O barraco da Rainha da Sucata | Jornal Plural
5 fev 2020 - 0h29

O barraco da Rainha da Sucata

O que deu merda foi confundir apoio com simpatia. Foi achar que o passado justifica a lambança do presente.

Ela já foi a Rainha da Sucata. A viúva Porcina. A Helena do Manoel Carlos. A namoradinha do Brasil.

50 anos de TV Globo. Optou por se posicionar politicamente, o que em tese não está errado. Aceitou um convite pra um cargo público em meio a uma crise enorme, o que também não está errado na teoria. 

Mas na ânsia de se sentir apoiada, no atropelo de se afirmar como autoridade, no medo de ficar sozinha nessa furada, perdeu a mão. 

Como era de se esperar por seu histórico na televisão brasileira, Regina Duarte recebeu mensagens desejando que tudo desse certo e que a boa intenção de assumir a secretaria de cultura em um governo que tanto desmereceu a cultura bastasse.

Aquelas mensagens normais e quase automáticas que a gente recebe de conhecidos e colegas quando coloca lá no LinkedIn que mudou de cargo, sabe? 

O problema é que ela – ou a equipe de comunicação que cuida das redes dela – não se restringiu a agradecer pelos votos de boa sorte recebidos. Não não não. 

Regina foi além. E postou uma montagem com a foto de várias dessas pessoas, sem autorização delas. No meio desse pandemônio político que o Brasil se transformou nos últimos anos. 

O que rolou depois? Deu merda, claro. 

Primeiro, foi o áudio da atriz Carolina Ferraz, vazado por “alguém”, em que ela pede pra ser excluída da publicação porque não queria que o grande público confundisse aquela mensagem enviada em sinal de respeito e admiração com apoio a um governo pra lá de controverso.

E assim começou o barraco que se tornou público. 

O que se segue: 

Apaga a foto, mas não aprende NADINHA com isso. Faz nova montagem, com a foto de outra atriz. E de novo o quê? Sem autorização. E de novo o quê? Atriz reclamando publicamente e pedindo pra ter sua imagem retirada do ar. 

A cena da novela segue no Instagram com os comentários públicos de outros atores como Luiz Fernando Guimarães e Maitê Proença, com a mesma queixa. 

A atriz-consagrada-agora-secretária-de-cultura faz o quê? Não se desculpa, claro.

Não admite que errou. 

Faz um post em tom choroso, como uma vítima, reclamando que agora foi a fulana ou a beltrana que pediram pra sair. 

Meu amor, eles não pediram pra entrar. Nem concordaram, pelo que consta.

Agora, se tudo isso rolou na esfera pública da mídia social, imagina o fogo no parquinho que virou o grupo de WhatsApp das Estrelas da Novela?

O que deu merda nada tem a ver com o cargo. Com a atriz. Com a política.

O que deu merda foi confundir apoio com simpatia. O que deu merda foi achar que o histórico do passado justifica a lambança do presente. 

O que deu merda foi a gestão de crise, inexistente. O que deu merda foi achar que um post no Instagram é só um post no Instagram, sem importância. Nunca é.

E o resultado, como tudo ultimamente? 

Virou meme. Mas não no bom sentido. 

Boa sorte, Regina. Mas isso não é um apoio, viu?

Últimas Notícias