Top
GeralPolícia FederalRepressão

DOSSIÊ COM 177 PÁGINAS ELABORADO PELA POLÍCIA FEDERAL EM 1977

 

O dossiê é composto pelas pasta a e b. A pasta a se refere ao ano de 1977 e possui 177 folhas e a pasta b aos anos de 1978 a 1980 possui 202 folhas.
O mesmo é composto por solicitação de informações, ofícios, recortes de jornal, solicitação de antecedentes, relatórios confidenciais, cópia de inquérito policial, laudos do Instituto de Criminalística, informes, fotocópias de telegramas, relatório sobre movimento estudantil, lista de nomes, fotocópia do Boletim Poeira, do jornal Brasil Livre, de cunho subversivo e que trata especialmente da repressão no governo Geisel, oito fotos sem identificação, mas que em conjunto com documentos posteriores, indicam serem de um matadouro clandestino, no Umbará, autos de apreensão, termos de declaração, caderno do Ministério Público, pedidos de busca, fotocópia de recorte de jornal, fotocópias de radiogramas, de memorandos e fichas datiloscópicas e papeletas de serviço. Tratando dos seguintes assuntos: apreensão de armas em Umuarama, assembléias de estudantes, caderno do Ministério Público denominado Boletim Especial, onde constam os nomes de pessoas procuradas pela justiça da Vara do Júri de Curitiba, ano 1980, agente da PF infiltrado no movimento estudantil, que após ter sua casa invadida foi orientado a narrar em reunião do CBA-Curitiba o que aconteceu, que deveria demonstrar temor em divulgar à imprensa o ocorrido, após convencer o CBA foi afastado, porque já havia desconfiança de que o mesmo era um agente infiltrado, há um fotocópia do agente em reunião de estudantes no Politécnico,congresso nacional de médicos residentes, documento confidencial sobre o encontro de líderes do MDB em Londrina, com a presença de Álvaro Dias, Euclides Scalco, Jonas Leite Chaves, João Cunha, Olivir Gabardo, Mugiatti Filho, Antonio Face, Renato Bernardi, Vadenicio Gamalho, Sílvio Barros, José Richa, Valdir Pugliesi, Durval dos Santos, Mauro Labecalini, Umberto Alencar Filho, Carlos Alberto de Paulo, Antinio Vagarelli Filho, José Nascimento, José Gobson, Denis, Deliberador Neto, Olavo, João Sanches, Alencar Furtado e Oswaldo Macedo, documento informando sobre um esquema desenvolvido pelo Comitê Brasileiro pela Anistia em Curitiba para identificar agentes de orgãos de segurança infiltrados ou agindo nos meios, políticos, estudantis, operário, artísticos e outros, existem jornalista que estão trabalhando e fotografando os agentes, documento referente a programação denominada ‘Parcerias Impossíveis’ ou parcerias Inéditas, entre os nomes citados estão: João Saldanha, Paulinho Nogueira, Sérgio Ricardo, João Luiz Ferreti, Nhô Belarmino e Nhá Gabriela, Zélio Alves Pinto, irmão de Ziraldo, Fernando Henrique Cardoso, Luís Inácio da Silva, o Lula, Mauríco Tapajós, Paulo César Lima, Henrique de Souza Filho – Henfil, Cândido Hilário Garcia, Gláuber Rocha, Roberto Duailibi, Regina Duarte, memorando informando sobre furto na Copel em Londrina, documento relatando o culto ecumênico realizado no dia nacional da luta pela anistia, no auditório da igreja Nossa Senhora de Guadalupe, entre os presentes José Richa, Nilso Sguarezzi, Rubens Scalco, Ivan Ribas e Adahil Passos, anexo programa do evento, documentos informando nome dos indivíduos impedidos de sair do país, documento sobre a Missa das Crianças, em Goiânia, que em sua realização pelo padre Manoel Muller fez duras críticas ao governo, rasgou o folheto da missa, e exaltou Dom Helder Câmara e Pedro Casaldaliga, encontro do MDB Jovem,
informação sobre um cartaz com o dístico ‘O Brasil é feito por nós’, com as ‘implicações políticas e psicológicas’, pois apresenta um cruz gamada ou suástica, para o autor da análise, diz que o autor do dístico a produziu a partir de uma rara infelicidade ou foi fruto de um deliberado propósito de desmoralizar ou ridicularizar a imagem da revolução de 31 de março de 1964, informações sobre antecedentes dos estrangeiros, Phillippe Leddei, Herwing Opdebeeck, informe sobre a chegada de Stjepan Josep Bilntzic, vindo da Alemanha, com a finalidade de sequestrar o embaixador americano no Brasil, informe sobre o PTC, Partido dos Trabalhadores Cristãos, informes sobre atuação da UPES, inquérito policial por propaganda subversiva, produzida e distribuída por um grupo de universitários na capital, para o indiciamento dos estudantes, procedeu-se a partir da participação de uma assembléia realizada em maio de 1977 no Centro Politécnico, com distribuição de uma carta aberta, oito estudantes foram indiciados,latrocínio, laudo de exames em substâncias vegetais, cogumelo e maconha, lista de aprovados em concurso público para o cargo de investigador e agente da polícia federal,lista de nomes com pedido de informações de estrangeiros, de nacionalidades, argentina, colombiana, inglesa, espanhola, etíope, techa, alemã, israelense, ioguslava, portuguesa, italiana, panamenha, americana, francesa, belga, suiça, norueguesa, sueca, grega, colombiana e moçambicana, lista de nomes de pessoas atuantes no meio artístico paranaense, lista de nomes de pessoas eleitas nos DCE e DAS da PUC-PR, várias listas de nomes e solicitação de antecedentes, o movimento da Convergência Socialista, ocorrência frequentes incêndios em canaviais pertencentes a Usina Central do Paraná, em Porecatu, pedido de informações sobre os desaparecidos, Miguel Sáber Gabriel e Rosmena Martins Barbosa, posse do superintendente da polícia federal no Paraná, prisão do presidente do DARPP, Carlos Augusto de Oliveira, quarta jornada paranaense de enfermagem, relatório sobre movimento estudantil, do DACISA-UFPR e em Londrina onde participam as seguintes ‘facções’, MDB, Cooperativa de jornalistas do Paraná, Federação Independente de Teatro Amador do Paraná, Associação de Médicos Residentes de Londrina, Associação do Professores Licenciados do Paraná, Associação dos Professores de Londrina e Jornal Brasil Mulher, sobre elementos atuantes na imprensa paranaense ligados à subversão, entre eles, jornalistas da capital e do interior, donos de jornal, presidentes de sindicatos, nessa folha há dois nomes riscados com giz de cera azul, não conseguindo identificação dos nomes, além desses documentos, há outro também denominados ‘atividades subversivas na imprensa’, que cita todos os jornais da capital e interior e relata que o jornal O Estado do Paraná e Folha de Londrina, são considerados de conteúdo político agressivo ao governo, lista todos os jornalistas e seus antecedentes políticos-sociais, solicitação de informações sobre aluno da FUEL, solicitação de informações sobre uma lista de nomes para constar na especializada, os sobrenomes investigados são, Fachin, Novaes, Bosquo, Silvestre, Cury, Vale, Pires, Schrappe, Arns, Labsch, Eiederkehr, Tate, Hauer, Espírito Santo e Bergan, telefonemas anônimos com ameaças de sequestro cujo o resgate seria remessa de café para o Paraguai, tentativa de roubo ao bando Mercantil de São Paulo e tráfico de entorpecentes em Paranavaí.

Compartilhe:

Arquivos para download:

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *