“A Missão” foi cumprida: o adeus a Ennio Morricone | Jornal Plural
6 jul 2020 - 12h12

“A Missão” foi cumprida: o adeus a Ennio Morricone

Gênio das trilhas sonoras faleceu em Roma aos 91 anos

Morreu na madrugada deste dia 6 de julho, aos 91 anos, na cidade de Roma, o maestro italiano Ennio Morricone. Música e cinema são duas palavras que se misturam ao seu nome, por conta de sua produção durante a segunda metade do século XX. Não vou me ater à biografia do maestro, nem à lista de suas principais obras e prêmios, porque certamente a imprensa irá fazê-lo. Vou dedicar essas poucas linhas para falar do que Morricone representa para quem tem na música um objeto de estudo.

Sua obra é simplesmente um parâmetro. Recursos como uma nota alongada na flauta para representar a trajetória de uma bala estão entre as soluções implementadas por ele, que elevaram o uso da orquestração em um filme a novas dimensões e possibilidades. A trilha sonora deixou de ser apenas um “fundo musical”, passando a fazer parte do mobiliário cênico e isso se deve, sobremaneira, a Morricone.

Gabriel’s Oboe

Das obras de Morricone, uma das minhas favoritas é o tema do filme “A Missão” (1986). Vou descrever a cena do oboé de Gabriel, que mostra o momento do encontro entre o padre jesuíta e os índios Guarani.

Primeiro temos apenas o sound design com os sons da floresta, enquanto Gabriel desenrola o pano no qual o oboé está guardado. De súbito, ouve-se um pássaro, seguido de barulhos na água. A fotografia é cortada para a mata vazia, indicando que algo se aproxima. Gabriel começa a tocar. Aqui reside uma decisão estilística importante para a mixagem: o som do oboé, nas cenas em que o ator aparece tocando, tem pouca reverberação, contudo, nas cenas em que a floresta é mostrada em plano aberto, aplica-se um reverb carregado no oboé, como se a música estivesse ecoando pela mata, misturada aos sons da floresta.

Outro instrumento é introduzido, o tímpano, para indicar a presença dos índios guarani, que surgem à espreita do padre. Conforme os índios se aproximam, o rufo do tímpano se intensifica. Um recurso simples, todavia repleto de tensão. Quando Gabriel por fim é rodeado, um diálogo se estabelece através e em torno do instrumento. A música se torna um elemento de conexão entre esses dois mundos distintos. É o momento ideal para a orquestra soar.

Vai-se o maestro. Fica a obra.

Para ir além

A cena do oboé de Gabriel

O tema do filme “A Missão”, regido pelo próprio Morricone na sede da ONU

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem dez pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Últimas Notícias