MEMÓRIAS DA DOR. O CASO DA SOCIÓLOGA TERESA CRISTINA, VIÚVA DE MARIDO QUE A DITADURA DIZIA ESTAR VIVO

Um dos casos mais emblemáticos, de como a ditadura afetou a vida dos parentes dos desaparecidos políticos, é o da socióloga Tereza Cristina Denucci Ribeiro Bastos. Tereza Cristina e Paulo da Costa Ribeiro eram membros do MR8 quando se casaram em 17 de julho de …

A MISTERIOSA MORTE DO EMBAIXADOR JOSÉ JOBIM. TEXTO DA PROCURADORA DA REPÚBLICA MARIA EUGÊNIA GONZAGA

  Em 24 de março de 1979, a família do embaixador aposentado, José Jobim, continuava vivendo um pesadelo. O pacato senhor, de 70 (setenta) anos, havia saído de casa 02 dias antes, após o almoço, para visitar um amigo. Devidamente trajado, com seu terno costumeiro, …

EZEQUIAS BEZERRA DA ROCHA, ASSASSINADO NO CENTRO DE TORTURA DO IV EXÉRCITO, EM RECIFE

10 de março de 1972 foi o dia em que Delegacia de Segurança Social de Recife/PE expediu o Pedido de Busca número 12-DSS/72, determinando a “localização e captura de elemento subversivo”, de nome Ezequias Bezerra da Rocha. Ezequias era o proprietário do carro que tinha sido utilizado …

Formação e trajetória do primeiro MR-8: possibilidades e limites de construção de uma vanguarda revolucionária político-militar (1964-1969)

Fichas de presos do MR8 Em 2017, Aluizio Palmar doou seus documentos, frutos de suas pesquisas ao CEPEDAL- Unioeste, Campus de Marechal C Rondon. Destacamos aqui as 51 fichas de identificação dos militantes do MR8 realizadas pela repressão.

AGENTE DO DOI-CODI, REVELA QUE REPRESSÃO ARMAVA ENCENAÇÃO DE CONFRONTO E MORTE EM LOCAL PÚBLICO PARA OCULTAR PRISÕES

  A agente do DOI-CODI, Tenente Neuza , revelou, que na ditadura militar , a repressão para ocultar uma prisão, fazia de conta que o preso havia morrido em um confronto. Ela chama de cirquinho a encenação que os policiais e militares faziam e sempre …

O TERROR RENEGADO. A retratação pública de integrantes de organizações de resistência à Ditadura Civil-militar no Brasil

Resumo da autora: O presente trabalho tem por objetivo analisar os processos de retratação pública protagonizados por integrantes de organizações de esquerda que combatiam a ditadura civil-militar no Brasil. Tais episódios, que passaram a ser conhecidos como arrependimentos, tiveram início em maio de 1970, quando …