Em tempos de pandemia, Bike Fácil segue inovando e apostando no pedal | Jornal Plural
Clube Kotter
2 jul 2020 - 18h23

Em tempos de pandemia, Bike Fácil segue inovando e apostando no pedal

Mesmo com o coronavírus, aposta nas magrelas continua

Quando decidiu trocar a publicidade por uma empresa de bicicletários, em 2013, o curitibano Yuri Reck apostou no forte crescimento dos deslocamentos por bicicleta nos centros urbanos brasileiros e, ao mesmo tempo, na carência de locais apropriados para estacionar as “magrelas”. Assim, surgiu a Bike Fácil. “Eu já usava a bike como meio de transporte e sentia uma carência de espaços para o ciclista na cidade, bem como a falta de locais apropriados para empresas receberem funcionários que se deslocam de bicicleta e de espaços comerciais com local seguro para estacionar”, conta.

A fábrica curitibana nasceu com a missão de tornar os estabelecimentos mais adequados para receber os ciclistas e suas bikes. Além de comercializar produtos como paraciclos e bicicletários horizontais e verticais, a empresa elabora projetos e inaugurou mais de 100 estacionamentos em diversas cidades brasileiras, com o selo Bike Fácil de ergonomia e design. “A ideia é criar um ambiente que priorize o conforto e a segurança”, explica Yuri. Os projetos realizados incluem estruturas completas para o ciclista, como lockers, bebedouros e vestiários, além de todo o design do local.

Com o crescimento do modal e da cultura do compartilhamento, a Bike Fácil ampliou seu campo de atuação em 2018. Após dois anos de estudos e experimentação de projetos pilotos, a empresa desenvolveu uma tecnologia própria de ”bike share” por meio de cartões magnéticos em plataforma RFID, além de desenvolver sua primeira doca para compartilhamento de bicicletas elétricas.

Driblando a pandemia

As perspectivas para 2020, que eram ótimas, despencaram com a chegada da epidemia de coronavírus, que atingiu negócios e afetou investimentos em todo o país. A rede hoteleira é um dos principais clientes do segmento de bikes compartilhadas, mas com a queda no movimento a procura por estações praticamente desapareceu.

Para driblar a crise, hoje a Bike Fácil está com sua linha de produção focada nos pedidos de bicicletários para construtoras e condomínios residenciais. “É uma ótima opção para construtoras e incorporadoras, pois entregar um edifício novo já com um bom estacionamento de bikes agrega valor ao imóvel e ajuda a criar um diferencial de vendas”, diz Yuri.

A empresa também teve agilidade para criar um produto focado no isolamento social: o “Rolo Biker” – um equipamento que, ao ser encaixado no eixo traseiro, permite que a bicicleta seja utilizada para treinos sem sair do lugar. Ou seja: dá pra pedalar tranquilamente num canto da sala de estar. A unidade custa R$ 240 – uma solução interessante para quem não quer se expor nas ruas no momento, e por um valor muito menor do que uma bicicleta ergométrica.


Serviço
Bike Fácil
Bicicletas, paraciclos, suportes e projetos
E-mail: [email protected] | Whats: 41.98827.3001
www.bikefacil.com


Este texto é uma ação da #ZeligFortalece, iniciativa da Zelig Digital para auxiliar pequenos negócios e profissionais liberais na divulgação de seus produtos e serviços durante o período da pandemia, sem qualquer custo – especialmente aqueles que nunca puderam contratar um serviço profissional de comunicação.
👉🏼 Para saber mais, acesse http://zelig.digital/zelig-fortalece

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Assuntos:

Últimas Notícias