Nada contra - muito pelo contrário... | Jornal Plural
13 maio 2021 - 0h03

Nada contra – muito pelo contrário…

Há um setor que não para de crescer: o de pet shops, tanto que já conta até com serviço online, descartando de vez a tal vida de cachorro

Depois de topar com alguns avisos e pedidos de colaboração, há quem, andando pelas ruas de Curitiba, tenha recorrido a um velhíssimo sucesso musical. Por conta de Waldick Soriano (1933/2008), na verdade Eurípedes Waldick Soriano: “Eu Não Sou Cachorro Não”.  

Eu não sou cachorro não
Pra viver tão humilhado
Eu não sou cachorro não
Para ser tão desprezado
Tu não sabes compreender
Quem te ama quem te adora
Tu só sabes maltratar-me
E por isso eu vou embora…

Os dados não mentem  

Segundo a prefeitura, Curitiba conta com 1.837 lojas que cuidam da higiene, embelezamento e alimentação de animais contra 1.523 padarias e confeitarias. Um serviço que costuma figurar entre os mais populares de qualquer capital. E sobram conselhos:  

– Evite amarrá-lo, pois o animal pode se ferir; evite deixá-lo no quintal, terraço ou varanda; monte um abrigo com água fresca e música alta (os especialistas dizem que a música clássica ajuda a combater o estresse).  

– Cães possuem uma audição muito mais potente do que a nossa. Barulhos muito altos, como os dos fogos de artifício, fazem com que o animal fique agitado, estressado e até traumatizado.  

Coleira ou linguiça?  

E, é claro, surgiu o aviso/alerta Amarrar cachorro com linguiça. Expressão popular que significa “facilitar as coisas para alguém”. A origem? Giovanni Boccaccio (1313-1373), que nasceu em Paris e morreu na Itália, produziu inúmeras obras literárias, entre as quais o Decameron (Dez Dias, em grego), reunindo sátiras sobre costumes florentinos (Florença, onde o próprio Boccaccio viveu). Uma das obras fala de regras fundamentais de conduta social em uma terra “tão maravilhosa que nela os cachorros eram amarrados com linguiça”.  

Voltando aos dias hoje  

O cão Rin Tin Tin e o ator Lee Aaker, que contracenavam na série As Aventuras de Rin Tin Tin.

Em Curitiba, um pet shop, além de rações, oferece “acessórios, brinquedos, roupinhas, banho e tosa e consultório veterinário”. E ressalta: “Uma nova opção de banho e tosa para seu pet no Cabral – tudo num só lugar”.  

Já em uma farmácia, no Juvevê, temos ao lado da porta de acesso um simpático convite. Numa plaqueta, com pequenos ganchos para colocar a ponta da coleira e um tapete para o breve descanso do animal, ou melhor, dog:  

– Nissei + que farmácia. Parada pet. Deixe seu cãozinho aqui.  

Mas, não longe dali, em marquises encontramos vários pedidos/apelos: favor recolher as fezes do cachorro.  

E, lembrando cães famosos, como o Rin Tin TinPlutoLoboScooby DooSnoopyLassieAceIdeiafix, há quem tenha matutado com seus botões: coitado do Tarzan, no mato sem cachorro, ou melhor, na selva sem cachorro teve de se contentar com a Chita… 


Para ir além

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias