Top
CensuraCULTURALForças ArmadasImprensa

PERSEGUIÇÃO À INTELECTUAIS PROGRESSISTAS AUTORES DE LIVROS COM ABORDAGEM CIENTÍFICA DA REALIDADE BRASILEIRA

Compartilhe:

Info 053/S – 102

Ministério do Exército

CIE 19 de julho de 1077

Documento emitido pelo Centro de Informações do Exercito sobre a Coleção  Brasil História, publicado pela Editora Brasiliense

O período compreendido entre 1974 e 1985 foi marcado, no campo da edição de livros, pelo surgimento ou revitalização de  editoras com perfil nitidamente político e ideológico de oposição ao governo ditatorial. Compunham um universo que englobava desde editoras já estabelecidas, como Civilização Brasileira, Brasiliense, Vozes e Paz e Terra, até as surgidas naquele período, c.omo Alfa-Ômega, Global, Codecri, Brasil Debates, Ciências Humanas, Kairós, Livramento, Vega, entre outras. Algumas dessas editoras mantinham vínculos estreitos com partidos ou grupos políticos oposicionistas, caracterizando-se como editoras de oposição engajadas; outras não estabeleciam vinculações políticas orgânicas ou explícitas mas, por seu perfil e linha editorial, representaram iniciativas políticas de oposição. Minha hipótese é de que o surgimento ou a revitalização das editoras de oposição no período em foco, em particular as que classifico como engajadas, teve como motor principal os objetivos políticos a que elas visavam

Compartilhe:

Arquivos para download:

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *