A QUEDA DA ÁREA TÁTICA QUE A VPR PREPARAVA PARA RECEBER CARLOS LAMARCA

Compartilhe:

http://pt.scribd.com/doc/139003515/Apreensao-de-Armas

PESQUEIRA IPM JUNTADO1

No Rio Grande do Sul, logo no início de abril de 1970, a repressão  desmantelou a a “Área Tática” , que a Vanguarda Popular Revolucionária construía, na Barra do Rio Turvo, município de 3 Três Passos,. na ocasião foram presos inúmeros militantes que integravam a “Sociedade Pesqueira Alta Uruguai Ltda.”, que servia como “fachada” da Resistência à Ditadura.

Com a queda da área Tática, a VPR perdeu a estrutura que vinha montando para receber o capitão Carlos Lamarca e que serviria como apoio para futuras ações armadas.

O Inquérito Policial Militar é uma peça escrita no decorrer no processo montado pela ditadura. Seus documentos são de autoria dos membros do Tribunal Militar, e portanto são a visão do opressor e seus mecanismos jurídicos. Apesar de que devem ser lidos com uma visão crítica, são elementos para entender o período e os esforços da militância antiditatorial.

 

 

Compartilhe:

Arquivos para download:

Aluizio Palmar

Os documentos dos arquivos da ditadura devem ser vistos com o olho crítico da dúvida, pois foram escritos por pessoas treinadas para mentir, contrainformar, caluniar, prender, torturar e matar.
Espero que Documentos Revelados contribua para a compressão dos acontecimentos das décadas passadas, dos métodos de controle usados pelo Estado Policial e estimule os visitantes a ter um compromisso ativo com a democracia.
Documentos Revelados é resultado de anos de garimpagem em arquivos públicos e particulares, de caixas e pastas, repletas de mandados de prisão, informes,radiogramas, ofícios, dossiês,relatórios e outros tipos de documentos produzidos pela burocracia policial.

Você também pode gostar...

2 comentários

  1. Aluízio Palmar

    Informo que sou filho de pai pertencente ao grupo dos onze aqui no oeste do RS. Como eu era, à época, militar de carreira do Exército, também fui perseguido e coagido a deixar a profissão de militar. Já na vida civil, a perseguição continuou ainda mais presente e feroz. Somente quem, como eu, viveu uma situação destas pode conhecer a verdade do que efetivamente a ditadura militar fez com seus opositores e familiares. Eu nunca fui contra as atividades dos militares. Eu me opus, é verdade, abertamente contra a ingerência dos militares na atividade politica da República, ou seja, contra o golpe militar. Abraços. Luiz Nicola Vieira

    1. Nicola, foi instalado um MONUMENTO EM HOMENAGEM AOS MILITARES PERSEGUIDOS, INAUGURADO NA CINELÂNDIA, EM FRENTE AO CLUBE MILITAR, NO DIA 08 DE SETEMBRO DE 2015, ÀS 15:00! Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta para Aluizio Palmar Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *