Tentativa de esgotamento de uma cidadã brasileira | Jornal Plural
21 dez 2020 - 13h23

Tentativa de esgotamento de uma cidadã brasileira

Teve tudo isso aqui

Dia 1.
Itália, China e Estados Unidos abrem o tabuleiro.
O papa realiza uma benção histórica numa praça vazia.
77 mortes no Brasil.
Pessoas compram muito papel higiênico.
Dois anos do assassinato de uma vereadora no Rio de Janeiro.
O presidente da Coreia do Norte não usa máscara.
É decretado estado de calamidade.
O governo russo não pretende sair do jogo.
Itália declara quarentena.
Um dos ministros está descalço. O rei está nu. Faz tempo que o rei está nu.
Um ex-presidente brasileiro recebe um título em Paris.
Um presidente é eleito no Uruguai.
Um ex-jogador de futebol famoso é preso no Paraguai. 
Um jogador de futebol ex-famoso é preso no Paraguai.
O ministro da justiça pede demissão.
O presidente demite ministro da saúde.
Pessoas protestam contra o assassinato de um homem negro.
Quadradinhos pretos passam pela timeline. 
Um homem de cabelo laranja diz que vai parar de dar dinheiro para a saúde porque não quer colaborar com a China.
Uma atriz norte-americana para de ser presa toda sexta-feira.
China não registra casos novos da doença por um dia.
Uma atriz famosa faz discurso.
Uma atriz famosa ri.
Uma atriz famosa é considerada louca pela esquerda.
Uma atriz famosa é considerada mole pela direita.
Uma atriz famosa se muda para a cinemateca.
Um novo ministro da saúde deixa o cargo citando um texto motivacional: “A vida é feita de escolhas e hoje eu decidi sair.”
Um homem testa negativo para a doença.
Em Lisboa, um manifestante aparece em meio a outros carregando o cartaz “Racismo é distração”.
Pessoas voltam a frequentar parques nos EUA fazendo um círculo com tinta branca ao redor do espaço destinado ao grupo.
Uma menina se forma em Oxford.
Um homem se muda para os Estados Unidos um dia depois de ser demitido no Brasil.
Um homem é preso em Atibaia.
Pessoas se vestem de laranja.
O movimento 300 do Brasil passa a ter 298 pessoas depois de duas pessoas serem presas.
O centro de um país está pegando fogo. Literalmente.
Um homem de cabelo laranja posa em frente a uma igreja.
A premiê da Nova Zelândia conquista todos os territórios.
China fecha Consulado norte-americano.
Estados Unidos fecha consulado chinês.
Tem o preço do arroz.
Parece que vai ter vacina.
Um nerd compra um telefone com símbolo de maçã e reclama da falta de peças.
Empresa diz que mandou menos peças porque quer fazer alguma coisa pelo meio-ambiente.
Um homem com histórico de atleta contrai a doença.
Muitos minutos de silêncio pela morte de um criador de trilhas sonoras.
Cartunista argentino conhecido por ter desenhado uma criança impertinente e comunista morre.  
Uma mulher pede para que um homem a deixe terminar de falar em um debate.
Aquele mesmo país ainda não parou de pegar fogo.
Um presidente faz um discurso dizendo que este país não está pegando fogo.
Uma juíza morre.
Indícios de vida em um planeta chamado Vênus.
Um dos zero-zero-setes morre.
Polônia proíbe o aborto.
Crianças morrem na frente de casa.
Um artista famoso por ser anônimo pinta uma criança brincando com um bambolê em muro na frente de hospital.
Um homem e uma mulher derrotam dois homens da presidência dos Estados Unidos.
A mulher que pediu pra não ser interrompida faz um discurso dizendo que será a primeira, mas não será a última.
O homem de cabelo laranja diz que é tudo mentira.
Papel higiênico está em falta na Alemanha.
O papa critica o neoliberalismo.
Muitas pessoas morrem.
Um homem de cabelo laranja contrai a doença que ignorou desde março.
Incêndios aumentam no país que nega que haja incêndios.
Deus está morto para os argentinos.
Teve a live do Caetano.
Teve a live da Teresa Cristina. 
Teve a live da Teresa Cristina.
Teve a live da Teresa Cristina.
A morte de um papagaio comove o país. Faz tempo que o país não se comove. Eu me comovi.
Figurinhas de bolos pululam no whatsapp. 
O brasileiro sobrevive a trocadilhos.
O homem de cabelo laranja diz que o que tinha dito que era mentira é verdade e vai colaborar.
Um general branco diz que não existe preconceito contra negros num dia estipulado pelos negros para denunciar racismo praticado pelos brancos.
O aborto passa a ser legal na Argentina.
Mais de 180.000 mortos.
Os brasileiros continuam tristes, mas cantam Jingle bell.
Um economista diz que está frustrado.
Um assassino que já foi herói morre.
Teve a live do Caetano.
E parece que vai ter natal e o que a gente fez?
Dois gatos. 
Um raro raio de sol. 
O estoque de papel higiênico em dia.
O de paciência nem tanto.
Esperança em falta.
A bandeira do Brasil nunca esteve a meio mastro.

Últimas Notícias