Game of Thrones se despede do Emmy, mas sua música fica | Plural
23 set 2019 - 23h00

Game of Thrones se despede do Emmy, mas sua música fica

Ramin Djawadi, compositor da trilha sonora, é responsável por boa parte do sucesso de Game of Thrones

Agora sim podemos dizer que acabou. Depois da entrega do Emmy, Game of Thrones sai definitivamente de cena para ficar na memória dos fãs ao redor do mundo. Apesar dos descontentamentos do público com relação à temporada final, a série, que foi indicada a 32 categorias neste ano, faturou o principal prêmio da noite, o de Melhor Série de Drama. Peter Dinklage (Tyrion Lannister) levantou pela quarta vez o troféu de Melhor Ator Coadjuvante em Série de Drama, tornando-se o recordista da categoria.

Prêmios técnicos

O maior número de premiações da série, entretanto, não se deu na noite de ontem, mas alguns dias antes, no Creative Arts Emmy, destinado às categorias técnicas dos shows. A produção da HBO faturou nada menos do que 10 estatuetas, dentre as quais à de Melhor Composição de Trilha Sonora Original, por conta do terceiro episódio, The Long Night, que mostrou a épica batalha dos vivos contra o exército do temido Rei da Noite.

O compositor

Ramin Djawadi, compositor de toda a trilha sonora original de Game of Thrones desde a primeira temporada, é o responsável por boa parte do sucesso da série. A começar pelo tema principal, que virou um hit internacional, igualando-se a temas de filmes como Os Vingadores, Superman e Star Wars. Nascido na Alemanha em 1974 e formado pela Berklee College of Music, em 1998, começou sua carreira ao ser recrutado por Hans Zimmer, com quem passou a colaborar em diversas produções. No ano de 2005 escreveu as trilhas sonoras de todos os episódios de Prison Break. Neste espaço de tempo fez o seu trabalho mais reconhecido no cinema, a música original para o primeiro filme do Homem de Ferro (2008), que inaugurou o Universo Cinematográfico da Marvel. Westworld, outra série da HBO, também tem a caneta de Djawadi na trilha sonora.

As grandes músicas de Westeros

A trilha composta para o episódio The Long Night é totalmente adequada à dramaticidade do momento. Impõe um nível de tensão e agonia por meio de um piano misterioso, que vem apoiado numa condução de cordas digna do caminhar sinistro do Rei da Noite na direção de Bran. É de arrepiar. O episódio, de modo geral, tem uma atmosfera de filme de terror, com um nível elevado de suspense, mas com essa música ganhou uma elegância que fugiu de qualquer clichê possível. Apesar dos zumbis, não tem nada a ver com The Walking Dead, muito em razão da música.

Para uma audição bem orientada desse tema, é importante retornar à sexta temporada, quando Djawadi fez uso de uma narrativa musical semelhante. A música é The Light of the Seven, escrita para a sequência na qual Cersei Lannister explode o Septo de Baylor e dá fim à maior parte de seus adversários políticos. O tema também começa no piano e depois um violoncelo soturno conduz ao desenvolvimento da música em relação à trama.

Tema de abertura

Djawadi compôs algo simples em sua estrutura, mas grandioso no desenvolvimento e nas possibilidades de releitura ao longo dos episódios. Misturando os modos Maior e Menor, o tema traz a ambiguidade e as incertezas presentes na série e que dominam a construção das personagens.

Sobre essas releituras, uma delas não ocorreu na série, mas sim em uma ação promocional da marca de guitarras Fender. Djawadi, que além de pianista também é guitarrista, uniu-se a Tom Morello, Scott Ian, Nuno Bettencourt, Brad Paisley e Dan Weiss (um dos roteirista da série e que também é guitarrista) para uma versão metal do tema. O resultado é surpreendente e demonstra a versatilidade do compositor, ao fazer uma ponte perfeita entre o universo da música erudita e da popular.

Final e contribuições

Sobre o legado da saga, não há dúvida de que a HBO conseguiu consolidar um novo padrão de televisão, com uma linguagem cinematográfica estabelecida não apenas na fotografia, que ganhou muito em escala, mas também nos aspectos ligados à mixagem de som, sound design e trilha sonora. Aliás, a produtora já dava sinais disse desde muito antes. Roma (2005) já representava um prenúncio disso tudo.

Creio que a série, em termos musicais, terminou da forma mais adequada possível: com uma versão completa do tema principal para coro e orquestra. A música se desenvolve enquanto o destino dos filhos da Casa Stark é finalmente revelado ao público. Transmite um ar de triunfo e serenidade.

Para ir além

The Light of the Seven

The Long Night

Tema de Game of Thrones, cena final da última tempora

The Game of Thrones Theme, para guitarras elétricas

Últimas Notícias