Nem vereadores sabem o que Greca quer fazer com a Urbs. Veja 10 perguntas feitas por um deles | Jornal Plural
Clube Kotter
25 fev 2019 - 0h00

Nem vereadores sabem o que Greca quer fazer com a Urbs. Veja 10 perguntas feitas por um deles

Vereador da base de Greca apresenta requerimento para saber o que afinal vai acontecer com o transporte da cidade

O anúncio feito pelo prefeito Rafael Greca (PMN) e pelo governador Ratinho Jr. (PSD) de que Curitiba e região terão uma agência única metropolitana para cuidar do transporte coletivo pegou de surpresa não só os passageiros: nem mesmo a base do prefeito tinha ideia de que isso estava sendo cogitado.

Na sexta passada, Greca se reuniu com Ratinho. Os dois saíram de l[a anunciando um pacote gigantesco de investimento do governo para evitar que a passagem de ônibus suba além de R$ 4,50. Ratinho disse que colocará R$ 150 milhões em obras e subsídio. A prefeitura porá mais R$ 50 milhões.

O anúncio da agência veio do nada, no meio de um vídeo no Instagram. Greca largou a bomba, postou e saiu correndo. Ninguém, sabe que formato terá a tal agência, quais são as suas atribuições e se a Urbs, hoje responsável pelo serviço, será extinta.

O blog entrou em contato neste domingo com o líder do prefeito na Câmara, vereador Pier Petruzziello (PTB). Como estava em viagem, Pier disse não saber ainda dos detalhes. Mas não é só ele: mesmo os vereadores que estavam por aqui souberam de tudo muito por cima.

Bruno Pessuti (PSD), do partido do governador e da base do prefeito, chegou a protocolar um pedido de informações para saber o que está acontecendo. Desde a CPI do Transporte Coletivo, o vereador é dos que mais seguem o tema de perto.

Veja as dez perguntas apresentadas pelo vereador:

1) O valor de R$ 50 milhões em subsídio anunciado pelo Prefeito Municipal será investido de que forma? Está previsto na LOA 2019?

2) O valor de R$ 40 milhões em subsídio anunciado pelo Governador do Estado apenas para a cidade de Curitiba sera investido de que forma?

3) Com o anúncio da bilhetagem unificada na Rede Integrada Metropolitana, quem ficará responsável pela bilhetagem? A Metrocard (privado) ou o FUC Fundo de Urbanização de Curitiba (público)?

4) Com o anúncio da fusão da URBS com a COMEC em um Agência Metropolitana de Transporte, como será feita a remuneração da URBS, hoje definida por lei municipal (Art. 10 da Lei 4369/72) em 4% dos recursos destinados ao FUC – Fundo De Urbanização de Curitiba.

5) A Urbs continuará existindo como Sociedade de Economia Mista que regula outras coisas além do Transporte Coletivo ou será o fim da empresa?

6) Se ela continuar existindo, como será a remuneração dessa empresa? Através de um convênio com a Agência?

7) Qual será o prazo de validade dos créditos dentro do sistema unificado?

8) Após expirar o prazo de validade da tarifa, para onde será transferido o valor?

9) Os impostos exclusivos das empresas continuam a servir de base na formação do preço da tarifa técnica?

10) Será criado o Bilhete Único Temporal em toda a rede integrada metropolitana?

[simple-author-blog]

Últimas Notícias