Ratinho coloca igrejas como atividades essenciais, mas segue não recomendando cultos presenciais | Jornal Plural
31 mar 2020 - 14h51

Ratinho coloca igrejas como atividades essenciais, mas segue não recomendando cultos presenciais

Governador segue caminho de Jair Bolsonaro, criticado por especialistas

O governador Ratinho Jr. (PSD) seguiu os passos de Jair Bolsonaro e incluiu as atividades religiosas entre os setores essenciais que não precisam respeitar as regras de isolamento social durante a pandemia de coronavírus no país.

O governo do Paraná diz que recomenda que as igrejas permaneçam abertas apenas para aconselhamento individual, e que ao invés de realizar cultos e missas presenciais, façam as reuniões sem a presença dos fiéis, com transmissão pela Internet.

O presidente vinha protestando contra a ideia de fechar igrejas e templos como proteção contra a disseminação da doença, e incluiu as atividades religiosas entre as atividades essenciais do país. Nem todos os governadores seguiram esse caminho. Aliás, o próprio prefeito Rafael Greca (DEM), de Curitiba, não foi por esse caminho.

Por aglomerarem muitas pessoas em espaço confinado, as igrejas e templos são ambientes ideais para a transmissão de vírus que se propagam pelo ar, como é o caso do coronavírus.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias