Dr. Rosinha | Crônicas

Fuck you, son of a bitch ou motherfucker

Em quase todos os filmes americanos, não rara vez, ouve-se o fuck you, son of a bitch ou motherfucker. O papagaio “professor” pode ter aprendido os palavrões nesta situação num ambiente familiar, assistindo filmes, inclusive ao lado de crianças

Dr. Rosinha

Sem nome

Dar nome aos textos, poemas, crônicas, contos, artigos, reflexões, ensaios, gatos, cachorros e mesmo para filhos e filhas é, para muita gente, algo difícil

Dr. Rosinha

Prece para espantar males

A Guarda Municipal de Curitiba – sempre abençoada por Rafael Greca – “desaguou” uma tempestade de balas de fuzil contra jovens que se divertiam em um espaço público. Resultado: centenas de pessoas adoecidas, Desencantadas, desesperançadas e um assassinato. Assassinaram Mateus Silva Noga

Dr. Rosinha

D de dedo no gatilho

São milhares de milicianos, policiais, guardas municipais, seguranças privados e parte das Forças Armadas armados e dispostos a tudo e o tudo é derrotar – mesmo que não saibam o que é e quem é – o comunismo e os comunistas

Dr. Rosinha

A voz interior

Homenagear vítimas sempre dá a impressão de algo humano e solidário, afinal é o reconhecimento que um determinado número de pessoas foi vítima de algo, de alguma ação ou ausência de ação

Dr. Rosinha

Mata e culpa o morto

Os encontrarei ou – viraram números – estarão entre os mais de 500 mil que morreram por – Covid-19 – não serem atletas

Dr. Rosinha

Posta Restante

Se Bolsonaro, se é que tem, abrir sua – Posta Restante – consciência vai encontrar mais de 500 mil almas com o indicador esticado chamando-o de assassino

Dr. Rosinha

Dolorosas recordações

Será a voz escrava saindo de dentro de um livro de história ou o capataz torturando-a? É a voz de um “índio” gritando socorro, um socorro tão longe, longo e profundo que não consigo ouvir e/ou compreender? Serão as vozes dos assassinados da favela do Jacarezinho?

Dr. Rosinha

Brasilian Serenata

Passa um carro tocando uma música – de péssima qualidade – alta. Sequer parece música, é uma batida rítmica – destas de bate estacas da construção civil – irritante que te rouba toda a atenção: não te deixa ler e/ou escrever e muito menos dormir

Dr. Rosinha