12 fev 2022 - 9h00

Indicados ao Oscar de Melhor Canção

Confira quem tem chance de levar a estatueta para casa

Faltando pouco mais de 40 dias para a entrega do Oscar, surgem as especulações quanto às chances dos concorrentes. Hoje vou dedicar minha coluna à categoria Melhor Canção Original, que, confesso, já teve melhores. Confira a lista de indicados:

CançãoFilmeIntérprete
“Be Alive”King RichardBeyonce
“Dos Oruguitas”EncantoSebastián Yatra
“Down to Joy”BelfastVan Morrison
“No Time to Die”007 – Sem Tempo Para MorrerBillie Eilish
“Somehow You Do”Four Good DaysReba McEntire

“Be Alive”

O arranjo vocal remete ao estilo de Quincy Jones. Há pouco a ser acrescentado à performance vocal de Beyonce, cujo timbre carregado de drive e melisma faz parte da identidade da música pop das últimas décadas. O padrão de mixagem destaca a voz principal e estabelece um plano de fundo baseado nos vocais de apoio. O uso de sintetizadores, efeitos de distorção e a escolha dos acordes para o acompanhamento instrumental mostram influências da década de 1980. É uma das músicas mais sofisticadas da lista e flerta com o Gospel, ligado às comunidades afro-americanas.

“Dos Oruguitas”

Músicas de filmes de animação sempre são boas apostas. Quem não se lembra de A Bela e Fera, Tarzan, Aladdin e Toy Story? Pois bem, a música de Encanto não parece ter o mesmo apelo. Os acordes se parecem com É Preciso Saber Viver, de Roberto Carlos,enquanto a levada rítmica tem uma cara de Guantanamera. O arranjo está estruturado de forma satisfatória, com alguns compassos antecedentes ao refrão fazendo uma boa condução. Mas isso, por si só, pode não ser o suficiente. A música denota timidez ao explorar a riqueza do material rítmico presente nos gêneros musicais latino-americanos. Faltou pesquisa.

“Down to Joy”

Talvez a indicação mais estranha, porque não se trata de uma canção original. Van Morrison gravou um arranjo novo para um de seus antigos sucessos. Ficou interessante, mas dificilmente convença. O problema não é o arranjo, mais elaborado do que o original, a questão é o ineditismo da obra.

“No Time do Die”

Billie Eilish ganhou uma oportunidade de explorar outro universo, diferente da música de Internet que a consagrou e levou seu disco à conquista do Grammy, em 2020.

Sua voz sussurrada ao microfone e o clima soturno dialogam bem com a proposta. A orquestração é boa e ao final temos um acorde menor com sétima maior, característico das trilhas sonoras do agente 007. Apesar das virtudes, está longe de Skyfall.

“Somehow You Do”

Uma canção country que tem o violão como instrumento principal e o timbre de contralto da cantora Reba McEntire para comandar a melodia. Tida como surpresa, apresenta alguns dos melhores momentos musicais entre as canções indicadas, em especial pela mudança de tonalidade que conduz ao trecho final.

Palpite

Mesmo sendo mais uma canção de 007, “No Time to Die” tem mais chances de ser a vencedora, por pelo menos dois motivos: a jovem Billie Eilish e a despedida de Daniel Craig do papel principal. No entanto, “Somehow You Do” pode surpreender, porque a veterana Reba McEntire tem uma carreira consagrada na música country, o que acarreta numa base de fãs para além do mundo virtual. Podemos ter um embate entre tradição e modernidade. A ver.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias