20 maio 2022 - 8h00

Preservação da Amazônia vira fake – fake Green

Bolsonaro chegou a publicar um vídeo afirmando que não há desmatamento: sim, antes dele presidente, quando foi registrado até um mínimo histórico

O Brasil tem “papel estratégico de segurança climática”, diz ex-ministra Izabella Teixeira/ministra do Meio Ambiente entre 2010 e 2016 – e avalia que a geopolítica climática atual coloca o Brasil em posição estratégica, mas que o país está “queimando este papel”.  

Certas coisas, embora mais do que importantes, só ganham destaque no jornalismo de fato, o jornalismo plural… E aí temos na edição de terça-feira, dia 17, com o devido destaque:  

– A geopolítica climática atual coloca o Brasil em posição estratégica, mas o país está “queimando este papel”.  

Ainda do texto de Laura Scofield / Agência Pública:  

– Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal encerrou o julgamento da chamada Pauta Verde, como ficou conhecido o pacote de sete ações sobre a gestão do atual governo na área ambiental. Para a ex-ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira, apesar de “frustrante” em alguns aspectos, o julgamento fez sinalizações importantes ao Executivo, ao Congresso e à sociedade brasileira ao exercer seu papel na garantia do cumprimento do dever constitucional de preservar o meio ambiente.  Presidente do Painel Internacional de Recursos do Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas, Izabella comandou a pasta durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. À época, o Brasil chegou a alcançar o mínimo histórico de desmatamentotaxa que foi quase triplicada com a chegada de Jair Bolsonaro ao poder. A redução do desmatamento durante sua gestão levou Teixeira a ganhar, em 2013, o Prêmio Global “Campeões da Terra”, da ONU Meio Ambiente.  

Izabella Teixeira, ex-ministra do Meio Ambiente.

– A questão climática é uma questão de desenvolvimento, ela está na centralidade da equação do desenvolvimento do mundo. Portanto, todos os assuntos correlatos à agenda do desenvolvimento têm a ver com atenção climática. Todos. Uma das questões centrais do processo de desenvolvimento é como desenvolver com mais inclusão, com mais equidade, e você não pode partir do zero, existe um passivo, que a pandemia exacerbou.  

ele vê tudo azul…  

Ainda da publicação no Plural:  

– A senhora também falou em outras entrevistas sobre o que chamou de fake green. O presidente ontem mesmo publicou um vídeo em suas redes sociais em que afirmou que não há desmatamento na Amazônia. Qual o papel da desinformação ambiental para esse governo?

– O governo é fake green. Por isso que publica esses vídeos. Ele não conta o que aconteceu na destruição da Amazônia na gestão do governo dele. É impossível você desmatar a Amazônia em quatro anos, então ele mostra uma coisa intocável de 80% preservados e não fala dos 20% e da contribuição do governo dele sobre isso. Ele faz uso da maquiagem verde. Ele manipula as informações. O fake green determina no Brasil a perda de credibilidade e confiança, por um lado, e por outro lado permite que muita gente nos chame de mentirosos. Um chefe de estado ser chamado politicamente de mentiroso é o esvaziamento político de um país. É nessa perspectiva que ele está jogando. O fake green é a identidade política do governo. Ele manipula as informações. É tudo falso, ele lidera pelo o que é fake, liderança pelo que não é real, lidera pela destruição.  

PS: e quem acha que está tudo azul merece cartão vermelho…

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Assuntos:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias