Sujeito mulher

Não suportando o homem universal da ciência, ela multiplicou as epistemologias ao infinito, e agora ninguém mais sabe por onde pensar

Ana Eduarda Diehl

Em branco

O céu anda cimentado de cinza.  E isso lá é um país tropical? Passar frio dentro de casa por falta de calefação é indecente

Ana Eduarda Diehl

Cidade submersa

Desde sempre moramos na beira do rio. Não é que não aprendemos a lição. É que o rio dá de comer e alegria pros meninos daqui. Sou filho e neto de pescador. Sou pequeno, mas tenho minha própria jangada. Tinha

Ana Eduarda Diehl

Férias

Ana Eduarda Diehl vai curtir o ócio por algumas semanas e retoma a publicação de suas crônicas a partir de 31 de dezembro

Ana Eduarda Diehl