12 jan 2022 - 20h36

Guto Silva deixa governo Ratinho Jr. para tentar vaga no Senado

Chefe da Casa Civil retorna à Assembleia nesta quinta, depois de três anos

Esta quinta-feira (13) será o último dia de Guto Silva (PSD) à frente da Casa Civil do governo do Paraná. Depois de três anos no cargo, Guto deixa a gestão de Ratinho Jr. (PSD) para voltar à Assembleia Legislativa e preparar sua campanha. Seu sonho seria disputar o Senado na chapa de Ratinho.

Eleito para o segundo mandato de deputado estadual em 2018, Guto mal tomou posse e assumiu o comando político do governo de Ratinho. Virou uma espécie de braço direito do governador e agora tenta convencê-lo de que seria viável como candidato ao Senado.

O cálculo de Guto é que estando fora do governo terá mais espaço para articular sua candidatura. É uma tarefa difícil: hoje o mais provável, ao que tudo indica, é que Ratinho se alie a Alvaro Dias (Podemos) e saiam os dois à reeleição.

Além de Alvaro, há diversos outros pretendentes a ocupar a vaga de senador na chapa de Ratinho. Entre eles, gente de peso como Ricardo Barros (PP), Alex Canziani (PSD) e um dos aliados mais próximos de Ratinho, o deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSD).

Por um lado, Guto tem uma relação mais próxima com Ratinho. Mas Ney Leprevost (PSD), que praticamente abriu as portas do partido para Ratinho, sabe que com o governador isso não conta muito. Ratinho não hesitou em passar por cima da candidatura a prefeito de Ney em 2020 para apoiar Rafael Greca (DEM), por puro pragmatismo.

Agora, parece que o cálculo de Ratinho é amarrar Alvaro para evitar a formação de uma chapa competitiva que tenha o apoio do senador.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É falso que PT seja responsável por drone que lançou produtos químicos em Minas Gerais

É falso que drone que lançou produtos químicos em evento de Lula e Alexandre Kalil em Minas Gerais foi contratado pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Em vídeo, pastor diz que investigação da Polícia Civil apontou que equipamento pertencia a uma empresa de propaganda e que operador disse à polícia que imagens seriam usadas na propaganda petista. O caso é apurado pelo Ministério Público Federal (MPF), que desmentiu a versão

Projeto Comprova