Secretária que homenageou Paulo Freire escapa de moção de repúdio | Jornal Plural
18 set 2019 - 22h06

Secretária que homenageou Paulo Freire escapa de moção de repúdio

Câmara de Ponta Grossa rejeitou repúdio a professora

A Câmara de Vereadores de Ponta Grossa rejeitou, na última segunda-feira (16), a Moção de Repúdio à secretária municipal de Educação Esméria Saveli. A proposição, de autoria do vereador Ricardo Zampieri (PSL), foi descartada por 14 votos a três.

A moção foi protocolada, segundo o vereador, em razão de suposta violação do artigo 13 do regulamento do desfile cívico-militar de 7 de setembro, que veda a promoção de manifestações de caráter político-partidário e de desrespeito a pessoas ou instituições. Para Zampieri, as roupas pretas com dizeres de Paulo Freire utilizadas pela secretária durante o desfile indicavam um ato de protesto.

Além de Zampieri, apenas dois parlamentares foram favoráveis à moção. Vinicius Camargo (PMB) seguiu a linha de Zampieri e fundamentou seu voto no desrespeito ao artigo 13. Já o Dr. Magno Zanellato (PDT) justificou a escolha afirmando ser contra a ideologização da educação.

Saveli considerou a polêmica desnecessária. Segundo a secretária, havia pessoas com vestimentas de diversas cores e não foi a primeira ocasião em que usou preto. Sobre a frase de Paulo Freire, declarou que o patrono da Educação brasileira é o tema central do Congresso de Educação e da Feira do Livro de 2019, e por este motivo, utilizou a roupa com a mensagem.

Marcelo Rangel (PSDB), prefeito de Ponta Grossa, defendeu a secretária de Educação e declarou ter ficado indignado com o repúdio.

Colaborou Rafaela Moura

Últimas Notícias