Top
Forças Armadas

A mentira da Segunda Seção do Exército desmascarada

O ano de 1973 foi marcado pelo recrudescimento das ações repressivas da ditadura civil-militar. Uma das organizações da resistência mais atingida foi a Ação Popular .

O documento anexado foi elaborado pela Segunda Seção do Exército é uma prova das mentiras oficiais da época da ditadura. O documento procura esconder por trás de suas falsidade a verdade acontecida com os militantes da Ação Popular no ano de 1972.

Esse documento originário de Recife circulou entre os órgãos da repressão política em outubro de 1973 e nele os militares dizem que Gildo Macedo Lacerda e José Carlos da Mata Machado, morreram durante um tiroteio naquela cidade. Ao mesmo tempo, segundo o documento mentiroso, Paulo Stuart Wright, foi ferido e conseguiu evadir-se.

Essa foi a informação passada para a imprensa após pressões do alto clero da Igreja católica.

Ação Popular (AP) foi um movimento político nascido em junho de1962, apartir de um congresso em Belo Horizonte, resultado da atuação dos militantes estudantis da Juventude Universitária Católica(JUC) e de outras agremiações da Ação Católica. A partir de seu segundo congresso, realizado em Salvador, a AP decidiu-se pelo “socialismo humanista”, buscando inspiração ideológica em Emmanuel Mounier, Teilhard de Chardin, Jacques Maritain e Padre Lebret. Teve uma vertente protestante, cujo representante mais conhecido foi Paulo Stuart Wright.

A VERDADE RESTABELECIDA

 Gildo Macedo Lacerda – MG – 1949 – estudante de Economia.

Preso em outubro de 1973 em Salvador, Bahia. Sua morte foi noticiada em novembro do mesmo ano pelos órgãos da repressão. Seu corpo nunca foi devolvido a família.

José Carlos Novaes de Mata Machado – RJ- 1946 – estudante de Direito. Líder estudantil, vice presidente da UNE, dirigente da AP.

Seu assassinato foi testemunhado por Fernanda Gomes de Matos e Melânia Almeida Carvalho, na madrugada de 28 de setembro de 1973.

O corpo foi entregue a família em 15 de novembro em caixão lacrado.

  Paulo Stuart Wright – SC – 1933

Sociólogo, deputado estadual, dirigente da AP, desapareceu em 5 de setembro de 1973

Compartilhe:

1 comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *