Como transformar um fiasco em oportunidade | Plural
9 maio 2019 - 9h00

Como transformar um fiasco em oportunidade

Schadenfreude vem do alemão e significa literalmente alegria ao dano. Aquela diversão (por vezes secreta) que a gente tem quando vê o outro se lascando,…

Schadenfreude vem do alemão e significa literalmente alegria ao dano.

Aquela diversão (por vezes secreta) que a gente tem quando vê o outro se lascando, mesmo que de forma inofensiva. Por que outro motivo fariam tanto sucesso vídeos no estilo das videocassetadas?

(((A primeira vez que ouvi essa expressão foi numa palestra do Share, um dos eventos mais bacanas sobre mídias sociais))

Mas e se fizermos isso com os nossos próprios fiascos? Aí estamos falando de fazer uma “Auto Schadenfreude”. Claro que esta expressão não existe oficialmente, mas é pra mim uma saída maravilhosa para as crises nas mídias sociais.

É claro que demanda maturidade e preparo. Nem toda empresa ou personalidade pública está pronta a rir de si mesma depois que já deu merda.

Nesta semana, bombou a imagem de um copo de café que “vazou” em uma cena de Game of Thrones.

É o tipo de coisa que ninguém planeja. Nem quer que aconteça, afinal, é uma história de época que se passa num período medieval.

E qual foi a reação da HBO, produtora da série, depois do deslize ter viralizado?

Na conta oficial de GOT no Twitter:

“Notícias de Winterfell. O latte que apareceu no episódio foi um engano.

Daenerys tinha pedido um chá de ervas”

Sensacional!

Aproveitou a onda, reconheceu – ainda que “de leve” – o erro e deu ainda mais o que falar. Um bom exemplo de marketing de oportunidade.

Nas horas que se seguiram, a HBO apagou digitalmente o copo descartável das imagens e atualizou o vídeo disponível na plataforma oficial.

Outro exemplo bem “antigo” que virou case neste tipo de posicionamento foi o da Chevrolet em 2014. Durante o World Series, o evento final da liga de beisebol americana, o diretor regional de marketing se atrapalhou na hora de fazer a entrega de uma camionete como premiação ao melhor jogador e virou piada por ter ficado muito nervoso. Ao descrever as funcionalidades do veículo, o porta-voz soltou um technology and stuff (algo como tecnologia e outros troços).

Bombou no Twitter na época e Rikk Wilde virou o “chevy guy”.

Pensando hoje, é até cruel que tenha tido toda essa repercussão porque qualquer mortal pode ficar nervoso ao falar num evento para tantas pessoas, transmitido ao vivo. Mas o melhor foram as consequências (bem diferentes da expectativa dele mesmo, de ser demitido): o próprio Rikk – e a marca – passaram a tirar sarro do acontecido.

Olha a nossa celebridade, aparentemente mais confortável, interagindo com a plateia do Late Show, com David Letterman.

Ali nasceu uma campanha que viralizou ainda mais e se sobrepôs ao fiasco.

O lançamento do veículo foi adiantado e a hashtag #technologyandstuff incorporada a toda a comunicação do Chevy Colorado. Isso poucas horas depois do evento com o discurso “infeliz”. A exposição orgânica provocada pela gafe foi estimada cinco anos atrás em pelo menos 2,4 milhões de dólares.

Além do impacto nas vendas e nos acessos ao site, a rápida e bem humorada reação da Chevrolet rendeu a ela três Leões de Cannes, dois deles na área de relações públicas. E uma história que vale a pena continuar sendo contada e servir de inspiração, mesmo um bom tempo depois.

Assuntos:

Últimas Notícias