PERSEGUIÇÃO AOS BISPOS E PADRES PROGRESSISTAS EM MINAS GERAIS

Compartilhe:

 

Em 1972, o Centro de Informações da Marinha – Cenimar, solicita ao DOPS de Minas Gerais uma ampla investigação sobre as atividades do Equipo de Docentes da América Latina – Edal.

Segundo publicações do Edal, o movimento “consiste  de equipes cristãos de educadores que trabalham preferentemente na Escola Pública, buscando contribuir os esforços na promoção de uma educação  de qualidade ao alcance de todos(as)”.

O Edal nasceu na França, ao finalizar a Segunda Guerra Mundial. Jóvens mestras, junto ao seu assessor, el Padre Michel Duclercq, sentiram a necessidade de ter um espaço para refletir seu atuar docente e cristão.

Esse posicionamento, aliado às novas posições adotadas após as Conferencias de Medellín e Puebla assustaram os militares contaminados pelo anticomunismo.

A partir de 1970 começam a surgir na Igreja Católica lideranças progressistas que entraram em choque com os militares, instalados na administração do país desde 1964, por estarem pondo em prática idéias advindas do Vaticano II, e das Conferências Latino Americanas de Medellín e Puebla.

Os documentos anexados traçam um roteiro de perseguição às atividades do Edal em Minas Gerais e fazem parte do Arquivo DOPS do Estado de Minas.

Descrição da PastaPasta: 1230
Rolo: 027
Data: mar. 1968 – dez. 1968
Imagens: 43

 

 

Compartilhe:

Aluizio Palmar

Os documentos dos arquivos da ditadura devem ser vistos com o olho crítico da dúvida, pois foram escritos por pessoas treinadas para mentir, contrainformar, caluniar, prender, torturar e matar.
Espero que Documentos Revelados contribua para a compressão dos acontecimentos das décadas passadas, dos métodos de controle usados pelo Estado Policial e estimule os visitantes a ter um compromisso ativo com a democracia.
Documentos Revelados é resultado de anos de garimpagem em arquivos públicos e particulares, de caixas e pastas, repletas de mandados de prisão, informes,radiogramas, ofícios, dossiês,relatórios e outros tipos de documentos produzidos pela burocracia policial.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *