Top
Depoimentos

DISSERTAÇÕES E TESES SOBRE A DITADURA MILITAR

Ditadura Militar e a Propaganda Politica

A Revista Manchete durante o governo Medici

Ricardo Constante Martins 

http://pt.scribd.com/doc/223885878/Disserta-o-de-Mestrado-Ricardo-Constante-Martins-1

 

O Caso Bauangarten e a crise  ditadura

Lauriani Porto Albertini

http://pt.scribd.com/doc/223885954/MONOGRAFIA-1

 

Formação e trajetória do MR8 RJ, nas memorias de Aluízio Palmar

Thomaz Joezer Herlerl

http://pt.scribd.com/doc/223885934/Historia-Oral-Aluizio

Todo o Leme a Bombordo – Área de História – UFF

Anderson da Silva Almeida

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1380.pdf

O ressurgimento do movimento estudantil universitário gaúcho no processo de redemocratização: as tendências estudantis e seu papel (1977/1985)

D Vechia, R da Silva – 2011 – repositorioceme.ufrgs.br
O presente trabalho busca resgatar o papel que as tendências estudantis tiveram no
processo de rearticulação do movimento estudantil durante a redemocratização do Brasil.
Ao longo dos anos os estudantes vivenciaram inúmeros momentos de protagonismo, ..

http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/32809/000786827.pdf?sequence=1

UESB – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

– Título do projeto: MEMÓRIA GERACIONAL E POLÍTICAS EDUCACIONAIS
Equipe: Profa. Dra. Lívia Diana Rocha Magalhães (docente responsável)
Descrição do projeto:
O projeto temático tem como objetivo mapear e eleger um conjunto de experiências  sociais que antes, após ou, até mesmo, durante a ditadura atribuíam ao Estado, e reivindicavam deste, a responsabilidade em relação às  políticas de direito, de restituição de perdas e de desvelamento de histórias e  de biografias marginalizadas  para a construção de uma  dada concepção de escola e de  sociedade. Não estamos falando propriamente de políticas governamentais, mas de proposições  que nasceram no seio da escola, no seio da sociedade. Da ditadura militar  até o tempo presente, que  direções essas experiências e reindicações tomaram? Tudo indica que as mesmas permanecem vivas, por meio de memórias individuais, coletivas, geracionais, sociais, públicas, entre outras, e continuam incidindo sobre a sociedade, por meio da memória daqueles que   compartilharam experiências comuns, similares, contextuais ou existenciais. O  problema central da pesquisa é mostrar como estas memórias estão sendo recuperadas e como  seus  usos estão sendo apropriados no tempo presente, tanto por aqueles que participam da vida comum, como por aqueles que chegaram ao poder.  Os temas eleitos serão estudados à luz das discussões sobre o argumento geracional, incorporando outros conceitos que possibilitem a construção de um conhecimento contrastado sobre as temáticas eleitas, mas sujeitos a um método comum de análise. Método esta que  não dispensa as múltiplas relações das manifestações do  fenômeno, ou seja, abrigados, sobretudo, por uma abordagem dialética.

http://www.uesb.br/ppgmemorials/conteudo.php?pagina=cultura-educacao

UFBA – Universidade Federal da Bahia
– Há linhas de pesquisa que permitem um estudo sobre as Comissões da Verdade no área de Sociologia (Violência, Segurança Pública e Direitos Humanos) embora não haja nenhum registro de dissertações ou teses que tratem especificamente das Comissões da Verdade. http://www.ppgs.ufba.br/main.asp?view=pagina&id=61

UFC – Universidade Federal do Ceará

Mestrado ALÉM DAS ARMAS: Guerrilheiros de Esquerda no Ceará durante a Ditadura Militar (1968-72) Autor: José Aírton de Farias/ Data da Defesa: 16.03.2007

Descrição: O presente trabalho tem como objeto os guerrilheiros de esquerda – sobretudo da ALN (Ação Libertadora Nacional) e PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário) – no Ceará durante a Ditadura Militar, precisamente entre 1968 e 1972. Interpreta suas trajetórias e experiências, bem como estas foram mudando com o aumento da repressão por parte do Regime Autoritário existente no Brasil desde 1964. Por meio da análise de entrevistas, jornais e documentos oficiais, igualmente tenta compreender os vínculos entre os ideários de solidariedade e anseio dos militantes por uma sociedade mais justa com tradições antigas, sobremaneira da cultura judaico-cristã, sem descartar as influências diretas de familiares, amigos, espaço escolar, Igreja católica e nacionalismo. Também estuda o contexto em que se deu a guerrilha e as principais ações praticadas pelos revolucionários no Estado http://www.historia.ufc.br/dissertacoes.php )

ESTUDANTES EM MOVIMENTO: FORTALEZA, 1969-1979.                       Autor: Niedja Lima Torres Portugal/ Data da Defesa: 26.02.2008

Descrição: Este trabalho trata das experiências dos estudantes da Universidade Federal do Ceará entre os anos de 1969 e 1979. Num contexto em que, pelo recrudescimento da ditadura, o movimento estudantil se viu espoliado das suas entidades representativas, os estudantes reinventaram seus espaços e suas atuações. Assim, os estudantes em movimento mantiveram o movimento estudantil buscando sempre criação de novos espaços e a possibilidade de existência das entidades. Através de entrevistas, jornais, documentos da Universidade Federal do Ceará e da legislação concernente ao movimento estudantil do período, procuramos reconstruir a memória de um movimento atuante e importante para a universidade e para a sociedade onde se insere.

UFRPE – Universidade Federal Rural de Pernambuco

BRINCANTES DO SILÊNCIO:

a atuação do Estado Ditatorial no Carnaval do Recife (1968-1975)

DIOGO BARRETO MELO http://www.pgh.ufrpe.br/dissertacoes/2011_diogo_barreto_melo.pdf

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000240129

UFPB – Universidade Federal da Paraíba

História “É o meu parecer”: a censura política sobre a música de protesto entre as culturas política e histórica no regime militar do Brasil (1969-1974)

Autor: Amilton Justo de Souza
Orientador: Prof. Dr. Paulo Giovani Antonino Nunes
Linha de Pesquisa: História Regional http://www.cchla.ufpb.br/ppgh/2010_mest_amilton_souza.pdf

UFPI – Universidade Federal do Piauí

– História do Brasil                                                                                                      Título: HISTÓRIA E REPRESSÃO: fragmentos de uma memória oculta em meio às tensões entre a Igreja Católica e o regime militar em Teresina.   Autor: MARIA DO AMPARO ALVES DE CARVALHO

– Educação

O Movimento dos Professores da APEP e a Construção de uma

nova Cidadania em Teresina – 1978/ 1982

(5) SANTOS, Kleber Montezuma Fagundes dos (22.06.95)

RESUMO DA DISSERTAÇÃO: ao final da década de 1970, (re)surge no Brasil o movimento sindical a partir das greves operacionais no ABC Paulista. Concomitante a emergência desse movimento, surgem também outros movimentos sociais populares urbanos que contribuem para o alargamento de espaços políticos e de cidadania no país, que à época viviam sob um regime autoritário burocrático-militar. No bojo desse vigor, as greves se expandem aos profissionais assalariados das classes médias entre os quais destacam-se os professores de I e II Graus daRede Pública Estadual do Piauí. Os professores de I e II Graus filiados a APEP-Associação de professores do Estado do Piauí são quem primeiro organizam movimentos reivindicatórios e grevistas, apesar das restrições legais. Partindo da hipótese de que aquelas lutas forçaram alterações nas esferas da liberdade sindical, liberdade de organização, manifestação e expressão do direito de greve para todos, e considerando que a (re)conquista e o exercício desses direitos constituem e fazem parte de uma nova cidadania, investiguei, neste trabalho, como o movimento dos professores filiados a APEP, em Teresina, no período de1978 a1982, contribuíram para a construção dessa nova cidadania. O estudo resgata as lutas desses professores, destacando a reelaboração de suas práticas políticas, configuração de novos padrões de ação coletiva e a contribuição para a construção de uma nova cidadania.

 

AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA ESCOLA PÚBLICA NOS

JORNAIS DE TERESINA (1960 – 1989)

(118) MARIA GLÁUCIA FERREIRA DA PONTE (02.08.2005)

BANCA: Prof. Dr. Luís Carlos Sales/UFPI (Orientador)

Profª. Drª. Guiomar de Oliveira Passos /UFPI

Prof. Dr. Antonio de Pádua Carvalho Lopes /UFPI

RESUMO DA DISSERTAÇÃO: A pesquisa analisou as Representações Sociais-RSs da escola pública nas décadas de 1960, 1970 e 1980, apreendidas nos jornais impressos que circulavam em Teresina nas referidas décadas, com vistas a perceber o valor social atribuído à escola, bem como observar possíveis variações nos processos de formação e transformação das Representações Sociais. O material jornalístico estudado permitiu ter uma visão panorâmica da trajetória das Representações Sociais, captando, numa espécie de linha do tempo, o comportamento, do valor social da escola pública no período pesquisado,ou seja, observando as modificações sofridas no prestígio dessa

escola junto à sociedade. A análise se fundamentou na teoria das Representações Sociais de

(MOSCOVICI, 1978). O levantamento do corplls fez-se por amostragem, em quantidade suficiente para delinear, com clareza, as Representações Sociais desta escola nos jornais. A interpretação baseou-se na análise de conteúdo conforme Bardin (1977) e análise de Discurso Orlandi (1987, 2000). Na análise, observa-se que os jornais de Teresina, na década de 1960, apresentavam uma escola pública de significativo relevo social com destaque para os colégios Liceu e Escola Normal. Os mestres, como eram chamados os professores, eram detentores de elevado capital cultural, que enchiam de orgulho os estudantes. A partir de meados da década de 1970, percebe-se o início da sua desvalorização como reflexos do modelo de educação proposto pela Lei 5.692/71. Os jornais ao invés de dar destaque às escolas públicas, como ocorria na década de 1960, passam a criticá-la pela qualidade do ensino oferecido.

Com a queda de prestígio, cai o orgulho de ser professor e aluno da escola pública. A década de 1980 é marcada por uma queda ainda mais acentuada do valor da escola pública. É quando se intensificam as transformações iniciadas na década de 1970. O discurso dos jornais mostra o desprestígio da escola pública e o desejo de resgatar a sua imagem perdida no passado. As inúmeras greves desencadeadas pelo baixo nível salarial e sucateamento das escolas públicas colocaram em risco o período letivo; em 1989, praticamente, não houve aula em algumas escolas públicas de Teresina. Essa desestruturação da instituição fez com que 6s alunos desejassem ir para escolas particulares, ao contrário do que acontecia na década de 1960, quando as escolas públicas eram disputadas no exame de admissão. Assim, a partir da

realidade histórico-social, a escola pública ganha um novo sentido. Ela passa a ser sinônimo de greve, de atraso, de desprestígio. Professores e alunos são mal vistos pela sociedade. Nesse contexto, é visível a mudança de Representação Social da escola pública. Enquanto, na década de 60, tem-se uma representação positiva, na década de 70, observa-se o início de sua decadência

 

UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte

 

– Direito

JOSÉ ALBENES BEZERRA JÚNIOR

CONSTITUCIONALISMO INTERNACIONAL: DIREITOS HUMANOS SOB A ÓTICA DA GLOBALIZAÇÃO / Data: 17/12/2010

O trabalho que ora se apresenta é resultado de pesquisa sobre a questão dos Direitos Humanos, em face de questões conflitantes como a incorporação dos tratados internacionais, a soberania dos estados, a globalização e o multiculturalismo. De modo específico,investiga-se a origem dos direitos humanos, ao lado do seu progressivo reconhecimento, desde as Revoluções até a sua concretização na Declaração Universal dos Direitos Humanos de1948. Aquestão, contudo, apresenta-se mais ampla, quando analisada sob a perspectiva da internacionalização desses direitos como condições e limites à democracia. Em face da convergência acerca da recepção dos tratados internacionais de direitos humanos, analisa-se uma série de posicionamentos, inclusive recentes posicionamentos do Supremo Tribunal Federal, além da Emenda Constitucional n.45/2004.O estudo procura rever o clássico conceito de soberania, agora dentro de uma nova perspectiva fundada no aparecimento de certas limitações ao Estado e de uma crise em face da tutela aos direitos humanos. Analisa-se o fenômeno da globalização, a sua complexidade e relação com a soberania e os direitos humanos na busca de uma expansão da democracia. O tema proposto coaduna-se, ainda, com a linha do Constitucionalismo contemporâneo, visto que sua abordagem mantém uma íntima ligação com as questões da soberania e globalização, além de uma atual relação com à proteção dos direitos humanos. A pesquisa busca analisar a formação de uma nova sociedade mundial dentro de uma visão de constitucionalização do direito internacional. Procura-se vislumbrar o modelo de invocação de precedentes jurisprudenciais estrangeiros e a possibilidade de diálogos entre Estados como forma de resguardar e efetivar a proteção dos direitos humanos

UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais

24/06/2009 Comandos de Libertação Nacional: Oposição armada à ditadura em Minas Gerais (1967-1969)

Profª Drª Heloisa Maria Murgel Starling (História/UFMG)
Profª Drª Samantha Viz Quadrat (UFF)
Prof. Dr. James Naylor Green (Brown University)

 

UNESP – Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho

Historia: Dissertação

AUTOR: PEDRO ZANQUETTA JUNIOR

TÍTULO: AS ZONAS DE SOMBRA DA MEMÓRIA: estudo sobre as sedições militares “exaltadas” no Rio de Janeiro de 1831DATA DA DEFESA: 15/12/2011ORIENTADOR: José Carlos Barreiro RESUMO: O objetivo desta pesquisa foi o de estudar as sedições militares “exaltadas” ocorridas no Rio de Janeiro no ano de 1831. Por meio de fontes variadas pesquisadas no Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, na Fundação Biblioteca Nacional, no Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa – CEDAP, da Faculdade de Ciências e Letras de Assis, UNESP e no Arquivo Edgar Leurenroth (CECULT-UNICAMP) procuramos identificar quais foram os significados atribuídos pelos diversos agentes sociais que delas participaram.

Linck: (http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/bas/33004048018P5/2011/zanquettajunior_p_me_assis_parcial.pdf)

 

Título: Imprensa e Poder: O Golpe de 64 nos jornais do Ceará
Autor: Maria Cleidiane Lima
Defesa: 29 de setembro de 2000.
Orientador: Profa. Dra. Aparecida da Glória Aissar

 

USP – Universidade de São Paulo

História:

Teses:

11. Título: “A resistência do movimento estudantil brasileiro contra o regime ditatorial e o retorno da UNE à cena pública (1969-1979)”

Aluno: Angélica Müller

Orientador: Maria Helena Rolim Capelato

Data da Defesa: 16/09/2010

 

24.Título: “Militares de esquerda: formação, participação política e engajamento na luta armada (1961-1974)”

Aluno: Wilma Antunes Maciel

Orientador: Maria Aparecida de Aquino

Data da Defesa: 05/03/2010

 

Dissertações de mestrado:

 

No interior… Ditadura militar e ensino superior (FAFI / UNESP): memórias sobre a intervenção na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Preto; link (http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-02122009-103316/pt-br.php).

 

Memória da resistência à ditadura: uma análise do filme Batismo de Sangue; link (http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-03082011-122908/pt-br.php).

 

 

Doutrina e legislação: os bastidores da política dos militares no Brasil (1964-1985); link (http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-03022010-153752/pt-br.php)

 

 

Atuação do movimento estudantil no Brasil: 1964 a1984; link (http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-23012008-113411/pt-br.php)

UnB – Universidade de Brasília

– Um estudo das narrativas cinematográficas sobre as ditaduras militares no Brasil (1964-1985) e na Argentina (1976-1983)

Maria Luiza Rodrigues Souza

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2587

 

– Enunciados sobre o futuro : ditadura militar, Transamazônica e a construção do “Brasil grande”

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2266

– Terror de Estado : uma crítica à perspectiva excepcionalista

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4543

 

– O CNPq e sua trajetória de planejamento e gestão em C&T: histórias para não dormir, contadas pelos seus técnicos (1975-1995)

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4437

 

– Mudança constitucional, autoritarismo e democracia no Brasil pós -1964

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=5695

 

– Escola : “risonha e franca?” : “representações douradas”, “representações de chumbo” e configuração atual no cotidiano brasiliense(1960-1990)

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6792

 

– Dois irmãos de Milton Hatoum : um olhar que vem do norte

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6692

 

– Do romance ao teatro : a teatralidade como recurso para a representação na obra de Sérgio Sant’Anna : (dissertação em 1 prólogo, 4 atos e 1 epílogo)

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=3529

 

– Traços da história : controle e resistência nas vozes do humor gráfico “Braziliense”

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4997

 

– A ditadura de ontem nas telas de hoje : representações do regime militar no cinema brasileiro contemporâneo

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4946

 

– Lira Pau-Brasília : entre fardas e superquadras : poesia, contracultura e ditadura na Capital (1968-1981)

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=3716

 

– Brasil-Paraguai : marcos da política pragmática na reaproximação bilateral, 1954-1973: um estudo de caso sobre o papel de Stroessner e a importância de Itaipu

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1425

 

– Tradições populares e resistências culturais : políticas públicas em perspectiva comparada

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2679

 

– O jornalismo nos limites da liberdade : um estudo da cobertura da imprensa sobre os casos dos religiosos acusados de praticar atividades subversivas durante o regime militar

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2585

 

– Liberdade sindical, autonomia e democracia na assembleia constituinte de 1987/1988 – uma reconstrução do dilema entre unicidade e pluralidade

http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=3435

 

UFG – Universidade Federal de Goiás

– DITADURA E DESTERRO: TRAJETÓRIAS DE EXILADOS BRASILEIROS DO GOLPE DE 1964 NOS ESTADOS UNIDOS (1964-1979)

http://pos-historia.historia.ufg.br/uploads/113/original_Disserta____o_-_LORENNA_BURJACK_DA_SILVEIRA.pdf

 

– DEMOCRATIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DA ORDEM NA

TRANSIÇÃO DA DITADURA MILITAR À NOVA

REPÚBLICA (1974 – 1985)

http://pos-historia.historia.ufg.br/uploads/113/original_MACIEL__David._1999.pdf

UFMT – Universidade Federal de Mato Grosso

– Mestrado em História

Ditadura, exílio e oposição: os exilados brasileiros no Uruguai (1964-1967)

http://www.ppghis.com/site/index.php?option=com_content&view=article&id=4&Itemid=5

PUC-PR – Pontifícia Universidade Católica do Paraná

– Mestrado em Direito

Leis de anistia e o sistema internacional de proteção dos direitos humanos : estudo comparativo Brasil, Argentina e Chile / 2012 – Dissertações

http://www.biblioteca.pucpr.br/pergamum/biblioteca/index.php?codAcervo=290130

 

UEM – Universidade Estadual de Maringá

– Mestrado em História

VIOLÊNCIA CONTRA VIOLÊNCIA: A INTER-RELAÇÃO ENTRE AS PROPOSTAS DE LUTA ARMADA E O FECHAMENTO DITATORIAL: 1964-1969

http://www.pph.uem.br/novo/sisteses/detalhe.php?id=83

 

UNIOESTE – Universidade Estadual do Oeste do Paraná

– Mestrado em História

A DOPS e a repressão ao Movimento Estudantil em Curitiba – Paraná (1964-1969)

http://tede.unioeste.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=776

 

PUC-RS – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

– Conhece teu inimigo mas não deixa ele te conhecer” : as seções de ordem política e social (SOPS) : (1964-1982

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-33936?func=full-set-set&set_number=004727&set_entry=000001&format=999

 

– A produção calçadista em Novo Hamburgo e no Vale do Rio dos Sinos na industrialização brasileira : exportação, inserção comercial e política externa : 1969-1979

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-35327?func=full-set-set&set_number=004735&set_entry=000002&format=999

 

– A representação da ditadura militar nos filmes brasileiros longa metragem de ficção : de1964 a2010

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-35747?func=full-set-set&set_number=004737&set_entry=000003&format=999

 

– A comunicação persuasiva como estratégia de controle da memória coletiva

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-36272?func=full-set-set&set_number=004740&set_entry=000004&format=999

 

– Agentes da ditadura Argentina nos trilhos da justiça : embates diante de um processo crime de lesa humanidade

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-37640?func=full-set-set&set_number=004758&set_entry=000006&format=999

 

– O ensino superior na ditadura militar brasileira : um olhar através da “Revista MEC”

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-37941?func=full-set-set&set_number=004761&set_entry=000008&format=999

 

– Os expurgos na UFRGS : afastamentos sumários de professores no contexto da Ditadura Civil-Militar (1964 e 1969)

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-38238?func=full-set-set&set_number=004764&set_entry=000009&format=999

 

– O grupo Palmares (1971-1978) : um movimento negro de subversão e resistência pela construção de um novo espaço social e simbólico

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-45426?func=full-set-set&set_number=004769&set_entry=000013&format=999

 

– Montoneros no Brasil : terrorismo de estado no seqüestro-desaparecimento de seis guerrilheiros argentinos

http://verum.pucrs.br/F/QA3U54FVBHL8E5T2E2D1DE1TVR213Q51FQ373EGSE5QQ4BN7HR-39855?func=full-set-set&set_number=004769&set_entry=000014&format=999

 

UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

– Mestrado em História

Quando o inimigo ultrapassa a fronteira : as conexões repressivas entre a ditadura civil-militar brasileira e o Uruguai (1964-1973)

http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/17527

 

– Dos quartéis aos tribunais : a atuação das auditorias militares de Porto Alegre e Santa Maria no julgamento de civis em processos políticos referentes às leis de segurança nacional (1964-1978)

http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/17669

 

– Avenida João Pessoa, 2050 – 3o. andar : terrorismo de Estado e ação de polícia política do Departamento de Ordem Política e Social do Rio Grande do Sul (1964-1982)

http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/7422

 

– Os cartões de visita do Estado : a emissão de selos postais e a ditadura militar brasileira

http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/15006

 

– A abertura política e os movimentos sociais em Porto Alegre : (1979-85)

http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/2083

 

UPF – Universidade de Passo Fundo

– 2 – Título: Repressão e oposição Política em Santa Catarina: 1964-1973/ Autor: Ana Maria Pertile/ Orientador: Profª. Dr. Ana Luiza Setti Reckziegel/ Banca: Prof. Dr. Helder Gordim da Silveira (PUC/RS), Prof. Dr. Luiz Carlos Tau Golin (UPF)

Data Defesa: 15/04/2003

Resumo:

A presente dissertação é resultado de uma análise que se processou em torno  da repressão e oposição política em Santa Catarina no período de 1964-1973. Para empreender tal tarefa, inicialmente resgatou-se a estrutura política catarinense existente antes e durante a configuração do Golpe Militar, focalizando a sua relação com a política nacional. Dentro desta perspectiva, foram englobados os partidos políticos existentes no Estado, tanto de oposição como de situação, bem como sua atuação enquanto tal. Essa retrospectiva permitiu situar a política catarinense em relação a política nacional, além de possibilitar também a compreensão dos posicionamentos assumidos, no Estado, no que diz respeito aos acontecimentos ocorridos em nível nacional por ocasião do Golpe Militar de 1964. Pois, a política catarinense sempre pautou-se por uma forte tradição oligárquica onde os partidos foram constituídos de acordo com os interesses particulares e de grupos interessados unicamente em manter-se no poder. A partir desta estrutura de poder constituída no Estado no período em questão, procedeu-se também o levantamento e análise dos grupos que se destacaram enquanto oposição ao regime militar. Porém, não foram somente grupos de oposição ao regime militar que existiram ou se organizaram no Estado, muitos foram também os grupos que apoiaram e agiram no sentido de colaborar com a implantação do mesmo. E, neste processo, destaca-se a atuação da imprensa local a partir dos dois jornais de maior circulação no Estado, neste período, quais sejam, A Gazeta e O Estado, jornais estes, como pode-se constatar, ao longo do trabalho, que tinham o propósito de formar uma opinião pública favorável ao regime militar. Pois, as matérias por eles publicadas que se reportavam aos acontecimentos relacionados com o Golpe Militar de 1964, sutilmente induziam a população a concordar com o mesmo. Diante disso, a repressão se fez presente em todos os níveis. E, aqui, analisamos a sua presença e repercussão no Poder Legislativo catarinense, onde
foram instaurados IPMS que transformados em processos, resultaram na cassação do Deputado Estadual Paulo Stuar Wrght e no afastamento das funções da Auxiliar de Taquigrafia da ALESC, Elyanni Marinho de Souza Santos. Estes processos representaram uma forma de intimidação do Legislativo, não só em Santa Catarina, mas em todo o país, pois foram uma maneira encontrada pelo regime militar de afastar do convívio político, indivíduos que pudessem vir a causar problemas e prejudicar a política em andamento. Assim, como o caminho livre de opositores, os militares podiam estruturar o regime militar ora em andamento no país.

http://www.ppgh.upf.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16&Itemid=21

70 – Título: Denuncismo e censura nos meios de comunicação de Passo Fundo – 1964/1978./ Autor: José Ernani de Almeida/ Orientador: Prof. Dr. Luiz Carlos Tau Golin/ Banca: Prof. Dr. Helder Gordim da Silveira (PUCRS), Prof. Dr. Haroldo Loguercio Carvalho (UPF)

Data Defesa: 19/09/2005

Resumo:

A presente dissertação, utilizando como fontes os principais órgãos da imprensa da cidade de Passo Fundo, RS, os jornais O Nacional e Diário da Manhã, estuda a vigilância, a repressão e a censura nos meios de comunicação social da cidade, rádios e jornais, bem como às pessoas que exerciam funções nos mesmos, isto é, radialistas e jornalistas. A pesquisa contextualiza a política passo-fundense no período de 1964 até 1978 – do golpe militar até o início da “distenção lenta e gradual” proposta pelo presidente Ernesto Geisel. Mostra, igualmente, como os jornalistas agiam naquela conjuntura e enfretavam o patrulhamento dos agentes do denuncismo, adotando os recursos da metáfora e da ironia em seus artigos e crônicas. Embora os jornais tivessem se alinhado ao regime militar, muitos jornalistas mantiveram uma corajosa linha independente e crítica ao governo. Em razão dessa postura foram ameaçados, perderam seus empregos e, em alguns casos, acabaram presos. Alguns ousaram denunciar a falta de liberdade, ao passo que outros preferiram alinhar-se ao regime. As desavenças políticas, as inimizades entre grupos que disputavam o poder político municipal e o controle de instituições como a Universidade de Passo Fundo levaram a que, de ambos os lados se adotasse a denúncia como prática política para prejudicar o adversário. Com a utilização da história oral foi possível complementar as carências documentais e demonstrar a existência da “cultura do denuncismo” na sociedade passo-fundense.

Palavras-chave: Regime militar, censura, denúncia, repressão, autoritarismo, relações de poder.

 

71 – Título: O PC do B e o Araguaia: a dissidência interna de 1979-1984/ Autor: Fabiana Pires de Oliveira/ Orientador: Profª. Dr. Ana Luiza Setti Reckziegel/ Banca: Prof. Dr. Helder Gordim da Silveira (PUCRS), Prof. Dr. Haroldo Loguercio Carvalho (UPF)

Data Defesa: 13/01/2006

Resumo: Este trabalho visa ao estudo dos fatos e debates internos que levaram à formação de um grupo dissidente nos quadros do Partido Comunista do Brasil (PC do B), a partir do ano de 1979, levando à criação do Partido Revolucionário Comunista (PRC) em meados de 1984. O ponto nevrálgico desta dissidência encontra-se nas diferentes avaliações elaboradas pelos próprios militantes acerca do planejamento e execução da Guerrilha do Araguaia, tentativa de desencadeamento do processo revolucionário a partir do campo, ocorrido na região do baixo Araguaia (Tocantins) entre 1972 e 1975. Pautados na necessidade da realização de um Congresso de âmbito nacional, que há muito não se efetivava, os militantes fracionários iniciaram um processo de luta interna que mobilizou diversos Comitês Regionais, bem como outros quadros partidários, contra a direção entrincheirada no Comitê Central do PC do B. Mais importante do que a divergência sobre os erros ou acertos da experiência de luta armada no Araguaia, seriam as indicações que as mesmas traziam consigo acerca da orientação política que o partido deveria seguir no futuro. Os combates, no campo teórico, evoluem, gradativamente, da simples denúncia da ausência de debates abertos e democráticos ao mais evidente racha, consubstanciado nas expulsões, demissões e inflamadas convocações para a reorganização partidária. A partir da análise da documentação interna do PC do B no período exposto, o que se concretiza é uma visão dos embates políticos ocasionados pelo fim do período ditatorial e pela expectativa quanto às vias abertas frente à democratização possível iniciada na década de 1980.

Palavras-chave: Araguaia, militantes, dissidência, luta interna, reorganização partidária.

89 –Título: O Jornal Folha d’ Oeste e a ordem do progresso (1966-1972)/ Autor: Cleber José Bosetti/ Orientador: Profª. Dr. Ana Luiza Setti Reckziegel/ Banca: Prof. Dr. Helder Gordim da Silveira (PUCRS), Prof. Dr. Luiz Carlos Tau Golin (UPF)

Data Defesa: 15/01/2007

Resumo:

Lançando um olhar sobre o contexto histórico da Ditadura Militar entre 1966-1972, este trabalho procura analisar como o jornal Folha d’ Oeste da cidade de Chapecó elaborou seus discursos políticos com a intencionalidade de instituir um determinado imaginário político no Oeste de Santa Catarina neste período. Pensando a empresa jornalística e os grupos políticos e econômicos que lhe davam sustentação, evidencia-se que o jornal Folha d’ Oeste representava o pensamento político da elite chapecoense, cujos discursos procuravam legitimar o governo da Ditadura Militar a partir de uma racionalização elaborada em torno das idéias de ordem e progresso. Em nome da ordem do progresso, o jornal construía no campo do imaginári o estabelecimento de uma sociedade idealizada no futuro. Além disso, o jornal desenvolveu um conteúdo regionalista para pressionar as autoridades políticas estaduais e federais a acelerar o processo de desenvolvimento da região Oeste. Nesta perspectiva, o trabalho busca compreender a relação entre política, imprensa e história durante a Ditadura Militar no Oeste de Santa Catarina tendo neste jornal um elemento de legitimação e construção de um modelo de sociedade pensada a nível nacional pelos militares e a nível local pela elite chapecoense.

Palavras-chave: Política, imprensa, sociedade, ideologia.

135 – Título: “SENTINELAS DO SUDOESTE: o Exército brasileiro na fronteira paranaense”/ Autor: Ronaldo Zatta/ Orientador: Profª. Dr. Ana Luiza Setti Reckziegel/ Banca: Prof. Dr. Gilberto Grassi Calil (UNIOESTE) e Prof. Dr. Adelar Heinsfeld (UPF)

Data Defesa: 17/04/2009

Resumo:

Este trabalho tem o objetivo de analisar a influência do Exército na formação da sociedade regional no sudoeste paranaense. A história da colonização regional se confunde com a das Organizações Militares que foram destacadas para a região, por este motivo foram direcionados esforços para entender como se deu o bom convívio social entre militares e “pioneiros” que resultou numa identidade política comum a todos. O início da análise se dá na área da “geopolítica” estudando os pensamentos da ESG sobre a região (fronteira com a Argentina e próxima ao Paraguai) ainda nos anos vinte, seguindo no campo da “cultura política” e “imaginário social” para explicar os laços fraternais criados, o bom convívio local e a identificação como um grupo social com raízes em comum. A proximidade com a fronteira e a presença de instituições militares através de suas atuações nos tempos de colonização (Revolta de 1957) com seus símbolos, costumes e rituais simbólicos de civismo deixaram marcados com traços do “nacionalismo” a base social na região. Por fim os estudos se direcionam para o campo da “memória”, onde se disserta sobre o tenente Camargo, militar transformado em herói regional após ter sido morto em combate a guerrilha em 1965.

Palavras-chave: Exército, sociedade, revolta e memória.

 

UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina

– Mestrado em História

Edison Lucas Fabrício
Titulo: A produção do espectro comunista: imprensa, política e catolicismo (Blumenau 1960-1964)
Data da Defesa: 18/03/2011 – Orientador: Prof. Dr. Rogério Luiz de Souza

 

– Autor: Marlon Gonsales Aseff
Título: Retratos do exílio: experiências, solidariedade e militância política de esquerda na fronteira Livramento/Rivera (1964-1974)
Data da Defesa: 10/12/2008
Orientador: Prof. Dr. Paulo Pinheiro Machado

 

– Doutorado em História

DRAMAS E DANOS: Estudo das vítimas de crimes sexuais na região de Florianópolis(1964-1985)

http://www.tede.ufsc.br/teses/PHST0326-T.pdf

MEMÓRIAS EM DISPUTA E JOGOS DE GÊNERO: O Movimento Feminino Pela Anistia no Ceará (1976-1979)

http://www.tede.ufsc.br/teses/PHST0347-T.pdf

 

 

 

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Nível: Doutorado em História

Autor:             CLÁUDIO BESERRA DE VASCONCELOS

Defesa: 06/2010

Título: A POLÍTICA REPRESSIVA APLICADA A MILITARES APÓS O GOLPE DE 1964

Resumo: Esta tese analisa a política repressiva aplicada aos militares entre o golpe de 31 de março de 1964 e o início do ano de 1970, com ênfase no processo de disputa político ideológica pelo controle do Estado brasileiro, intensificado a partir de 1945. De modo específico, apresenta-se uma interpretação que busca neste conflito as origens do processo repressivo. Sustenta-se a hipótese de que a partir de fins dos anos 1940 gestou-se um projeto de desenvolvimento capitalista cuja intenção era integrar o Brasil de forma dependente à estrutura do capitalismo internacional. Esta meta implicava a superação de entraves políticos, econômicos e sociais, o que levou à necessidade de conquista, controle e reformulação do Estado brasileiro. Como um dos meios para o estabelecimento deste projeto, admitia-se o recurso à prática da repressão política. Os militares participaram de maneira central do debate sobre o tipo de desenvolvimento adequado para o Brasil e, assim como os civis, acabaram divididos. Após o golpe, como o novo regime tinha como objetivo “limpar” o ambiente político dos obstáculos à implementação do projeto de Estado, os militares que defenderam de forma ativa uma proposta nacionalista desde o final da década de 1940 tornaram-se um dos alvos privilegiados do processo repressivo. É esta a lógica que explica a prática repressiva que recaiu sobre parcela significativa de militares após o golpe de 1964.

 

Nível: Doutorado em História

Autor:             ADJOVANES THADEU SILVA DE ALMEIDA

Defesa: 04/2009

Título: O REGIME MILITAR EM FESTA: A COMEMORAÇÃO DO SESQUICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA BRASILEIRA (1972)

Resumo: A presente tese aborda a comemoração do Sesquicentenário da Independência brasileira, ocorrida em 1972, sob o governo Médici, destacando a realização do Encontro Cívico nacional nas principais cidades do país e, posteriormente, a excursão dos despojos de d. Pedro I pelas capitais regionais do Brasil. Igualmente, a tese abordou a relação entre o governo Médici e diferentes setores da sociedade brasileira, através da composição da Comissão Executiva Central (CEC) das comemorações, em especial o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), responsável pela publicação da biblioteca do Sesquicentenário. Ao mesmo tempo, a tese em questão analisou o papel do futebol nas comemorações do Sesquicentenário, com a realização do Torneio Independência, vencido pela seleção brasileira, ao lado de outras modalidades esportivas. A tese também analisou o filme Independência ou Morte, lançado à época da Semana da Pátria de 1972 nas principais cidades brasileiras e considerado a principal produção do cinema nacional até então. Outro aspecto importante destacado pela tese foi a aproximação entre os governos brasileiro e português, que se expressou em diversos momentos do Sesquicentenário da Independência do Brasil.

 

Nível: Doutorado em História

Autor:             MILIANDRE GARCIA DE SOUZA

Defesa: 04/2008

Título: ‘OU VOCÊS MUDAM OU ACABAM’: TEATRO E CENSURA NA DITADURA MILITAR

 

Resumo:É comum associarmos a existência da censura tão somente ao Estado Novo e à ditadura militar. Porém, a censura no Brasil é um fenômeno antigo, com atuações diversificadas. A censura teatral foi instituída no século XIX com a fundação do Conservatório Dramático Brasileiro. Desde então, os governos brasileiros não só incorporaram a censura de peças teatrais como também submeteram outras manifestações artístico-culturais à obrigatoriedade da censura prévia. O auge desse processo ocorreu na década de 1940 com a criação do Serviço de Censura de Diversões Públicas. Até a década de1960, a censura de diversões públicas era responsabilidade dos estados, regia-se por legislação ostensiva e atuava na esfera da moral como “guardiã” da sociedade. Com o golpe militar, a atividade sensoriais passou por um processo de re-significação consolidou a centralização do órgão em Brasília e a prática da censura política. Ao papel de mantenedora dos princípios éticos e dos valores morais, motivos alegados na criação do órgão na década de 1940, agregou-se a preocupação com a manutenção da ordem política e da segurança nacional, justificativas incorporadas na reestruturação da censura nas décadas de 1960, 1970 e 1980. Investigar como se deu o processo de politização da censura de costumes, em especial da censura de teatro e o relacionamento do setor como o governo, é um dos principais objetivos desta tese de doutorado.

 

Mestrado em História

Autor:             RACHEL MOTTA CARDOSO

Defesa: 05/2008

Título: DEPOIS, O GOLPE: AS ELEIÇÕES DE 1962 NO CLUBE MILITAR

 

Resumo:Trataremos aqui da questão das eleições de 1962 no Clube Militar, à luz do conceito de “partidos militares”. Procurou-se demonstrar o aspecto fraudulento deste pleito, traçando-se um perfil das duas chapas concorrentes. O caráter metodológico e a aplicação do conceito elaborado por Alain Rouquié e Antonio Carlos Peixoto para o estudo e entendimento de correntes militares no seio das Forças Armadas e como essas se relacionavam com a vida política nacional, consideramos como um ponto inovador no estudo da relação entre os militares e a política. Assim, procuramos ressaltar as características de cada corrente, as disputas no meio militar e suas estratégias de ação no campo civil. Adotamos como base para pesquisa o acervo do líder da chapa derrotada, o General Pery Bevilaqua.

 

 

Nível: Mestrado em História

Autor:             MANOEL HENRIQUE DE SOUSA CANTALEJO

Defesa: 05/2008

Título: O MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS E A DITADURA MILITAR: 1964-1985

 

Resumo: A presente dissertação de mestrado analisa as relações depois do Golpe Militar de 64 entre os novos detentores do poder e os políticos de Duque de Caxias, compreendendo as permanências e as alterações nesse processo, em relação ao período anterior ao golpe militar.

 

– UFF – Universidade Federal Fluminense

 

História

“Um golpe e duas cidades: Memórias dos moradores de Carmo e Além Paraíba sobre o golpe civil-militar de 1964.”.
Autor:Marta Lucia Lopes Fittipaldi
Orientador: Jorge Luiz Ferreira
Data da Defesa: 13/04/2012
Páginas: 135 – Volumes: 1 – Número: 1217

Resumo: O trabalho recupera a conjuntura política do governo João Goulart e do golpe civil-militar de 1964 com base em fontes orais, tendo como recorte espacial dois municípios– Carmo e Além Paraíba – que embora localizados, respectivamente, nos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerias, são vizinhos, podendo ser incluídos no seguinte critério geográfico: Bacia Hidrográfica do Vale Médio-Inferior do Paraíba do Sul. Objetiva evidenciar a pluralidade da memória sobre a polarização política daquela temporalidade, apresentando duas principais hipóteses: a história localmente valorizada pela institucionalização da memória ferroviária vem inibindo as vozes dissonantes sobre os confrontos ideológicos do período, agravados pela luta de representação dos vários grupos sociais pela afirmação de suas identidades; as narrativas revelam a valorização de nomes, símbolos e representações, apontando para a força e legitimidade do trabalhismo como importante elemento da cultura política local.

Banca:
Giselle Martins Venâncio – UFF (Arguidor)
Andréa Casa Nova Maia – UFRJ (Arguidor)
Jorge Luiz Ferreira (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1628.pdf

 

“”A Anistia brasileira: antecedentes, limites e desdobramentos da ditadura civil-militar à democracia””.
Autor:Denise Felipe Ribeiro
Orientador: Samantha Viz Quadrat
Data da Defesa: 23/03/2012
Páginas: 141 – Volumes: 1 – Número: 1196

O presente trabalho tem como objetivo analisar o debate travado no âmbito da sociedade e dos poderes Legislativo e Executivo relativo à anistia política aos penalizados a partir do golpe civil-militar de 1964. Procuramos analisar o início desse debate, as reações dos governos civil-militares e a preocupação do regime com sua imagem no exterior prejudicada pelas denúncias de violações de direitos humanos e de luta pela anistia. Considerando também a retomada desse debate no período democrático, buscamos compreender as políticas de justiça de transição que foram sendo constituídas aqui e em outros países que passaram por diferentes processos de transição à democracia, assim como as diferentes reações a tais ações.

Banca:
Denise Rollemberg Cruz – UFF (Arguidor)
Maria Paula Nascimento Araújo – UFRJ (Arguidor)
Samantha Viz Quadrat (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1576.pdf

 

“Encontros em defesa da cultura nacional: o Conselho Federal de Cultura e a regionalização da cultura na ditadura civil-militar (1966 – 1976)”.
Autor:Vanessa Carneiro da Paz
Orientador: Denise Rollemberg Cruz
Data da Defesa: 15/12/2011
Páginas: 142 – Volumes: 1 – Número: 1174

Estudar a ação federal no campo da cultura durante os governos militares, mais especificamente, o caso do Conselho Federal de Cultura (CFC) entre os anos de 1966 e 1974, realizar a recuperação da história deste órgão, que tinha como uma de suas competências a formulação da política cultural do país, e ainda compreender as formas de desenvolvimento das políticas públicas de cultura desenvolvida pela ditadura civil-militar, são objetivos centrais deste trabalho.

Banca:
Alessandra Carvalho – UFRJ (Arguidor)
Tatyana De Amaral Maia – UERJ (Arguidor)
Denise Rollemberg Cruz (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1540.pdf

 

 

“As escolas de samba sob vigilância e censura na ditadura militar: Memórias e esquecimentos”.
Autor:Tamara Paola dos Santos Cruz
Orientador: Laura Antunes Maciel
Data da Defesa: 29/10/2010
Páginas: 131 – Volumes: 1 – Número: 1084

A partir da influência do Estado através da Polícia Política (censura) na Cultura Nacional, especificamente no G.R.E.S. Acadêmicos do Salgueiro analisar a produção de Sambas-Enredos entre os anos de 1960 e 1972. Relacioná-la com a política (governos democrático e autoritário) e o desenvolvimento e divulgação das Escolas de Samba dentro do território nacional através dos Meios de Comunicação de massa (imprensa, rádio, televisão, cinema) também em expansão e consolidação neste período. Compreender as transformações ocorridas no Carnaval da cidade do Rio de Janeiro e principalmente nas Escolas de Samba enquanto expressões culturais populares genuinamente cariocas que se nacionalizaram e que foram transformadas em produto cada vez mais rentável dentro do processo de “industrialização do Carnaval”.

Banca:
Zelia Lopes Da Silva – UNESP (Arguidor)
Paulo Knauss de Mendonça – UFF (Arguidor)
Laura Antunes Maciel (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1421.pdf

 

“Legislação da Educação Brasileira durante a Ditadura Militar (1964-1985): um espaço de disputas”.
Autor:Alexandre Tavares do Nascimento Lira
Orientador: Luiz Carlos Soares
Data da Defesa: 29/04/2010
Páginas: 367 – Volumes: 1 – Número: 1051

O presente trabalho tem como objetivo investigar os elementos fundamentais da política educacional brasileira na época da ditadura militar buscando as determinações sociais que atuaram na formação de uma legislação ampla, considerando as principais conseqüências sobre a realidade social e a educação brasileira.

Banca:
Marcelo Badaró Mattos – UFF (Arguidor)
José dos Santos Rodrigues – UFF (Arguidor)
Lená Medeiros de Menezes – UERJ (Arguidor)
Sonia Maria De Castro Nogueira Lopes – UFRJ (Arguidor)
Luiz Carlos Soares (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1265.pdf

 

“Justiça do Trabalho e Ditadura Civil-Militar no Brasil (1964 – 1985): atuação e memória.”.
Autor:Claudiane Torres Da Silva
Orientador: Samantha Viz Quadrat
Data da Defesa: 16/04/2010
Páginas: 133 – Volumes: 1 – Número: 1043

O presente trabalho pretende discutir a atuação da Justiça do Trabalho durante a ditadura civil-militar (1964 a1985). Para alcançar esse objetivo proponho o estudo das ações jurídicas do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro relacionadas às mudanças e características legais ocorridas durante a ditadura tendo ação direta nos interesses da população e do patronato. Essa escolha deve-se ao fato de representar uma instância que dá jurisprudência na área do Direito do Trabalho, já que as ações apresentam especificidades que, em muitos casos, fogem do ordenamento jurídico. Dessa maneira, optou-se por concentrar a pesquisa nos acórdãos do tribunal acima identificado e em entrevistas com magistrados. O conteúdo do texto em consonância com a prática da magistratura sobre a atuação desses atores durante a ditadura civil-militar, expressaria suas posições políticas apresentando-se ora como conflito ora como acordo permitindo identificar áreas de conflitos e negociações.

Banca:
Denise Rollemberg Cruz – UFF (Arguidor)
Elina Gonçalves da Fonte Pessanha – UFRJ (Arguidor)
Samantha Viz Quadrat (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1402.pdf

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000240129

 

“Todo o Leme a Bombordo. Marinheiros e Ditadura Civil-Militar no Brasil: Da Rebelião de 1964 à Anistia”.
Autor:Anderson Da Silva Almeida
Orientador: Samantha Viz Quadrat
Data da Defesa: 24/03/2010
Páginas: 250 – Volumes: 1 – Número: 1022

A dissertação discute as trajetórias dos praças da Marinha pertencentes à Associação dos Marinheiros e Fuzileiros Navais do Brasil (AMFNB), durante o período da ditadura civilmilitar no Brasil. Com este objetivo analisam-se as principais causas e reivindicações da rebelião ocorrida em 1964, as participações de atores políticos, a ideia de que o acontecimento foi o estopim para o golpe e os caminhos posteriores percorridos pelos rebeldes. Nesse sentido, terão destaque tanto os marinheiros que participaram dos movimentos armados, quanto os que tentaram seguir suas vidas sem se envolver com a guerrilha. Por fim, a abordagem do longo e tortuoso processo de anistia destes atores sociais.

Banca:
Denise Rollemberg Cruz – UFF (Arguidor)
Maria Paula Nascimento Araújo – UFRJ (Arguidor)
Samantha Viz Quadrat (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1380.pdf

 

“A Rede da Democracia e o Golpe de 1964”.
Autor:Eduardo Gomes Silva
Orientador: Adriana Facina Gurgel Do Amaral
Data da Defesa: 26/09/2008
Páginas: 155 – Volumes: 1 – Número: 925

Através da presente dissertação, procuramos analisar o papel desempenhado pela Rede da Democracia no processo de disputa pelo controle do Estado do qual o golpe de 1964 representou decisiva etapa. Arranjo midiático formado pelas emissoras de rádio e pelos jornais das empresas Globo, Jornal do Brasil e Diários Associados, acreditamos que a Rede da Democracia atuou entre outubro de 1963 e abril de 1964 como um importante locus de fomentação e doutrinação ideológica em prol da destituição do Governo Goulart, do estancamento do processo de expansão democrática experimentada naquele período e de promoção de um projeto moderno-conservador para o País – de fato implementado pelos governos ditatoriais iniciados em abril de 1964. Almejamos, também, trazer à tona a relação entre este arranjo midiático e a historiografia revisionista sobre o Golpe, sobretudo no que tange ao exacerbado e anacrônico peso conferido à “democracia” por parte desta tendência historiográfica.

Banca:
Laura Antunes Maciel – UFF (Arguidor)
Renato Luís do Couto Neto e Lemos – UFRJ (Arguidor)
Adriana Facina Gurgel Do Amaral (Orientador)

http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Dissert-2008_SILVA_Eduardo_Gomes-S

 

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – IFCH

Título [Principal]: Imprimindo a resistencia : a imprensa anarquista e a repressão politica em São Paulo (1930-1945)
Autor(es): Rodrigo Rosa da Silva
Palavras-chave [PT]:

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000364117

 

Representações de esporte e educação física na Didatura Militar: uma leitura a partir da revista de história em quadrinhos Dedinho (1969-1974)
Autor:Joelcio Fernandes Pinto
Tarcisio Mauro Vago
Palavra-chave:Brasil  Historia  1964-1985
Educação Teses
Leitura
História em quadrinhos
Educação física  Estudo e ensino
Leitura
Data de Publicação:5-Dez-2003

 http://dspace.lcc.ufmg.br/dspace/handle/1843/FAEC-85DJ5B

Compartilhe:

2 comments

  1. MAGDA J.P. MEDEIROS 24 maio, 2015 at 13:03 Responder

    fui interrogada por um ex-oficial de marinha, no meu trabalho, numa estatal, só por eu namorava um rapaz, cujo irmão tinha sido cassado.Quando trabalhei na UEG, o DIRETOR WILSON CHOERIN E A VICE SUELY queriam que eu espiasse e dedurasse alunos e professores

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *