16 maio 2021 - 11h45

Copel anuncia venda da antiga Universidade do Professor

Área no município de Pinhão, conhecida como Vila Residencial de Faxinal do Céu, deve ir a leilão ainda este anos

Depois da Copel Telecom, já está anunciada a próxima privatização da Copel. A empresa anunciou que vai vender a Vila Residencial de Faxinal do Céu, no município de Pinhão. O local ficou conhecido na época dos governos Jaime Lerner e Roberto Requião por abrigar a Universidade do Professor.

Bem no centro do Paraná, em Pinhão, o lugar é uma espécie de recanto às margens do Iguaçu, perto da usina de Segredo. Em 2011, no início do governo Beto Richa, porém, a universidade foi fechada. Agora, o governo de Ratinho Jr. (PSD) pretende vender o local.

Segundo reunião realizada entre a Copel e representantes da região, com. participação de deputados estaduais, a Aneel, agência que regula o setor elétrico, considera esse tipo de ativo como “inservível” para a produção de energia.

Segundo o “Jornal Fatos do Iguaçu”, da região, existe interesse da Unicentro, universidade estadual com sede em Guarapuava, de usar o local.

Ainda não há preço definido para o local, que inclui um jardim botânico. A Copel, porém, teria anunciado na reunião que pretende resolver a situação ainda em 2021.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

19 comentários sobre “Copel anuncia venda da antiga Universidade do Professor

      1. Ocorre que a função da empresa de energia, da energia e da venda dela é pública, coisa aliás ligada tb à finalidade de faxinal do ceu.
        Coisa que até mesmo países liberais reconhecem e apenas os ignóbeis brasileiros sao capazes de reprovar.

      2. Triste demais , esses locais deveriam ser preservados para locais de estudos, museu , cursos diversos …. preservar o jardim botânico . Esse desgoverno é horrível !!! Só quer privatizar !

  1. Nossa que triste. Na minha graduação fui duas vezes a este lugar para cursos de capacitação, ainda cursando Ed. Física pela Unioeste. Após pertencer ao quadro próprio do magistério não tive a oportunidade de realizar cursos lá. Vejo o espaço de grande valia para a SEED usufruir para capacitação dos profissionais da Educação. Porém, não há interesse nenhum em investimento de capacitação continuada por parte deste governo.

  2. O patrimônio é público e pode sim ter uma função social, como investir em educação, coisa que este governo não tem interesse.
    Quem não zela pelo que tem acaba sem nada.
    Aposto que um estrangeiro já vai fazer aquilo funcionar…porque alguns brasileiros não pensam. Depois, viajam para o exterior e contam elogiando as coisas de fora. Eita!!! Vamos lá gente acordem!!!

  3. Um lugar lindo, ímpar no Paraná. Deveria ser doado a Secretaria da Educação, que poderia usa lo para transformar um lugar de Cultura, Entretenimento, Cursos de Aperfeiçoamento na Área de Educação e Cultura é também de lazer. Transformar esse local maravilhoso, onde tem refeitório, teatro, um jardim lindo com árvores trazidas de outros paises. O Paraná precisa pensar no futuro do Estado. Muitos lugares ligados à natureza dão grande retorno tem que pensar nisso, um lugar que também poderia ser transformado em hotéis pousadas para famílias passar férias ou finais de semana, depois da pandemia.

  4. A ganância de querer se desfazer dos patrimônios públicos para fazer caixa, para sabe se lá onde investir esse dinheiro é uma tônica desse desgoverno. Patrimônio público, lindo, já fiz cursos lá e era maravilhoso poder adquirir conhecimento. Pensem: um país só se torna grande investindo na educação e no conhecimento e não desfazendo de suas riquezas e patrimônio. Lamentável essa situação. Esse lugar poderia ser usado como uma universidade do saber mesmo, coisa que esse governo acéfalo é incapaz de perceber. E ainda há os que apoiem ele. Pobres ratiminions.

Deixe um comentário

Últimas Notícias

Vídeo que cita falhas já corrigidas nas urnas volta a circular fora de contexto

É enganoso um vídeo que circula sem contexto e mostra uma fala feita em 2018, no Supremo Tribunal Federal (STF), pelo advogado do Sindicato Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF Sindical) Alberto Emanuel Albertin Malta, sobre a impressão de comprovantes de votação. No discurso, o representante da entidade fala sobre falhas encontradas nas urnas eletrônicas que já foram corrigidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) antes de junho de 2018, quando a declaração foi repercutida. Essa informação não consta, no entanto, no vídeo investigado. O conteúdo voltou a circular em meio à aproximação do processo eleitoral de 2022

Projeto Comprova

Fies foi criado no governo de FHC, não na gestão Lula

É enganosa a publicação no Twitter da ex-participante do Big Brother Brasil (BBB22) Jessi Alves, que diz que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criou o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), programa que financia graduação em faculdade particular no Brasil. Lula expandiu o acesso ao programa, mas não o criou. A iniciativa surgiu ainda na gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC), em 1999, após o fim do Crédito Educativo (Creduc), programa similar criado em 1975, durante o governo de Ernesto Geisel

Projeto Comprova