Elevador de Serviço - Pegando ônibus | Plural
24 maio 2019 - 8h00

Elevador de Serviço – Pegando ônibus

O sistema de transporte de Curitiba já está desgastado, desatualizado e sobrecarregado. Insuficiente para o tamanho da cidade

Curitiba é conhecida como uma cidade com um bom sistema de transporte coletivo, e ao tocar no assunto, Jaime Lerner logo é lembrado, com suas canaletas e estações tubo. Mas é claro que muitas outras pessoas fazem parte desta história.
Teve, por exemplo, o senhor Paulo Julio Reksidler, que criou a Auto Viação Curitiba e a Auto Viação Campo Largo. Quando eu o conheci, a empresa tinha cerca de 300 motoristas e 200 cobradores, e o comando já estava com os filhos; mas o senhor Paulo estava sempre por lá, continuava sendo um homem dinâmico.
Ele me contou que começou com um único ônibus – de dia ele o dirigia, de noite ele o consertava. Ele mesmo fazia as rotas e fixava o preço da passagem. Só depois é que foi criada a Urbs, que regulou o sistema de transporte da cidade, em muitos casos mantendo os itinerários que tinham sido criados pelo senhor Paulo.
Quanto aos motoristas, houve uma época em que cumpriam jornada 12 x 12 – trabalha 12 horas, depois folga 12 horas, e assim sucessivamente. Uma jornada impensável para o trânsito dos dias atuais.
Já faz tempo que os motoristas em Curitiba têm jornada de 6 horas diárias. E ainda assim, isso é bastante estressante, pois cumprir tabela de horários, enfrentar o trânsito, e ainda com a responsabilidade pelos passageiros, não é nada fácil.
Atualmente, na verdade, o sistema de transporte já está desgastado, desatualizado e sobrecarregado. Insuficiente para o tamanho da cidade. As estações tubo carecem de climatização e de instalações sanitárias.
Há muitos anos, as Convenções Coletivas de Trabalho da categoria (acordo entre os sindicatos de empregados e de empregadores) repetem a intenção de tentar obter da prefeitura uma solução para a falta de banheiros. Somente as instalações em terminais não são suficientes. Mas nunca houve muito avanço, e até hoje os motoristas e cobradores precisam contar com a boa vontade dos comerciantes em boa parte dos casos.
Em alguns lugares onde a estação tubo fica longe de qualquer comércio, para o cobrador só sobra, mesmo, o matinho mais próximo. Ainda assim, seria melhor investir nesse sistema que já existe, e melhorá-lo, do que querer mudar o modal.
Mas os verdadeiros heróis dessa história são mesmo os motoristas. Carregam a responsabilidade de zelar pela vida e pela integridade física de milhares de pessoas por dia. Só isso já seria suficiente para me tirar o sono. Mas ainda tem a pressão dos horários, da fiscalização da Urbs, do trato com os passageiros.
Portanto, sempre que puder, procure ser educado e cortês com os motoristas de ônibus. Eles desenvolvem um trabalho essencial para a sociedade, e merecem nossa admiração e respeito. Mais do que isso, eles precisam de nossa ajuda, no trânsito, todos o dias.
Quando você colaborar com um motorista de ônibus, estará colaborando com toda a sociedade.
 

Leia mais artigos de Vicente Moraes

Assuntos:

Últimas Notícias