Condor pede mais dinheiro

Documento revela coronel pedindo dinheiro para manter Operação Condor no Brasil

Compartilhe:

No documento em anexo, localizado no Arquivo do Terror, em Assunção,  o coronel chefe do setor de inteligência do Chile e um dos coordenadores da Operação Condor, Manoel Contreras Sepúlveda, pede ao ditador chileno Augusto Pinochet mais dinheiro para as operações na América Latina. Contreras justifica o seu pedido de reforço de caixa dizendo  que é preciso aumentar o número de agentes da repressão designados para as embaixadas do Chile no Brasil, Perú, Argentina,Venezuela,Costa Rica, Bélgica e Itália, além da manutenção dos agentes que se encontravam em treinamento no Brasil e também de alguns órgãos de imprensa.

A Operação Condor foi uma organização sistematizada do aparelho repressivo das ditaduras militares do Cone Sul, Seus objetivos eram: fazer a troca de informações sobre militantes e oposicionistas exilados e refugiados das ditaduras do continente; capturar e interrogar (normalmente sob tortura) essas pessoas a fim de obter informações; trazê-los de volta aos países de origem mesmo que de forma clandestina, mantendo-os secretamente em prisão. Poucos sobreviveram após  cairem nas garras da Operação

Condor pede mais dinheiro
Condor mantinha espiões nas embaixadas

Condor

Compartilhe:

Aluizio Palmar

Os documentos dos arquivos da ditadura devem ser vistos com o olho crítico da dúvida, pois foram escritos por pessoas treinadas para mentir, contrainformar, caluniar, prender, torturar e matar.
Espero que Documentos Revelados contribua para a compressão dos acontecimentos das décadas passadas, dos métodos de controle usados pelo Estado Policial e estimule os visitantes a ter um compromisso ativo com a democracia.
Documentos Revelados é resultado de anos de garimpagem em arquivos públicos e particulares, de caixas e pastas, repletas de mandados de prisão, informes,radiogramas, ofícios, dossiês,relatórios e outros tipos de documentos produzidos pela burocracia policial.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *