Uso de cerol pode gerar multa de R$ 2 mil | Plural
10 set 2019 - 21h33

Uso de cerol pode gerar multa de R$ 2 mil

O projeto de lei prevê também a proibição de “linha chilena” em pipas

Tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara de Curitiba projeto de lei que proíbe o uso e a comercialização de linha chilena e similares nas pipas. A proposta também aumenta de R$ 500 para R$ 2.000 a multa pelo uso de cerol, composto de cola e vidro moído proibido em Curitiba desde 2005.

Segundo a vereadora Fabiane Rosa (DC), autora do projeto, há um “clamor constante e bastante urgente dos motoclubes” pela proibição de linhas cortantes. O motivo é o risco de acidentes graves, que podem levar animais e pessoas à morte.

Ciclistas e motociclistas são especialmente vulneráveis. De acordo com a Associação Brasileira de Motociclistas (ABRAM), só em 2010 aconteceram mais de 100 acidentes, sendo que 50% causaram ferimentos graves e, 25%, fatais. A campanha “Cerol, não!” estima que atualmente sejam mais de 500 ao ano, mantendo a mesma proporção de gravidade e letalidade.

A proibição pode se tornar nacional. Tramita no senado ementa que altera o Código Penal para tornar crime “as condutas de usar, armazenar, distribuir, elaborar, preparar, fornecer, possuir, transportar, fabricar, importar, expor à venda ou comercializar mistura cortante de vidro moído e cola (“cerol”) e substâncias de efeitos similares.” Se aprovada, o infrator poderá receber multa e detenção de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos.

Últimas Notícias