Motivo (mais um) para largar o cigarro | Plural
29 jul 2019 - 22h26

Motivo (mais um) para largar o cigarro

O troco do cigarro é que leva o sujeito a parar de fumar

Curitibanos fumam menos e procuram mais ajuda contra o cigarro, como bem demonstrou a jornalista Mauren Luc, em texto publicado quarta-feira, dia 24, aqui no nosso Plural. A propósito: um leitor – e assinante do Plural – tem um amigo que também deixou o vício. Por conta própria, sem ajuda externa, depois de queimar décadas e décadas pitando. Foi pura e simplesmente por causa do preço. Muito caro? Não. E ele explicou a tremenda façanha:

– Foi quando o velho Parliament passou a custar RS 10,25, preço ainda em vigor. Ou seja: o troco virou um tremendo problema – para o fumante e para quem vende o produto, no bar ou na banquinha da esquina. No caso de só dispor de uma nota de R$ 20,00 no bolso, pior ainda uma de R$ 50, o fumante corre o risco de levar uma bronca. No primeiro exemplo, o troco seria R$ 19 mais 75 centavos…

Assim, a saída foi, sempre que possível, guardar alguns trocados para sair de casa carregando (preferencialmente) moedinhas de 25 centavos – até porque levar no bolsinho moedinhas de 5 centavos – ou algumas de 10 e outras de 5 – iria exigir cuidado redobrado. Aí, ao comprar um maço de cigarros, o troco maldito deixou de ser um pepino: uma nota de R$ 10,00 (de R$ 20,00 ou até mesmo de R$ 50,00) mais os 25 centavos, tudo certo…

– Mas, se o Parliament subir pra R$ 13, 47, tomara que não, voltarei a fumar cachimbo – garante o amigo. Até porque, como esclarece, cachimbo é bem mais saudável, você não traga quando dá uma cachimbada

Há, porém, outro problema diário a ser resolvido: as tais ligações do telemarketing.

– Não aguento mais! Recebo pelo menos cinco por dia… Oi, aqui é a Fernanda da Vivo…

Voltando aos fumantes

Do texto de Mauren Luc:

– Aos 20 anos, o advogado Jader Pereira já fumava uma carteira de cigarros por dia. O vício persistiu por quase duas décadas e só cessou há 11 meses, com ajuda profissional. “Foi uma libertação”, diz ele. Jader e outros 60 mil curitibanos que pararam de fumar em 2018 ajudam a melhorar os índices de Curitiba no ranking das capitais com mais fumantes do Brasil. De primeira, a cidade caiu para terceira colocada. Os dados, do Ministério da Saúde, aliados a números da Prefeitura de Curitiba, mostram que cada vez mais brasileiros estão largando, ou tentando largar, o cigarro. As causas vão de doenças a mudanças sociais, como educação, programas de apoio e leis antitabagistas.

Últimas Notícias