Governo Bolsonaro começou com um escândalo a cada três dias | Jornal Plural
6 mar 2019 - 12h02

Governo Bolsonaro começou com um escândalo a cada três dias

Em 64 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro e sua equipe de governo já foram alvo de 22 denúncias e escândalos. Isso significa uma…

Em 64 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro e sua equipe de governo já foram alvo de 22 denúncias e escândalos. Isso significa uma denúncia a cada três dias. A maior parte das irregularidades noticiadas tem a ver com depósitos suspeitos identificados pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) nas contas do então deputado estadual e atual senador, Flávio Bolsonaro, filho do presidente e de funcionários do gabinete dele na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

No entanto, houve denúncias também contra ministros que teriam inflado o currículo com diplomas que não possuem. E a descoberta de um esquema de candidaturas de laranjas do PSL, partido de Bolsonaro, usado para receber recursos do fundo partidário. O Plural reuniu abaixo todas as principais denúncias contra o clã Bolsonaro e o governo desde 2017. Tudo com links.

Acompanhe:

2017

Onyx Lorenzoni admite ter recebido dinheiro de caixa dois da JBS

Deputado diz que não declarou os R$ 100 mil que recebeu da empresa para pagar despesas de campanha. Em entrevista a rádio gaúcha, ele afirma que não houve corrupção e que vai procurar a Justiça e o Ministério Público para contar o que fez. Noticiado pelo Congresso em Foco.

2018

Setembro

Capa da edição da Veja com denúncias contra Bolsonaro.

28/09/2018 – Ex-mulher acusou Bolsonaro de furtar cofre com R$ 1,6 milhão

Em 2007, quando terminavam um casamento de mais de uma década, a ex-mulher de Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle, acusou o hoje presidenciável do PSL de furtar seu cofre em uma agência do Banco do Brasil e levar todo o conteúdo: joias avaliadas em 600 000 reais, 30 000 dólares em espécie e mais 200 000 reais em dinheiro vivo — totalizando, em valores de hoje, cerca de 1,6 milhão de reais, algo incompatível com as rendas conhecidas do casal. Ela registrou um boletim de ocorrência na 5ª Delegacia da Polícia Civil do RJ no mesmo dia em que constatou que o cofre estava vazio. “Isso só pode ter sido coisa do meu ex-marido”, disse ela aos funcionários do banco. Um deles tentou acalmá-la, sem sucesso. “Ele pode tudo, e vocês têm medo dele”, respondeu ela. Na Veja.


Novembro

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participa da abertura do seminário “Boas práticas de fabricação e autocontrole”

Indicado como ministro por Bolsonaro tinha supersalário com verba pública

O general Augusto Heleno Ribeiro Pereira recebia um salário de R$ 59 mil no COB (Comitê Olímpico do Brasil) até o ano passado. Veja mais em UOL Política.

11/01/2018 – Bolsonaro emprega servidora fantasma que vende açaí em Angra

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) usa verba da Câmara dos Deputados para empregar uma vizinha dele em um distrito a 50 km do centro de Angra Dos Reis (RJ). Noticiado pela Folha de São Paulo.

18/11/2018 – Ministra da Agricultura é investigada por incentivos a JBS

A ministra Tereza Cristina (DEM-MS), concedeu incentivos fiscais ao grupo JBS na mesma época em que manteve uma parceria pecuária com a empresa, noticiou a Folha de São Paulo. A informação consta na delação premiada feita pela empresa a PGR. Fonte: Folha de São Paulo.

21/11/2018 – Investigado sob suspeita de fraude, Mandetta será ministro da Saúde

O deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), médico ortopedista, foi anunciado nesta terça-feira, 20, como o futuro ministro da Saúde do governo de Jair Bolsonaro (PSL). O nome foi anunciado pelo presidente eleito por meio do Twitter após reunião com representantes do setor. Noticiado na Revista Veja.


Dezembro

O futuro ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na cerimônia de diplomação do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no TSE.

06/12/2018 – Coaf aponta que ex-motorista de Flávio Bolsonaro movimentou mais de R$ 1,2 milhão em operações suspeitas

Um ex-motorista do deputado estadual do Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro, aparece em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, por movimentações financeiras de mais de R$ 1,2 milhão consideradas suspeitas. Leia mais em  G1 Política.

07/12/2018 – Relatório do Coaf cita ex-servidora de Jair Bolsonaro, filha de ex-motorista de Flávio Bolsonaro

Uma ex-funcionária de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados é citada no relatório que identificou operações bancárias suspeitas realizadas por um ex-motorista de Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito e deputado estadual do Rio de Janeiro. Noticiado no G1.

14/12/2018 – Ex-assessora de Flávio Bolsonaro acumulava cargo na Alerj, emprego e estudo

Funcionária legislativa ligada ao deputado fluminense e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) desde 2007, Nathalia de Melo Queiroz trabalhou como recepcionista em uma rede de academias no Rio no mesmo período em que aparecia na folha de pagamento da Alerj .Disponível no UOL.

19/12/2018 – Ministro do Meio Ambiente é condenado por improbidade administrativa

O ministro do Meio Ambiente de Jair Bolsonaro, Ricardo Salles, foi condenado pela Justiça em 19 de dezembro de 2018 por improbidade administrativa. Ex-secretário estadual de São Paulo, Salles é acusado de fraudar processo do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental da Várzea do Rio Tietê, em 2016, quando estava à frente da pasta do Meio Ambiente do governo de Geraldo Alckmin (PSDB). Fonte: G1.


2019

Janeiro

Tem início a segunda reunião preparatória do Senado para eleição do presidente da Casa. Quem preside a reunião é o senador José Maranhão (MDB-PB). Renan e Flavio Bolsonaro conversam no plenário

01/01/2019 – Sem banheiro ou água, jornalistas relatam restrições em posse de Bolsonaro

Na pose, governo Bolsonaro restringe a ação de jornalistas, impede acesso a autoridades. Profissionais reclamam das condições de trabalho. Leia mais em Exame.

09/01/2019 – Filho de Mourão é promovido no Banco do Brasil e triplica salário

O filho do vice-presidente, general Hamilton Mourão, Antonio Hamilton Rossell Mourão, foi promovido a assessor do presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, que assumiu o cargo nesta segunda-feira (7). A informação foi confirmada pela assessoria do BB.

O novo posto equivale a uma cadeira de um executivo no banco com um salário de cerca de R$ 36 mil. Na prática, seu salário triplicou. Noticiado pela Exame.

Sete assessores de Flávio Bolsonaro fizeram depósitos para ex-motorista

Sete servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que passaram pelo gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) fizeram transferências bancárias para uma conta mantida pelo ex-policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz. Mais em Veja.

17/01/2019 – Flávio Bolsonaro pediu para STF anular provas no caso do Coaf

Em reclamação feita ao Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, pediu a anulação das provas obtidas até agora pelo Ministério Público do Rio de Janeiro nas investigações sobre movimentações financeiras suspeitas de Fabrício Queiroz, seu ex-assessor. O ministro Luiz Fux deixou essa questão para ser decidida pelo relator do caso, ministro Marco Aurélio. Leia mais em O Globo.

18/01/2019 – Coaf aponta 48 depósitos suspeitos na conta de Flávio Bolsonaro, diz TV

Um relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) aponta movimentações suspeitas de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), deputado estadual e senador eleito. O filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu em sua conta bancária 48 depósitos em dinheiro, que foram considerados suspeitos pelo órgão que investiga lavagem de dinheiro.  Folha de São Paulo

19/01/2019 – Relatório do Coaf mostra que Flávio Bolsonaro pagou título de R$ 1 milhão

Um novo trecho do relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), sobre movimentações bancárias atípicas de Flávio Bolsonaro, aponta que ele fez um pagamento de R$ 1.016.839 de um título bancário da Caixa Econômica Federal. O Coaf diz que não conseguiu identificar o favorecido. Também não há data e nenhum outro detalhe do pagamento. Mais em G1 Política.

20/01/2019 – Relatório do Coaf mostra que Queiroz movimentou R$ 7 milhões em três anos, diz jornal

Além dos R$ 1,2 milhão movimentados pelo ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL), Fabrício Queiroz, revelados pelo primeiro relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o órgão identificou movimentação de mais R$ 5,8 milhões entre 2014 e 2015.

Segundo a coluna do jornalista Lauro Jardim no jornal O Globo, O Coaf identificou, no total, movimentação de R$ 7 milhões entre 2014 e 2017 na conta bancária de Queiroz. Mais em Congresso em Foco.

21/01/2019 – Receita vai investigar nomes citados pelo Coaf, incluindo Flávio Bolsonaro

A Receita Federal vai fechar o cerco em torno dos deputados estaduais do Rio e servidores da Assembleia Legislativa do Estado envolvidos com movimentações financeiras consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Entre os alvos, estão Flávio Bolsonaro (PSL) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz. Mais em Veja.

22/01/2019 – Flávio Bolsonaro empregou mãe e mulher de chefe do Escritório do Crime em seu gabinete

O gabinete do senador eleito e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) empregou até novembro do ano passado a mãe e a mulher do capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, tido pelo Ministério Público do Rio como o homem-forte do Escritório do Crime, organização suspeita do assassinato de Marielle Franco. O ex-policial foi alvo de um mandado de prisão nesta terça-feira e está foragido. Ele é acusado há mais de uma década por envolvimento em homicídios. Adriano e outro integrante da quadrilha foram homenageados por Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Em nota divulgada nesta terça-feira, Flávio Bolsonaro diz que é alvo de campanha difamatória e responsabiliza o ex-assessor Fabrício Queiroz pelas nomeações. Também em nota, Queiroz repudiou o que chamou de “tentativa espúria” de vincular o nome dela à milícia do Rio. Reportagem original em O Globo.

24/01/2019 – Mulher de Bolsonaro vira alvo de investigação por cheque de Queiroz

Valor noticia que o depósito de 24 mil reais na conta da primeira dama pelo ex-motorista, Queiroz, coloca ela na mira da Receita Federal. Mais em Valor Econômico.

30/01/2019 – Folha reúne informações da relação entre os Bolsonaro e as milícias

PowerPoint dos Bolsonaros: entenda a relação da família com Queiroz e as milícias. Disponível em Folha de São Paulo.

31/01/2019 – Ong de ministra é acusada de sequestro e adoção irregular de indígena

Índios do Xingu relataram a revista Época como a atual ministra levou embora a menina Lulu. Foi capa da Revista Época.

31/01/2019 – Sem diploma, Damares já se apresentou como mestre em educação e direito

Num de seus discursos mais famosos, ao menos até virar ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves se apresenta à plateia: não estão diante apenas de uma pastora, mas de “uma advogada” que é também “mestre em educação” e “em direito constitucional e direito da família”.

Títulos acadêmicos, contudo, que a titular na Esplanada de Jair Bolsonaro nunca teve de fato, como a própria disse, por meio da assessoria de imprensa do ministério, após ser questionada pela Folha por três semanas sobre quais eram as instituições em que ela adquirira os alegados mestrados.


Fevereiro

04/02/2019 – Ministro de Bolsonaro criou candidatos laranjas para desviar recursos na eleição

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), deputado federal mais votado em Minas, patrocinou um esquema de candidaturas laranjas no estado que direcionou verbas públicas de campanha para empresas ligadas ao seu gabinete na Câmara. Noticiado pela Folha de São Paulo.

10/02/2019 – Partido de Bolsonaro criou candidata laranja para usar verba pública de R$ 400 mil

O grupo do atual presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), recém-eleito segundo vice-presidente da Câmara dos Deputados, criou uma candidata laranja em Pernambuco que recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público na eleição de 2018.

Maria de Lourdes Paixão, 68, que oficialmente concorreu a deputada federal e teve apenas 274 votos, foi a terceira maior beneficiada com verba do PSL em todo o país, mais do que o próprio presidente Jair Bolsonaro e a deputada Joice Hasselmann (SP), essa com 1,079 milhão de votos. Mais na Folha.

13/02/2019 – Bebianno liberou a ex-assessora verba eleitoral usada em gráfica de fachada

Coordenador de campanha de Jair Bolsonaro e hoje ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno liberou R$ 250 mil de verba pública para a campanha de uma ex-assessora, que repassou parte do dinheiro para uma gráfica registrada em endereço de fachada —sem maquinário para impressões em massa. Noticiado pela Folha de São Paulo.

19/01/2019 – Ministro do Turismo sabia de esquema para PSL lavar dinheiro, diz ex-candidata

Candidata nas últimas eleições a deputada estadual pelo PSL de Minas Gerais, então presidido pelo atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a professora aposentada Cleuzenir Barbosa, 47, afirma ter havido um esquema de lavagem de dinheiro público pela sigla no estado. Na Folha.

22/02/2019 – Os novos rolos que envolvem Flávio Bolsonaro

A revista Istoé aponta que irmã de miliciano assinava cheques da campanha de Flávio Bolsonaro. Detalhes em Revista Istoé.

23/02/2019 – Ministro Ricardo Salles não estudou em Yale

Cinco presidentes americanos estudaram em Yale. Doze vencedores de prêmios Nobel estudaram em Yale. Até o cara que escreveu as músicas do Frozen estudou em Yale. Mas Ricardo Salles, não. Ministro disse que a informação equivocada havia sido enviada pela assessoria. Mais no Intercept.

27/02/2019 – Advogado e contadores ligados a ministro do Turismo atuaram para laranjas

O advogado e os contadores que assinam formalmente na Justiça Eleitoral a prestação de contas das quatro candidatas-laranjas do PSL de Minas Gerais afirmaram à Folha que assumiram as tarefas a mando da direção estadual da sigla, na época comandada pelo hoje ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

28/02/2019 – Bolsonaro inflou declaração de bens com van vendida um ano antes para ex-assessor

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) inflou sua declaração de bens à Justiça Eleitoral em 2018 com um micro-ônibus que havia sido vendido no ano anterior para um ex-assessor dele e do filho Flávio, hoje senador.

O veículo, declarado em agosto do ano passado como patrimônio de Bolsonaro, está desde fevereiro de 2017 em nome do ex-soldado da brigada de Infantaria Paraquedista Jaci dos Santos, que trabalhou anos atrás como motorista da família do presidente. Noticiado pela Folha de São Paulo.


Março

01/03/2019 – Documentos provam que Nathalia Queiroz – a assessora de Jair Bolsonaro na Câmara – nunca pisou lá

Nathalia Queiroz, segundo Jair Bolsonaro, era funcionária de seu gabinete de deputado federal, mas nunca teve o crachá. Ela também não tinha vaga de garagem no prédio e nem mesmo consta dos registros de visitantes da Câmara, como mostram documentos obtidos com exclusividade pelo Intercept.

05/03/2019 – Bolsonaro compartilha vídeo de homem mexendo no ânus e sugere que cena é comum no Carnaval

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou nesta terça-feira (5) em sua conta oficial no Twitter um vídeo de uma cena que causou polêmica no Carnaval paulistano. Um homem aparece dançando sobre um ponto de táxi após introduzir o dedo no próprio ânus. Na sequência, surge outro rapaz que urina na cabeça do que dançava. Ato pode configurar improbidade administrativa.

 

 

 

Últimas Notícias