17 fev 2022 - 8h45

A resistência do povo negro

Em relação a entrada de parte dos manifestantes na igreja, ocorrida em determinado momento do ato, sou contra distorções que visem unicamente prejudicar a imagem dos manifestantes dos movimentos sociais, do PT, e atacar nossos representantes

…Vamos precisar de todo mundo
Pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor…

“O SAL DA TERRA”, Beto Guedes.

Gostaria de trazer alguns elementos para reflexão sobre a manifestação do dia 5 de fevereiro, na Igreja do Rosário dos Pretos de São Benedito de Curitiba. De antemão, reafirmo minha posição de combate ao racismo, ao fascismo e contra o extermínio da população negra. Da mesma forma reafirmo minha posição de defesa da liberdade religiosa e de amplo respeito a todas as crenças, espaços e templos sagrados de qualquer religião, sem distinção.

As irmandades do Rosário e seus templos fizeram parte da resistência do povo negro escravizado e oprimido no Brasil. Através de suas celebrações e festas, louvavam à Nossa Senhora com orações, cantos, danças, a continuidade destas práticas está presente nos congados e tambores do Rosário contemporâneos, patrimônio imaterial do Brasil. Aqui em Curitiba, há publicações da Fundação Cultural de Curitiba divulgando a Festa do Rosário e a lavação das escadarias da igreja, reconhecendo estes eventos como relevantes na programação do mês da Consciência Negra em Curitiba.

Ressaltando mais uma vez que foi a igreja dos pretos que garantiu que pretas e pretos pudessem participar dos ritos católicos porque os demais espaços eram fechados para eles.

Em relação a entrada de parte dos manifestantes na igreja, ocorrida em determinado momento do ato, sou contra distorções que visem unicamente prejudicar a imagem dos manifestantes dos movimentos sociais, do PT, e atacar nossos representantes.

Estive na praça em frente à igreja participando da atividade organizada pelo movimento negro e, embora não tenha entrado no templo, presenciei um ato simbólico e justo aclamado pela proteção à vida de pessoas pretas, em uma igreja historicamente vinculada à população negra.

O vereador Renato Freitas já se pronunciou em plenário no dia 9 de fevereiro, pedindo desculpas aos fiéis e a toda comunidade católica. Nós reconhecemos a luta de Renato Freitas e a importância de seu mandato para a Câmara Municipal e para a população periférica da cidade.

Enquanto membro da Mesa Diretora, analisei os pedidos de cassação recebidos pela Câmara e na reunião do dia 10 de fevereiro defendi, com atenção à técnica e à lei que essa posição exige, a ampla defesa e a garantia do devido processo legal, me opondo à decisão da Mesa que acatou todos os pedidos.

Sabemos que, infelizmente, alguns vereadores de Curitiba, parte da imprensa, lideranças políticas – algumas delas pré-candidatos/as e até mesmo o genocida que hoje é presidente da República – têm usado esse episódio com o intuito de criminalizar a esquerda e seus representantes.

Precisamos veementemente denunciar e repudiar a série de ataques de cunho racista que meus colegas de bancada, Renato Freitas e Carol Dartora, têm sofrido desde o ocorrido, pois este movimento tem apenas o intuito de desvirtuar a questão do debate central: o combate ao racismo e o genocídio da população negra.

Para terminar, presto minha solidariedade às famílias de Moïse, Durval e de todos os negros e negras que sofrem violência e são assassinados todos os dias em nosso país. 

Manifestação contra o assassinato do imigrante congolês Moïse Kabagambe. Foto: Eduardo Marcelino/reprodução redes sociais do mandato vereador Renato Freitas.

…Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Para melhor construir a vida nova
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois

Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor
Deixa fluir o amor
O sal da terra

“O SAL DA TERRA”, Beto Guedes.


Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É falso vídeo que tenta ligar filho de Lula a Petrobras e a aumento de combustíveis

Diferentemente do afirmado em vídeo, o preço do barril de petróleo não é manipulado por uma empresa internacional que investe na Petrobras. O preço varia, na verdade, com a oferta e demanda do produto no mundo. Além disso, nenhum filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é sócio de empresa investidora da companhia e o presidente Jair Bolsonaro (PL) não instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os acionistas da petroleira. O conteúdo é falso

Projeto Comprova