Top
Forças ArmadasGeralMinistériosPolícia Federal

EM DECLARAÇÃO DE PRÓPRIO PUNHO, CAPITÃO BOLSONARO VOLTA ATRÁS APÓS ANUNCIAR INTENÇÃO DE PRATICAR ATOS TERRORISTAS

Compartilhe:

Uma reportagem publicada na revista Veja, em 25 de outubro de 1987, provocou irritação no Estado Maior das Forças Armadas – EMFA, movimentou o Centro de Informações do Exército -CIE e tirou o sono do capitão Jair Bolsonaro.

Na matéria que a revista semanal publicou,  e irritou a alta oficialidade, o capitão Bolsonaro revelou minuciosamente, com desenhos e gráficos, seu plano de colocar bombas na Vila Militar, na Academia Militar das Agulhas Negras e em quartéis do Rio de Janeiro, além de explodir a Adutora do Guandu, que abastece de água potável a cidade do Rio de Janeiro.

Segundo Bolsonaro, essas ações faziam parte de uma tal de “Operação Beco Sem Saída” , que teria como objetivo “mostrar a insatisfação da tropa com os baixos salários”.

Bolsonaro foi intimado a comparecer ao Gabinete do Comandante da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais  – EsAO, e após tomar conhecimento das punições que poderia receber, escreveu uma declaração  negando tudo que havia dito na entrevista, acrescentando que nem conhecia a jornalista Cássia Maria.

Apesar de suas negativas, as evidências como o croqui feitos à mão pelo próprio Bolsonaro, mostrando a adutora de Guandu e o rabisco de uma carga de dinamite, detonável por intermédio de um mecanismo elétrico instalado num relógio, incriminaram o capitão.

Compartilhe:

Arquivos para download:

1 comment

  1. Marco Santos 23 janeiro, 2019 at 14:39 Responder

    Fico me perguntando: Porquê esse fascista conseguiu superar toda essa “situação irregular” (práticas terroristas)), se eleger parlamentar por vários banos e , agora, presidente da república SEM nenhuma punição / processo militar ou cívil ?

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *