A repressão na Univ Federal de Goiás na Ditadura

Compartilhe:

A REPRESSÃO AOS ESTUDANTES, PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS DURANTE A DITADURA MILITAR (1964- 1979)

Esta pesquisa visa, sobretudo, compreender o contexto histórico em que o aparelho repressivo construído pelo regime militar se desenvolveu e de que forma ele atuou dentro da Universidade Federal de Goiás .Portanto, para entender o contexto histórico em que se insere o golpe militar brasileiro, buscamos entender primeiramente o processo de desenvolvimento do capitalismo monopolista no Brasil a partir da década de 50. Após o golpe militar, o governo inicia uma escalada repressiva contra os grupos de oposição ao governo. Estudantes, professores e funcionários “de esquerda” ligados às universidades figuravam entre os principais grupos que se opunham à ditadura e ousaram lutar contra ela. Por isso, o segundo passo dado por nós consistiu em uma tentativa de apreender a dimensão do movimento estudantil de esquerda nacional e regional, já que as universidades se tornaram lugares ostensivamente vigiados pelos órgãos de informações do regime militar. Com o crescente aumento dos grupos que lutavam contra o autoritarismo em vigor, principalmente após 1968, o governo procurou institucionalizar a repressão. O Ato Institucional n° 5 pode ser citado como um dos resultados dessa política, porém, dentro das universidades, a principal arma utilizada pelo governo para afastar os “subversivos” do local responsável pela formação das elites intelectuais, econômicas
e políticas do país, foi a aplicação do Decreto Lei n° 477. As Assessorias de Segurança e Informação também foram órgãos de informação criados dentro das
universidades para vigiar a comunidade acadêmica, responsáveis por guiar até mesmo a contratação de professores. Por fim, também descrevemos de que forma o governo militar planejava manter um “controle ideológico” dentro das universidades. Desta forma, conseguimos apontar quais foram os estudantes, professores e funcionários vinculados à UFG que foram perseguidos e/ou punidos, além de esclarecer quais eram as justificativas apresentadas pelo regime militar para a  realização de tais atos e captar de que forma os órgãos de repressão monitoravam a esquerda dentro da UFG.

Palavras-chave: Ditadura Militar Brasileira, Universidade Federal de Goiás,
Repressão, Assessorias de Segurança e Informações.

Compartilhe:

Arquivos para download:

Aluizio Palmar

Os documentos dos arquivos da ditadura devem ser vistos com o olho crítico da dúvida, pois foram escritos por pessoas treinadas para mentir, contrainformar, caluniar, prender, torturar e matar.
Espero que Documentos Revelados contribua para a compressão dos acontecimentos das décadas passadas, dos métodos de controle usados pelo Estado Policial e estimule os visitantes a ter um compromisso ativo com a democracia.
Documentos Revelados é resultado de anos de garimpagem em arquivos públicos e particulares, de caixas e pastas, repletas de mandados de prisão, informes,radiogramas, ofícios, dossiês,relatórios e outros tipos de documentos produzidos pela burocracia policial.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *