25 maio 2022 - 14h10

Renato Freitas cobra que Câmara de Curitiba investigue vereador que vazou áudio

Márcio Barros adiantou em áudio votos de colegas no processo de cassação de petista

O vereador Renato Freitas (PT) apresentou um requerimento à corregedora Amália Tortato (Novo) para saber se ela tomou alguma iniciativa para investigar um áudio vazado do vereador Márcio Barros (PSD). No áudio, o vereador adiantava o voto de colegas conta Renato Freitas no Conselho de Ética e dizia que era preciso pressionar Noêmia Rocha (MDB) para votar pela cassação.

Em mais de uma ocasião, Renato, que responde a um procedimento por quebra de decoro em razão de uma manifestação antirracismo na Igreja do Rosário, disse que o áudio do colega mostra uma “conspiração” dos vereadores para cassar seu mandato.

O texto enviado a Amália pergunta se foi aberta alguma sindicância, “haja vista que sua conduta enquanto membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar foi complementarmente inadequada, em flagrante violação ao art. 51 do Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Curitiba e pode representar, infração ético-disciplinar”.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

10 comentários sobre “Renato Freitas cobra que Câmara de Curitiba investigue vereador que vazou áudio

  1. temos de resistir ao fascismo … ac ada dia … ac ada atitude … a cada demonstração … vamos vencer ! o fascismo não vai passar !

  2. Não foi “aberta a sindicância” porque o vereador Renato Freitas é preto, pobre e do PT.
    Não duvido que depois da condenação de Renato resolvam abrir a sindicância.

  3. Punir a pessoa que invadiu um templo religioso não é racismo. É justiça, independentemente da cor do infrator.

  4. Por qual motivo, o jornalista não comentou sobre o email forjado apresentado pela defesa do vereador? Isto não configura estelionato?

    1. Macdowell, é uma acusação grave e caluniosa dizer que o email foi forjado pela defesa do Renato Freitas. Não há qualquer indício disso. Sugiro mais cuidado, uma vez que um comentário na internet, mesmo que anônimo contém informações de identificação sua e pode ser solicitado pelo acusado para eventual ação legal contra você. Calúnia é crime.
      Rosiane

  5. Essa Amália Tortato vai devagar quase parando quando é pra investigar os amiguinhos brancos dela. Ela tava a metros de distância do Oswaldo Eustáquio no julgamento do Renato e ficou quietinha. Eustáquio só foi removido da câmara quando o advogado de Renato interviu.

    Daí pro negócio do e-mail racista, ela completou uma sindicância (mal feita) em 24 horas, só pra cassar o Renato. Essa Amália não tem capacidade pra ser Corregedora, acho que ela sequer entende o quê uma Corregedora tem que fazer, porquê esses dias ela disse pro Dalton Borba “Obrigada por me lembrar que eu sou Corregedora”.

    Imagine ela quando trabalhava de aeromoça; a TAM deve estar dando graças que ela não trabalha mais com eles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias