12 jan 2022 - 15h08

Cassado, Eder Borges segue no mandato por demora judicial

Vereador concorreu sem ter prestado contas da eleição anterior

A Justiça Eleitoral tem sido bondosa com Eder Borges (PSC). Primeiro, deixou que ele se elegesse vereador quando era claramente inelegível: o moço simplesmente não havia prestado contas da campanha anterior, mas ninguém percebeu.

Depois de empossado, Borges teve seu mandato contestado na Justiça. Ao ver o absurdo, a primeira instância cassou o vereador – isso foi em abril de 2021. Desde lá, o mandato vem se arrastando por mais nove meses porque o TRE ainda não julgou os recursos.

Enquanto isso, Mestre Pop (PSC), o suplente que a própria Justiça admitiu ter direito ao mandato, segue numa longa espera.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.

2 comentários sobre “Cassado, Eder Borges segue no mandato por demora judicial

    1. Oi Gonçalo, a Justiça eleitoral tem prazo para julgar as contas, portanto sim, só ele, entre os eleitos, não cumpriu essa etapa obrigatória. Do contrário teríamos mais vereadores cassados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É falso que PT seja responsável por drone que lançou produtos químicos em Minas Gerais

É falso que drone que lançou produtos químicos em evento de Lula e Alexandre Kalil em Minas Gerais foi contratado pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Em vídeo, pastor diz que investigação da Polícia Civil apontou que equipamento pertencia a uma empresa de propaganda e que operador disse à polícia que imagens seriam usadas na propaganda petista. O caso é apurado pelo Ministério Público Federal (MPF), que desmentiu a versão

Projeto Comprova