2 dez 2021 - 8h00

A vida por trás de um número

Em 2020, Maria Glória Poltronieri Borges foi vítima de feminicídio. Sua história revela a cruel dimensão da violência contra a mulher e sua memória virou símbolo de luta

Maria Glória Poltronieri Borges, a Magó, era uma jovem mulher que representava tudo de mais bonito. Bailarina e sensível às artes, Magó era movimento, força, beleza, feminilidade, equilíbrio, harmonia, inspiração, música e fé. Tinha a vida toda pela frente, mas sua história foi precocemente interrompida pelo feminicídio.

Aos 25 anos de idade, Magó foi brutalmente assassinada em uma cachoeira, em Mandaguari, Região Metropolitana de Maringá. Seu corpo foi encontrado em 2020 com escoriações que trazem indícios de luta, sinalizando que, até o último momento, Magó foi resistência.

Sua morte inspirou mobilizações em todo o Brasil e no mundo. E sua memória virou um símbolo contra a violência contra a mulher.  Sua partida deu dimensão a uma tragédia que vivemos diariamente no Brasil. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a cada seis horas e meia, uma mulher é morta por ser mulher. Muito mais do que um número, estamos falando de histórias, sonhos, amores e momentos que vão para nunca mais voltar.

Portanto, Magó é também muitas mulheres. E sua família também outras tantas. Com elas, aprendemos sobre o real significado do feminicídio e sua cruel consequência, que interrompe a vida porque a sociedade não está pronta para ver as mulheres vivendo sua potência em plenitude.

Em Curitiba, Magó ganhará um espaço especial. Um Jardinete que neste sábado, 4/12, receberá seu nome, eternizando sua memória em nossa cidade. A inauguração do “Jardinete da Magó” está na agenda oficial da Prefeitura de Curitiba e acontece na Av. Frederico Lambertucci, com a Rua Maria Quitéria, a partir das 10h. O evento reunirá familiares, amigos e ativistas, em uma homenagem que faz de Maria Glória Poltronieri Borges uma presença para sempre lembrada.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Um comentário sobre “A vida por trás de um número

Deixe um comentário

Últimas Notícias

Bolsonaro não concluiu 84% das obras da transposição do Rio São Francisco, como alega vídeo

É enganosa a afirmação de que Jair Bolsonaro (PL) entregou 84% das obras da Transposição do rio São Francisco. Apesar do presidente ter retomado 222 km que haviam sido retirados do projeto original por administração anterior, a execução da obra atravessou outras três gestões federais que, juntas, entregaram mais de 90% da infraestrutura do empreendimento, considerando a extensão inicial – de 477 km

Projeto Comprova