25 nov 2021 - 8h00

Saúde mental: nossas crianças e adolescentes também sofrem

Precisamos redobrar a atenção para evitarmos que riscos à saúde psicológica dos jovens continuem crescendo na pandemia

O mundo foi afetado com o que os reflexos do Covid-19 causaram, ainda mais na questão psicológica. Muitos psiquiatras e psicólogos têm alertado sobre as consequências desta mudança de rotina para o público infantil, afinal eles se sentem inseguros devido a imaturidade.

“Nestes tempos em que o isolamento social deve ser seguido à risca, crianças e adolescentes estão mais sensíveis a desenvolverem problemas emocionais, muitas vezes, de ordem grave. Quando não tratados, os transtornos que surgem na infância e na adolescência podem representar prejuízos na idade adulta. Assim, a atenção dos pais e responsáveis com a saúde mental de seus filhos deve ser redobrada para evitar o aumento dos riscos à saúde psicológica, um dos reflexos da pandemia”, cita a publicação no site da Fundação Abrinq.

Abordei em audiência pública do dia 15 de outubro, na Câmara Municipal de Curitiba, sobre o abuso sexual, pois também traz graves consequências para a saúde mental. Dados do Ministério da Saúde revelam que a violência sexual é a principal forma de violência que vitima crianças e adolescentes no Brasil. E a sociedade precisa estar alerta para os danos sofridos pelas vítimas.  Além de ter sugerido ao executivo, ampla divulgação dos serviços multidisciplinares prestados pelo município, voltado ao tratamento das doenças mentais.

Florence Bauer, representante do Unicef no Brasil alertou: “É fundamental a criação e o fortalecimento de políticas públicas que apoiem as famílias mais vulneráveis para superar os impactos da pandemia. Se nada for feito, o Brasil corre o risco de um aumento ainda mais forte das desigualdades que já existiam antes da pandemia, afetando particularmente crianças, adolescentes e suas famílias”. 

Se você tem uma criança ou adolescente na sua família, te convido a compartilhar esse texto e participar junto comigo enviando sugestões lá nas minhas redes sociais.      

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

Comparação entre aumento da gasolina e patrimônio da família Bolsonaro usa dados imprecisos

É enganosa a comparação feita em uma postagem com percentuais sobre reajuste da gasolina no Brasil e crescimento patrimonial da família Bolsonaro. O índice do aumento do combustível não se refere a um ano, como indicado. O valor de aumento de gasolina se refere a um período de três anos, enquanto a evolução de patrimônio ocorreu em período de 12 anos para Jair e Flávio e quatro anos para Eduardo

Projeto Comprova