Folha de S.Paulo noticia morte de Aluízio Palmar

Compartilhe:

Os órgão de repressão eram ardilosos. Plantavam notícias na imprensa visando desnortear as organizações da resistência à ditadura.

Noticiaram a fuga de Eduardo Leite -Bacuri, comandante do Movimento Revolucinario Tiradentes, quando ele estava sendo torturado. Era a contrainformação mentindo. O dirigente da Vanguarda Popular Revolucionária, Aluízio Palmar,  era procurado pela repressão em território nacional.

Buscado no exterior e no Brasil, ele não era localizado. Palmar  saiu da prisão em 1971, trocado pelo embaixador da Suiça no Brasil, juntamente com outros 69 presos políticos. Foi enviado para o Chile e de lá desapareceu não deixando pistas. Sua missão exigia uma rigorosa clandestinidade. A notícia de sua morte plantada nos jornais Folha de São Paulo e Jornal do Brasil tinha dois objetivos. Um era que Palmar relaxasse em sua segurança e outra que seus familiares ficassem desesperados e procurassem contatos, abrindo assim pistas para a repressão localizá-lo.

Compartilhe:

Aluizio Palmar

Os documentos dos arquivos da ditadura devem ser vistos com o olho crítico da dúvida, pois foram escritos por pessoas treinadas para mentir, contrainformar, caluniar, prender, torturar e matar.
Espero que Documentos Revelados contribua para a compressão dos acontecimentos das décadas passadas, dos métodos de controle usados pelo Estado Policial e estimule os visitantes a ter um compromisso ativo com a democracia.
Documentos Revelados é resultado de anos de garimpagem em arquivos públicos e particulares, de caixas e pastas, repletas de mandados de prisão, informes,radiogramas, ofícios, dossiês,relatórios e outros tipos de documentos produzidos pela burocracia policial.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *