conhecido em Cuba. Em janeiro de 1973 esteve no Chile, voltando lá em maio e junho do mesmo ano.

A 13 de julho de 1974, ao descerem na rodoviária de Curitiba, Madalena e Gilberto foram levados para um sítio no interior de Goiás e lá fizeram um pacto com os militares.

http://pt.scribd.com/doc/133060533/Madalena-Gilberto2

Revelações de Gilberto Giovanetti e Madalena Lacerda, dois ex-militantes da Vanguarda Popular Revolucionária que passaram a trabalhar para a repressão após terem sido presos por agente do Centro de Informações do Exército.

Madalena trabalhou no início da década de 60 como secretária da Frente Parlamentar Trabalhista. Em 1970 treinou guerrilhas em Cuba e foi companheira de Eudaldo Gomes da Silva, militante da VPR trocado pelo embaixador alemão e assassinado em janeiro de 1973 na emboscada montada pelo cabo Anselmo. Madalena, que usava o nome de guerra de Ana Barreto Costa, retornou ao Brasil em 1970, após acertar durante sua passagem pela Argélia uma forma de fazer contato com Onofre Pinto, que havia conhecido em Cuba. Em janeiro de 1973 esteve no Chile, voltando lá em maio e junho do mesmo ano.

A 13 de julho de 1974, ao descerem na rodoviária de Curitiba, Madalena e Gilberto foram levados para um sítio no interior de Goiás e lá fizeram um pacto com os militares.

Compartilhe:

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *