Por um Judiciário que olhe, veja e repare | Plural
16 jan 2019 - 0h00

Por um Judiciário que olhe, veja e repare

A juíza Fernanda Orsomarzo conta como ir para uma cidade pequena a obrigou a encarar a pobreza de frente e a entender melhor a função do Judiciário. “A magistratura deve ir além do mero formalismo legal”, diz ela em sua coluna de estreia.

Ingressei na magistratura em 2014. Eu, estudante pertencente a uma típica família classe média paulistana, finalmente assumiria o cargo de juíza de direito no Paraná. O concreto da São Paulo cinza e impessoal que me abrigou desde a infância daria lugar a um novo universo de descobertas e experiências no interior paranaense.

O conteúdo que você está tentando acessar só está disponível para membros. Desculpe.

Últimas Notícias