Top
Foz do IguaçuParaguaiParaguaios

Ditaduras: Incubadoras de delatores (Parte1)

Compartilhe:

As democracias podem ser imperfeitas, mas as ditaduras são monstruosas. Como não suportam a pluralidade das opiniões e as críticas que clamam por liberdade, as ditaduras facilmente inventam bruxas para justificar o regime de exceção.

Durante as ditaduras militares na América Latina tivemos uma excelente safra de dedos-duros. Alguns exerciam a função gratuitamente, não pretendiam prêmios nem vantagens, delatavam por amor à arte de delatar. Outros, certamente a maioria, delatavam para ganhar alguma coisa: penas menores em certos casos, dinheiro vivo em outros casos.

Com certeza a delação sempre foi um poderoso instrumento de sustentação dos regimes totalitários. Documentos Revelados vai expor alguns casos documentados para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça.

 

“No olvide este nombre”

Mexendo nos arquivos das ditaduras a gente encontra cada coisa! No Arquivo do Terror, em Assunção, foi descoberta uma carta de um sujeito rasgando elogios aos chefes da polícia política e por fim o cara diz aos comandantes da repressão da ditadura do General Stroessner que focassem sua atenção ao Lula “metalúrgico”,

Carta enviada por Juan Omar Wafali ao General Alberto Cantero, Diretor de Política e Afins, do Departamento de Investigações do Paraguai.

Nessa carta o Wafali afirma possuir muitas informações que podem ajudar a desbaratar os movimentos de oposição. Após reclamar que os funcionários subalternos da polícia não lhe dão atenção e para mostrar sua disposição de espionar para a ditadura, Omar Wafali escreve no post-scriptum:

“NO OLVIDE ESTE NOMBRE. (LULA) brasileiro y quién lo acompaña, es secretario  metalúrgico, si lo acierto, que fue trabajar em Nicarágua e de ahí fueran a Cuba. Puedem confirmar si es cierto que ocorrio quando vino. Ruego que tenga em cuenta esta información.”

 

Ofício Secreto

Outro documento relacionado a dedo-duro é um ofício encontrado no Arquivo Público do Paraná, fundo Delegacia de Ordem Política e Social. No ofício assinado pelo Delegado de Polícia de Foz do Iguaçu e encaminhado ao diretor do DOPS, o chefe de polícia de Foz comunicou  “em caráter SECRETO E CONFIDENCIALMENTE” que foi procurado por um cidadão de nacionalidade paraguaia que entregou seus compatriotas, contando sobre as reuniões, conspirações, etc

 

Documento 1

00188F2258 PAG 144

00188F2259 PAG 145

00188F2260 PAG 146

 

Documento 2

Delegacia de Ordem Política e Social

Cópia de Ofício Secreto da 14 Delegacia Regional de Polícia de Foz do Iguaçu

Compartilhe:

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *