Quebrando o silêncio - parte II | Jornal Plural
8 abr 2021 - 1h00

Quebrando o silêncio – parte II

Queremos despertar sua atenção para os 365 dias do ano. Para que um abuso contra nossas crianças aconteça, basta uma oportunidade!

No meu texto anterior comecei a mostrar por meio de dicas simples, como toda a sociedade pode e deve identificar sinais de abuso infantil. Como disse, é por meio da conscientização e prevenção que evitamos que nossas crianças entrem para as estatísticas.

No ano de 2020, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) divulgou o balanço do Disque 100. Dos 159 mil registros feitos pelo Disque Direitos Humanos ao longo de 2019, 86,8 mil são de violações de direitos de crianças ou adolescentes, um aumento de quase 14% em relação a 2018.

A violência sexual figura em 11% das denúncias que se referem a este grupo específico, o que corresponde a 17 mil ocorrências.

E como nós, comunidade de pais e responsáveis, rede de proteção, educadores, policiais e sociedade em geral, podemos juntos mudar essa realidade triste mas muito próxima de todos? Pedófilo e abusador não têm “cara”, lembrem-se disso!

Quero mais uma vez trazer dicas simples, mas eficazes na prevenção e orientação para você conversar com suas crianças:

  1. Explique para a criança que no mundo existem pessoas más e que podem machucá-la;
  2. Nossas partes íntimas não podem ser tocadas por outras pessoas. Por mais que essa pessoa seja maior e mais forte, familiar, amigo ou desconhecido;
  3. Quando alguém quiser ficar sozinho com você e pedir para ver as suas partes íntimas ou mostrar as dela para você, saia de perto e peça ajuda;
  4. Não fale nem aceite coisas de pessoas estranhas;
  5. Quando você for chamado para fazer fotos ou filme, consulte sempre seus pais e nunca permita ser fotografada ou filmada sem roupas ou mostrando suas partes íntimas;
  6. Quando você estiver navegando na internet, não passe informações suas, como endereço e telefone. Não adicione pessoas que não conhece porque quem você acha que está do outro lado da telinha pode não ser quem realmente diz ser;
  7. Se alguém lhe chamar para ver revistas ou pornografia na internet não aceite e conte para um adulto de confiança ou para seus pais;
  8. Nunca aceite carona! Por mais que esteja chovendo, a mochila pesada e você muito cansada. Essa pessoa pode estar com intenção de machucar;
  9. Sempre que se sentir com medo ou ameaçado conte para seu pai, mãe ou outro familiar em quem confie. Conte tudo, não esconda nada! Quando você esconde o que está acontecendo, as coisas ruins podem piorar;
  10. Se algo está acontecendo com você ou seu coleguinha na escola, peça ajuda à sua professora.

O mês alusivo ao combate do abuso e exploração sexual infantil está chegando, mas queremos despertar sua atenção para os 365 dias do ano. Para um abuso acontecer, basta uma oportunidade! “A campanha tem como escopo incentivar a realização de atividades para conscientizar, prevenir, orientar e combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. A proposta é tirar o tema da invisibilidade, informando, sensibilizando, mobilizando e convocando toda a sociedade a participar da causa em defesa dos direitos de crianças e adolescentes”, afirma o secretário Maurício Cunha.

Denuncie

  • Disque 100 de qualquer telefone no território nacional
  • 181 Disque Denúncia
  • 197 Polícia Civil
  • 190 Polícia Militar
  • 191 Polícia Rodoviária Federal

Como denunciar em Curitiba?

As denúncias podem ser feitas pelos telefones 100 e 156


Para ir além

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias