Bolsonaro foi eleito exatamente para falar da "golden shower" | Jornal Plural
7 mar 2019 - 10h43

Bolsonaro foi eleito exatamente para falar da “golden shower”

O capitão foi eleito para ser o tio do zap, o bedel da Internet. Ele não é a doença, é o sintoma de um país em que milhões ficam o tempo todo cuidando dos orifícios alheios com base em posts duvidosos de redes sociais

Jair Bolsonaro patrocinou mais um show de horrores na Internet neste carnaval. O ponto alto foi um vídeo pornográfico em que uma pessoa mijava no cabelo da outra, que tinha acabado de masturbar o próprio ânus. O presidente disse estar constrangido, mas tinha que denunciar o que o carnaval estava virando.

Mas Bolsonaro foi além. Repreendido por uma legião de pessoas, perguntou no Twitter oque era “golden shower”, dando origem a mais uma rodada de espanto e zombaria.

O pior de tudo, porém, é saber que Bolsonaro em certo sentido foi eleito para isso. Para ser o tio do zap, o bedel da Internet. Ele não é a doença, é o sintoma de um país em que milhões ficam o tempo todo cuidando dos orifícios alheios com base em posts duvidosos de redes sociais.

A eleição de Bolsonaro se deveu basicamente à crença de que nossa democracia é uma bagunça, que esse negócio de cada um viver como quer está errado, porque tudo vira uma putaria marxista-gayzista-feminazi em que a família tradicional não é mais respeitada.

Ele está simplesmente fazendo o que se esperava dele. Comandando a legião de indignados com a sexualidade alheia. Xinga intelectuais, promete desmantelar a universidade e se rebela contra casos de desrespeito ao pudor. Ele é o seu tio do grupo da família, transformado em líder nacional das correntes sem sentido.

Foram 55 milhões de pessoas pedindo um inspetor da vida alheia, no lugar de alguém preocupado com políticas para melhorar a rede de bem-estar social, só para citar um exemplo. O resultado está aí: todo mundo discutindo uma ducha de urina, enquanto milhões passam fome.

Últimas Notícias