Ratinho chama Ney para conversa decisiva; Leprevost recorre a Kassab | Jornal Plural
Clube Kotter
11 mar 2020 - 21h34

Ratinho chama Ney para conversa decisiva; Leprevost recorre a Kassab

Pré-candidato do PSD sofre assédio pesado do time de Greca, e vai a Brasília para tentar garantir candidatura a prefeito

A eleição para a prefeitura de Curitiba pode seguir o mesmo caminho da disputa pelo governo do Paraná em 2018: na época, um dos candidatos principais (Osmar Dias) acabou sendo retirado da corrida antes mesmo do início da campanha. Agora, o mesmo parece estar acontecendo com Ney Leprevost (PSD). O elo entre as duas ocasiões parece ser o governador Ratinho Jr. (PSD).

Dois anos atrás, Ratinho foi o beneficiário direto da desistência súbita (e quase incompreensível) de Osmar Dias. Acabou se elegendo com facilidade em primeiro turno, algo que dificilmente ocorreria caso oi pedetista tivesse mantido a candidatura até o fim. Agora, Ratinho está no centro da articulação que pode tirar Ney da eleição.

Os dois lados estão jogando com todas as suas fichas. Rafael Greca (DEM), o principal interessado em se ver livre do adversário, tenta a todo custo emplacar seu vice, Eduardo Pimentel, no PSD – o que anularia as pretensões de Ney. Aparentemente, Ratinho teria sido convencido por Greca e por vários caciques do PSD a aceitar o acordo. Eduardo Sciarra, Guto Silva e Márcio Nunes são citados entre os que preferem o apoio a Greca, embora neguem.

Uma das conversas de bastidores é que Ratinho estaria pensando inclusive na própria reeleição. A equipe de Greca teria insinuado que o prefeito poderia abandonar o segundo mandato pela metade para ser candidato ao governo. Sabe-se lá se isso atrapalharia a campanha de Ratinho (possivelmente não), mas o governador já mostrou que não gosta de brincar em serviço quando se trata de ganhar eleição.

Ratinho pede reunião

O que se sabe é que Ratinho pediu uma conversa a sós com Leprevost. Até agora, Ney tem dito a interlocutores que não acredita que o governador vá aceitar Eduardo Pimentel no partido. Mas dentro do PSD, há quem diga que se trata de ingenuidade: Ratinho já deu vários sinais de que vai atirar a candidatura de Leprevost aos leões.

Primeiro, Ratinho exigiu que o secretário entregue o cargo já, caso queira ser candidato – perdendo centenas de comissionados e sendo obrigado a reassumir como deputado federal, passando metade da semana longe do eleitorado de Curitiba, em Brasília.

Depois, para ser mais direto, disse que prefere que Ney fique no governo. Alegou que não encontraria alguém à altura para substituí-lo no primeiro escalão. Mas é evidente que não se tratava de um elogio. Agora, pelo que se diz, no máximo até segunda, Ney será informado da decisão do governador.

Ney recorre a Kassab

Como antídoto, Leprevost tenta recorrer dentro do partido. Nesta quarta, foi ao encontro do presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab. Saiu dizendo que tem a candidatura garantida.

Além disso, Ney tem pelo menos um trunfo na mão. Como presidente municipal do partido, ele teria de abonar a ficha de Eduardo Pimentel, a quem chamou nesta semana de fantoche. Sem que ele assine a adesão, Ratinho teria de destituir a executiva municipal – uma cartada desagradável e pouco discreta.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Últimas Notícias