As Escrituras de Greca de Macedo | Jornal Plural
14 jun 2020 - 21h44

As Escrituras de Greca de Macedo

“Tu darás a Deus o que é de Deus, Greca de Macedo. E aos donos de shoppings tu darás os alugueis. Pontualmente, hein?”

Foi durante suas andanças pela Terra Santa, mais ou menos entre Curitiba e Piraquara, que Greca de Macedo recebeu a Revelação: envolvida em brilho cegante, uma grande estrutura com lojas da Chilli Beans vendendo óculos escuros a 300 contos, cinemas, escadas rolantes e praça de alimentação pairou acima da terra, piscando loucamente como um joguinho de fliperama.

Do brilho, veio o vozeirão do Grande Lobby. Disse a Greca de Macedo: “Greca, Greca, por que me persegues?”.

Uma grande injustiça, já que até ali Greca de Macedo havia feito muito pouca coisa em meio à praga. Mas O Grande Lobby era tão intransigente quanto o Anjo Vingador, e continuou: “Mil pequenos empresários cairão a teu lado e dez mil pequenas espeluncas fecharão as portas à tua direita. Tu, Greca de Macedo, lavarás as mãos e fingirás que não tem nada a ver com a história. Mas o Shopping Mueller e aquele outro negócio horroroso lá no Portão, esses não serão atingidos, tá ok?”.

E ainda: “Tu darás a Deus o que é de Deus, Greca de Macedo. E aos donos de shoppings tu darás os alugueis. Pontualmente, hein?”.

Greca de Macedo então reescreveu as cartas que ele mesmo havia ditado. Na esperança de ser poupado da Ira Santa, abençoou o Shopping Mueller e aquele outro negócio horroroso lá no Portão.

Não adiantou nada, porque foi perseguido mesmo assim por romanos crossfiteiros e marombados que saíram do meio da praga de gafanhotos pra fazer buzinaço e gritar ‘academia é saúde!”.

Os Curitibanos Escolhidos de Greca de Macedo reagiram lançando ovos das janelas. No Twitter, alguém declarou guerra aberta. (Eu estou perfeitamente ciente da patetice que é alguém declarar “guerra” no Twitter, mas sou apenas o mensageiro.)

Encurralado, Greca de Macedo descobriu que não é possível servir a dois senhores e ficar sempre empurrando um problema com a barriga esperando que ele se resolva sozinho. Acabou decapitado em praça pública. Ou condenado a fazer 500 sequências de abdominais. Ou deposto nas eleições. Ou esqueceu o brilho da Revelação e voltou atrás, como era mais do seu feitio. Essa parte das Escrituras está meio borrada.

Muito do material sobre as andanças de Greca de Macedo, aliás, se perdeu, porque ninguém hoje tem paciência pra ficar revendo live da secretária municipal de Saúde dando esporro coletivo enquanto fingia que aquela desgraça toda não tinha nada a ver com ela. Nos últimos séculos, as pessoas perderam um pouco a tolerância pra isso.

Elas também acham meio inacreditável que em 2020, no início da maior emergência sanitária em cem anos, a gente não tenha trocado o prefeito, o governador e o presidente da República por três daquelas máquinas de costura de vó pra fazer máscara. Todos concordam que teria sido uma baita vantagem.

Ou que a gente tenha esperado que aquele prefeito, aquele governador e aquele presidente pudessem em algum momento ter surpreendido o mundo abrindo a boca para dizer alguma coisa que, na melhor das hipóteses, não fosse uma completa platitude (e na pior, uma rematada loucura).

Ninguém pode entender, passados os séculos, porque eles ficaram tanto tempo discutindo se deviam fechar isso ou aquilo quando a questão na verdade sempre fora como impedir uma quebradeira geral e evitar que as pessoas entrassem em desespero durante a longa Travessia do Deserto. Não era pra isso que a gente tinha inventado governo, ô caceta? Ou era só pro Greca de Macedo ter palco pra ficar dizendo bobagem com oratória afetada sobre os “piás e gurias da amada Curitiba”?

E por que o governo federal era formado por débeis mentais que seguiam abrindo uma frente nova por dia em sua Guerra Santa?, as pessoas hoje se perguntam. E por que essa louca cavalgada ficou sendo sustentada por políticos obtusos como Greca de Macedo? Ninguém tinha o mínimo de força de vontade naquela joça?

Nas Escrituras recuperadas de 2020 também há um trecho que diz que em Foz do Iguaçu, a oeste da Galileia, durante a Grande Praga a Câmara de Vereadores havia aprovado um projeto de lei do Executivo viabilizando empréstimos a juro zero para profissionais autônomos, microempreendedores individuais e empresários de micro e pequenas empresas. As pessoas se perguntam: por que Greca de Macedo viu isso e ficou fazendo asfalto quando na verdade todo mundo tinha que ir o menos possível pra onde quer que fosse?

No início de tudo, Greca de Macedo havia dito: “Se você não sabe, deixa que eu faço”. E vocês caíram nessa, hein, seus cabaços?, as pessoas riem hoje.  

Últimas Notícias