Saudade do suor da plateia? | Jornal Plural
Clube Kotter
23 jul 2020 - 14h28

Saudade do suor da plateia?

Daniel Derevecki preparou uma lista para quem está com saudades de assisitir a uma boa apresentação musical

Até ser inventado o fonógrafo, no início do século XX, ouvir música dependia basicamente de uma coisa: músico e público unidos em um mesmo espaço. Com o avanço tecnológico e a eletrificação dos instrumentos, o que antes era feito diante de pequenas plateias chegou aos estádios de futebol. A relação entre artista e público foi elevada à máxima potência, fazendo com que os shows virassem parte essencial de uma indústria cultural que movimenta milhões de dólares. Pois bem, era assim até quatro meses atrás. Veio a pandemia e, com ela, os amplificadores foram desligados.

Se você gosta de uma boa apresentação ao vivo e está sentindo saudade daquela atmosfera, a lista a seguir pode ajudar a dirimir essa falta. Eu preparei uma relação com filmes de temática musical, que têm ótimas cenas de show e concertos (de diferentes estilos) e estão disponíveis nos serviços de streaming:  

Coração Louco (2009)

Disponível no catálogo da Claro Vídeo ou para locação no iTunes e YouTube

Jeff Bridges é “Bad Blake”, um cantor de música country que vê sua carreira arruinada devido ao vício no álcool. Ao apaixonar-se por uma mulher que tem um filho pequeno, vê-se diante da oportunidade de formar uma família e, assim, parte numa jornada de reconstrução da vida. O filme é muito eficiente ao retratar o circuito musical ao qual o artista, decadente, estava ligado: bares de beira de estrada, pequenas boates, hotéis de quinta categoria etc. Depois, mostra ainda seu processo de recuperação associado à composição de uma nova música, que o levará de volta ao sucesso e aos grandes palcos.

O Concerto (2009)

Disponível para locação no iTunes.

Trinta anos se passaram desde que o maestro Andrei Filipov, interpretado por Alexei Guskov, foi demitido da Orquestra do Bolshoi, passando a trabalhar como faxineiro do teatro que o consagrou. Um dia, intercepta um fax (isso mesmo, nada de e-mail ou WhatsApp) convidando a orquestra para tocar na França. Decidido a reerguer-se, sai à cata dos seus antigos músicos para “hackear” esse concerto, levando sua antiga orquestra como se fosse a atual do Bolshoi. As cenas de execução musical são ótimas e um detalhe fundamental para a trama é revelado por meio de flashbacks durante uma cena de concerto.

Bohemian Rhapsody (2018)

Disponível no TeleCine.

O “filme do Queen” é impecável no quesito execução musical. Trata-se de um dos melhores filmes que já assisti quando o assunto é retratar um show. Fiz uma breve análise desse filme na minha coluna de estreia aqui no Plural, em 2019. A perfomance da banda, no lendário Live Aid, em 13 de julho de 1985, retratada com precisão absurda, foi resultado de um trabalho de consultoria que os atores tiveram com músicos profissionais. Há também uma sequência fantástica que mostra a gravação da música em estúdio, com as muitas dobras vocais no trecho do “Galileo, Galileo…” 

Letra e Música (2007)

Disponível na NetFlix.

Nesta comédia romântica divertidíssima, Hugh Grant e Drew Barrymore são “Alex Fletcher” e “Sophie Fisher. Ele é um falido cantor de 40 anos que fez sucesso no passado numa banda chamada Pop (uma mistura engraçada dos Menudos com os Backstreet Boys) e ela é uma escritora que ainda não achou seu rumo profissional. Por acaso os dois se conhecem no momento em que ele recebe uma proposta irrecusável: gravar um single com a mundialmente famosa “Cora Corman”, uma Anitta de New York. O problema é que ele nunca foi bom em escrever letras, quem fazia isso era seu parceiro de banda, que lhe passou a perna anos antes e fugiu com uma canção dos dois que vendeu milhões de cópias. É aí que Sophie entra na história, para escrever a letra desse novo sucesso  que poderá alavancar de volta a carreira de Alex. O romance entre os dois se desenvolve durante o processo composicional da canção e, no final, há um show daqueles de arrepiar, no Madison Square Garden.  

Sing (2016)

Disponível para locação através do iTunes e do NOW.

Para fechar essa lista, uma animação excepcional, na qual o coala Buster Moon, que é empresário do show business, está tentando devolver sua casa de espetáculos aos dias de glória. Ele promove um festival para novos talentos e, por meio da preparação desse megaevento, ocorrerão reencontros e descobertas pessoais. As cenas de show foram criadas de maneira minuciosa e revelaram performances vocais incríveis de Tory Kelly (Meena), Scarlett Johansson (Ash), Nick Kroll (Gunter), Seth MacFarlane (Mike) e Taron Egerton (Johnny).

No mais, é só escolher o figurino (camiseta preta ou traje passeio completo), estourar a pipoca e curtir o som.

Para ir além (trailers dos filmes):

Coração Louco (2009)

O Concerto (2009)

Bohemian Rhapsody (2018)

Letra e Música (2007)

Sing (2016)

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias