A biografia de um brasileiro chamado Alex de Souza | Plural
23 maio 2019 - 8h00

A biografia de um brasileiro chamado Alex de Souza

Marcelo Almeida conta sobre a ideia de presentear o ídolo e amigo com um livro sobre sua carreira

Desde sempre gostei de futebol. Vou aos estádios, leio cronistas esportivos, amo ouvir a narração no rádio enquanto vejo o jogo na TV sem o áudio.

Para mim futebol é uma arte: uma caneta no adversário, um lençol no beque, uma bola que cruza o campo e morre no peito de um ponteiro. Futebol é força, suor, rapidez, inteligência e um um pouco de ballet.

Se recorro a palavras como arte e ballet é para melhor expressar que há jogadores e há gênios.

Há duas décadas acompanho um jogador. Ele esteve em alguns times brasileiros e se tornou do mundo ao jogar na Turquia por quase uma década. Não posso deixar de relembrar que não esteve em nenhuma Copa do Mundo, cortado que foi, injustamente. Em 2003, ele era um dos melhores camisas 10 do planeta. Seu nome: Alex de Souza. O Alex da Seleção Brasileira, do Coritiba, do Palmeiras, do Cruzeiro e do inesquecível Fenerbahçe, de Istambul.

Eu sempre quis ser amigo do Alex, mas como, se ele tem milhões de fãs? Queria poder ir ao estádio para vê-lo depois do jogo ou poder enviar um WhatsApp desejando um excelente jogo. Queria uma camisa autografada para colocar na parede da sala da minha casa. Eu chegava a chorar de alegria ao vê-lo em campo! Enfim, eu era um típico fã, um grande fã!

Uma manhã, escutei numa rádio que ele estava voltando para encerrar a carreira no Coritiba. Juro que me senti como uma criança que vai ao estádio pela primeira vez, de tão feliz.

Nessa época brotou essa ideia de presenteá-lo de alguma maneira. Quando ele já estava de volta, um amigo meu, o fisiologista Raul Oziek, que cuidava dos meus filhos e cuidava também dos jogadores do Coxa, acabou me levando num treino. Lá pude me apresentar ao meu ídolo. Eu disse: “Alex, eu queria te dar um presente”. Ele não entendeu nada e quis saber por que. “Porque você é o cara que por vinte anos eu acompanho e acho um jogador esplêndido. Como torcedor, quero te dar um presente por tudo que você fez pelo futebol, pelas alegrias que me deu. Por onde você passou, eu passei a torcer pelo time em que você jogava. Hoje eu torço para o Cruzeiro, para o Palmeiras, além do Coritiba e do Fenerbahçe.” Então o Alex perguntou o que eu estava pensando em fazer e eu respondi: “Eu quero fazer um livro sobre  a sua vida. Você tem que contar a sua história com a Seleção Brasileira, como foi o corte que te tirou da Copa; a tua passagem pelo Parma, pelo Flamengo, como você se tornou um ídolo na Turquia”.

Ele topou e disse que gostaria que o Ruy Castro escrevesse o livro. Liguei então para o Ruy Castro, que me disse que não faria mais biografias por causa da confusão no Congresso Nacional sobre o que se pode e o que não se pode fazer nesse campo. O Ruy Castro me indicou um outro escritor, o Marcos Eduardo Neves, que havia feito a biografia do Heleno de Freitas, um ídolo do Botafogo, que era o grã-fino do futebol. Levei a sério a ideia do presente para meu ídolo e fiz acontecer. Começamos então a empreitada, que exigiu que o biógrafo viajasse com o Alex pelo mundo, ficasse na concentração com ele.

O resultado é um livro maravilhoso, que é a cara do Alex, um brasileiro inteligente, maior que as limitações do ambiente onde cresceu; um jogador que continua pensando no futebol quando está fora de campo e que, por isso, é crítico e exigente consigo mesmo e com os outros.

Fiquei muito feliz de ter feito esse livro acontecer, inclusive porque o Alex é um cara que gosta muito de ler, o que é mais um motivo para eu ter certeza de que acertei na escolha do presente.

O lançamento teve muita repercussão no Brasil. Em Curitiba, o Alex ficou mais de quatro horas atendendo os fãs que foram na noite de autógrafos. Na Turquia, então, foi incrível! Na noite de autógrafos, em um shopping de Istambul, foi tanta gente para vê-lo que todo o andar onde ele estava foi tomado. Aqui no Brasil nós vendemos 18 mil exemplares; na Turquia foram 63 mil livros em apenas três dias nas livrarias. Importante: nossa amizade foi tão verdadeira desde que nos conhecemos que jamais eu e ele assinamos um contrato para definir valores e direitos autorais. Foi tudo no fio do bigode!

Esse livro foi uma dádiva, uma troca de presentes entre nós dois. Hoje, o Alex é um grande amigo meu. Tive a oportunidade de vê-lo treinar, de enviar o WhatsApp desejando que fizesse um bom jogo. Agora tenho a camisa autografada na minha sala. Depois de tudo isso, ainda cultivo um outro sonho, que é formar com ele uma dupla de ataque e assumirmos o nosso clube do coração, o Coritiba, trabalhando juntos por ele.

Para ir além

Alex, a Biografia, Marcos Eduardo Neves. Editora Planeta. 288 págs. R$ 52,00.

Leia mais artigos de Marcelo Almeida

Na capa deste livro, todo o amor do mundo

Travessuras de um leitor diante de Vargas Llosa

Assuntos:

Últimas Notícias