Condenado, Boca Aberta diz que vai continuar com blitz na saúde | Jornal Plural
5 abr 2019 - 6h59

Condenado, Boca Aberta diz que vai continuar com blitz na saúde

Deputado falou sobre briga com vereador e disse que não vê riscos de perder seu mandato

Com informações de Rodrigo Silva.

O deputado federal Emerson Petriv, o Boca Aberta (PROS), diz que não vai parar com as suas “blitz na saúde”. Ele foi condenado na última segunda-feira (1) a 22 dias de prisão em regime semiaberto por perturbação de sossego. No processo, ele é acusado de perturbar os trabalhadores e pacientes de uma Unidade de Pronto Atendimento de Londrina nos dias 5 e 6 janeiro de 2017.

Em entrevista ao Plural, Boca Aberta afirmou que o juiz Luiz Eduardo Asperti Nard, do 4° Juizado Especial Criminal de Londrina, fez um “control c, control v”, nas denúncias apresentadas contra ele. O deputado também destacou que vai recorrer da decisão em todas as instâncias cabíveis, indo até a corte interamericana se for preciso. De acordo com o parlamentar, ser condenado por fiscalizar os médicos dormindo enquanto as pessoas esperam por atendimento “é um absurdo”.

Na decisão, o juiz ressaltou que o mandato de deputado federal, com prerrogativa de foro, não isenta o condenado das responsabilidades sobre crimes cometidos. Quanto a isso, Boca Aberta afirmou que não há nenhum risco de seu novo mandato ser cassado e que isso é apenas um boato fomentado por seus adversários. Ele classificou a decisão do magistrado como algo “esdrúxulo e sem fundamento”.

Agressão

Boca Aberta também comentou sobre a agressão que sofreu do vereador Amauri Cardoso (PSDB) no último dia (23), em Londrina. O vereador deu um soco no deputado. Ao final da briga, Cardoso chegou a sair do local antes da chegada da Polícia Militar.

O vereador pediu uma medida protetiva na Justiça para que Boca Aberta não pudesse chegar perto dele. A cautelar foi indeferida, mas pedia distância mínima de 500 metros e a proibição de que os dois frequentem os mesmo lugares, sob pena de decretação de prisão preventiva e indiciamento pela prática do crime de desobediência prevista no Código Penal.

Ao falar sobre o pedido, Boca Aberta ironizou o caso e disse que Cardoso tem medo de sua atuação política. Segundo ele, sua luta contra políticos corruptos representa uma ameaça. Também destacou que passou por uma cirurgia no nariz após a agressão.

O deputado afirmou que gostaria da aprovação da medida protetiva, pois disse que não gostaria de ser agredido novamente por políticos que, segundo ele, “arrebentam com o povo”.

Últimas Notícias